RETRATO DA SEMANA

RETRATO DA SEMANA
Colocação da estátua do Negrinho do Pastoreio, obra de Vasco Prado, na minha legendária Aratinga Década de 60

COMEÇANDO A LIDA BLOGUEIRA COM:

sexta-feira, 15 de dezembro de 2017

PRA SANTA MARIA DA BOCA DO MONTE


 
No dia de hoje, cedito no mais, estaremos soltando as rédeas do pingo para os lados de Santa Maria da Boca do Monte, a cidade Coração do Rio Grande, para trabalhar como avaliador, ao lado de ilustres figuras da nossa musicalidade como Moisés Menezes, Ewerton Ferreira, Adair de Freitas e João Quintana, neste que é um dos maiores e mais bem organizados festivais nativistas do Estado. Me refiro a Tertúlia Musical Nativista, agora em sua 25ª edição.
 
Para se ter uma ideia da representatividade deste evento junto a comunidade festivaleira do Rio Grande basta vermos o número de inscrições, que ultrapassou mil e cem composições.
 
Que Deus velho nos proteja nesta jornada iluminando nosso rumos para realizarmos um trabalho justo e perfeito.  

 
 
 

ESTÂNCIA DA POESIA CRIOULA


CONVITE PARA ALMOÇO E SARAU DE ENCERRAMENTO
 
 
 
 
 

CHASQUE DO MTG


Coordenadorias Regionais escolhem novos titulares
e ampliam presença feminina
 
 
 
As Coordenadorias Regionais do Movimento Tradicionalista Gaúcho concluíram o processo de escolha dos novos titulares para a gestão de 2018. Em 25 delas houve reeleição. As regiões 14, 18, 22, 24 e 28 optaram por novos nomes.
 
Com a eleição de Paula Oliva Brundt na 18ª RT, substituindo Gilberto Bittencourt Silveira, e de Luce Carmen Meyer na 24 substituindo Dalmo Inácio Meyer, a presença feminina na liderança é ampliada, de 7 para 9 das 30 regiões. Segundo o presidente do MTG, Nairo Callegaro, trata-se de um reflexo das mudanças sociais. “A participação feminina sempre foi fundamental no tradicionalismo e é uma satisfação enorme a confirmação desses nomes nos cargos de liderança”, afirma.
As cerimônias de posse devem acontecer nos meses de janeiro e fevereiro.
 
Confira os novos coordenadores:
 
1ª RT - Luiz Henrique Lamaison
2ª RT - Ivan Fernando Botelho 
3ª RT - Ivanir Ribeiro     
4ª RT - Ilva Maria Borba Goulart              
5ª RT - Luiz Clóvis Vieira               
6ª RT - Roberto dos Santos Ferreira       
7ª RT - Gilda Galeazzi    
8ª RT - Lauri Terezinha B de Almeida     
9ª RT - Jorge Luiz Kersting Malheiros     
10ª RT - Olacides Fortes da Silveira         
11ª RT - Luiz Carlos Rigon            
12ª RT - Fabiano Vencato da Silva           
13ª RT - Luiz Sérgio Fassbinder 
14ª RT - Valnei Pereira 
15ª RT - Claudio Rogélio Correia Oliveira              
16ª RT - Flávio Luiz Menezes     
17ª RT - Evandro Martins Otero               
18ª RT - Paula Oliva Brundt        
19ª RT - Cleusa Cecilia Visioli Sotoriva    
20ª RT - Luciana Rolim  
21ª RT - Silvania Zart Valle Affonso         
22ª RT - Ricardo Glademir Haag
23ª RT - Rozimar da Silva Ferreira            
24ª RT - Luce Carmen Meyer
25ª RT - Rodrigo de Macedo Ramos       
26ª RT - Hilda Maria Heinen       
27ª RT - Everaldo Dutra
28ª RT - Rodrigo Bordignon        
29ª RT - Valdecir Rodrigues da Silva       
30ª RT - Carlos Alberto Moser
 
 Sandra Veroneze
Assessoria de Imprensa MTG
Cel e Whatsapp: 51 99370 0619
 
 
 

MÚSICA E FÉ NA 1ª TRINCEHEIRA DE VIAMÃO


 


A fé, a religiosidade e a cultura gaúcha, estarão irmanadas durante a 1ª Trincheira do Canto Xucro, em Viamão.
 
O padre Valdir Formentini, da paróquia de Santa Isabel, estará com sua "Motor Home Capela", estacionada próximo a pirâmide que abrigará o festival.
 
O espaço "Casa" da Capela Móvel servirá de acolhida para compositores, músicos e intérpretes, que serão recebidos com o tradicional chimarrão servido pelo próprio anfitrião. O espaço "Capela" ficará aberto a visitação de todos que quiserem pedir uma benção para Nossa Senhora Aparecida.
 
Na noite de 15 de dezembro, o padre Valdir participará da abertura oficial da 1ª Trincheira do Canto Xucro, oferecendo uma benção especial aos participantes do festival.
 
