RETRATO DA SEMANA

RETRATO DA SEMANA
26º RONCO DO BUGIO (1 e 2 Setembro) - PRAZO DE INSCRIÇÕES DIA 28 DE JULHO

COMEÇANDO A LIDA BLOGUEIRA COM:

quarta-feira, 29 de junho de 2016

HOJE É DIA DO PADROEIRO DO RIO GRANDE


Há incontáveis autores que pesquisaram e relataram sobre a história de ocupação do Rio Grande do Sul, mas poucos se detiveram em detalhes, pormenores, tais como, porque São Pedro foi escolhido o padroeiro do Estado. A equipe do Inema aproveitou o ensejo da cavalgada que homenageou o santo para vasculhar os livros de história e contar para vocês um pouco sobre este assunto.
 
“Em 1531, uma frota foi confiada a Martin Afonso de Souza, que tinha como objetivo expulsar os corsários franceses da Costa brasileira, além de ir até o sul do estuário do Rio da Prata e fundar um ou mais núcleos de povoamento. A navegação foi feita próxima da Costa, permitindo observações que resultariam na descoberta de vários acidentes geográficos, entre os quais, a barra por onde o caudal da Lagoa dos Patos é despejado no Oceano Atlântico.
 Era o dia em que o calendário eclesiástico recorda a Cátedra de Pedro, que partindo de Antioquia, chegara a Roma para iniciar, no poderoso Império, a pregação do Cristianismo. A data inspirou o topônimo equivocado: Rio de São Pedro. Posteriormente, para diferenciar de outro rio, que levava o mesmo nome do padroeiro, passou a ser chamado de Rio Grande de São Pedro, devido a sua grande dimensão”.
Em relação ao Continente de São Pedro, hoje, Rio Grande do Sul. “Não se sabe até hoje quem deu o nome de São Pedro ao seu único porto de mar”. PAULA, General F. - Dois Ensaios de História. Rio de Janeiro; Biblioteca do Exercito, 1976. 
“Alguns atribuem a descoberta do atual canal do Rio Grande ao próprio Martin Afonso de Souza; outros aos tripulantes da caravela Santa Maria e em homenagem a Pero Lopes de Souza colocaram o nome de São Pedro (segundo comandante da Frotilha e irmão do Martin Afonso de Souza). AMARAL, Ancelmo - Campos Neutrais, Santa Vitória do Palmar; edição particular, 1972. “A denominação Rio Grande de São Pedro, dada ao Rio Grande do Sul, se crê, foi dada pelos jesuítas”. LIMA, Afonso Guerreiro – Cronologia da História do Rio Grande do Sul , Porto Alegre; Séc XX.
“Historiadores modernos atribuem a Martin Afonso de Souza o nome dado à Barra do Rio Grande como Rio de São Pedro, uma vez que assim consta nos registros do cartógrafo Português Gaspar Viegas que realizou o famoso mapa em 1534 baseado nos informes dos irmãos Souza (Martin e Pero), no qual aquela denominação é pela primeira vez empregada em cartografia quinhentista (época de 1500)”. PURPER, Sônia; SOARES, Leda Saraiva - Tramandaí Terra e Gente, Tramandaí, segunda edição; AGE POA, 1985.
 Como podemos observar há algumas opiniões diversas neste caso, mas não se pode afirmar que seja uma ou outra. As que parecem ter mais coerência são as de ter sido uma homenagem aos irmãos Souza, Martin e Pero, uma vez que se atribui a eles a descoberta do continente de São Pedro e o fato de que essa descoberta se deu no dia que o calendário eclesiástico recorda a Cátedra de São Pedro.
 Seja lá qual for o motivo da escolha de São Pedro para Padroeiro do nosso amado Estado, ele é muito querido por todos nós e, definitivamente, merece esta linda homenagem feita por gente da nossa terra, gente que acredita em um mundo melhor, gente que cultiva as nossas tradições.

Fonte: Lilian Argentina Braga Marques