A 1ª Trincheira do Canto Xucro acontecerá nos dias 15, 16 e 17 de dezembro de 2017, no Parque de Eventos da Pimenta, em Viamão.
 
Estarão concorrendo 24 músicas inéditas, sendo 10 da Etapa Local e 14 da Etapa Geral.
 
Além da mostra competitiva, serão apresentados três espetáculos musicais de grande relevância. Na sexta-feira, 15, show do cantor viamonense Adelar Saraiva; no sábado, 16, espetáculo com a dupla César Oliveira e Rogério Melo; e no domingo, grande apresentação do cantor Nilton Ferreira.
 

A 1ª Trincheira do Canto Xucro é uma realização da ORF Produtora e conta com os patrocínios de: Coopernorte, Supermercados Guarapari, Padaria e Confeitaria Bianchi, Supermercados Lisboa e Farosul.
 
Financiamento: Sistema Pró Cultura RS, Secretaria da Cultura, Turismo, Esporte e Lazer, Governo do Rio Grande do Sul.
 
Apoios: UTV- União Tradicionalista Viamonense e NVCCC - Núcleo Viamão de Criadores de Cavalos Crioulos.
 
Divulgação
Jairo Reis
jairoreisdivulga@gmail.com
(51) 995.634.303
 
 
 
 
 

quinta-feira, 14 de dezembro de 2017

REPONTANDO DATAS / 14 DE DEZEMBRO


ASSINATURA DO TRATADO DE PEDRAS ALTAS
 
Assinatura do Pacto de Pedras Altas, que pôs fim à Revolução de 1923. 
Assis Brasil é o primeiro à direita.
 


A Revolução de 1923 foi o movimento armado ocorrido durante onze meses daquele ano no Rio Grande do Sul, Brasil, em que lutaram, de um lado, os partidários de Borges de Medeiros (borgistas ou chimangos) e, de outro, os aliados de Joaquim Francisco de Assis Brasil (assisistas ou maragatos).
Republicano e positivista, mas nada simpático à democracia, Júlio Prates de Castilhos, o Patriarca, como era chamado, governou o Rio Grande do Sul com mão de ferro de 1891 até sua morte prematura, em 1903. Para se manter no poder, tomou duas providências: redigiu praticamente sozinho e fez aprovar uma Constituição autoritária e montou uma poderosa máquina política no Partido Republicano Rio-grandense (PRR), com seus incontáveis chefes locais e seu séquito de agregados, presentes em mais de cem municípios rio-grandenses. Ao morrer, ficou claro que se fora o ditador, mas a ditadura republicana continuava viva.
Castilhos foi substituído na presidência do Estado por Borges de Medeiros, que seguiu adotando os mesmos métodos e que também tinha como objetivo perpetuar-se no poder. Em 1922, Borges resolve se candidatar mais uma vez à presidência do Estado e contava, como sempre, com a força do PRR, que não hesitava em apelar para a fraude e a violência, para garantir a reeleição.
Todavia, dessa feita, há um fato novo: forma-se uma aliança entre vários segmentos da sociedade gaúcha para estimular uma oposição organizada. O veterano político Assis Brasil desafia Borges na disputa nas urnas.
Divide-se, assim, o Rio Grande, entre Borgistas ou Ximangos (numa alusão ao pseudônimo dado a Borges por Ramiro Barcelos, Antônio Chimango) e Assisistas ou maragatos (como eram chamados os adeptos do Partido Federalista, identificados pelo uso do lenço vermelho).
A campanha eleitoral ocorre sob um clima de repressão e violência. Opositores do governo são presos, espancados e até mortos. Locais de reunião dos Assisistas são fechados e depredados pela polícia Borgista.
Quando se anuncia o resultado das urnas, com a previsível vitória de Borges de Medeiros, a revolta é geral. A comissão apuradora de votos, formada por pessoas fiéis ao governo, é acusada de fraude eleitoral pela oposição. A disputa nas urnas transforma-se em disputa pelas armas. A oposição, liderada por Assis Brasil, adere à revolta armada para derrubar Borges de Medeiros, que toma posse para um novo mandato em 25 de janeiro de 1923.
Setores importantes da sociedade gaúcha já andavam descontentes com o governo. A política econômica de Borges precipitara o Estado numa crise financeira que contribuíra para descontentar tanto a elite estancieira como boa parte do movimento operário e estudantil. No plano nacional, Borges se isolara ao fazer oposição à candidatura de Artur Bernardes, afinal eleito Presidente da República.
Em verdade, o ódio entre as facções era mais antigo. Vinha desde a Revolução Federalista de 1893, que teve como marca a degola, dilacerando vidas e trazendo desgraça e tristeza para muitas famílias. Essa Revolução deixou sentimentos de vingança e violência em muitos corações, que teve quase continuidade na Revolução de 1923.
 
  O castelo onde foi assinado o Tratado de Paz, foi posto a venda.
 
 
 
 
 
 

CHASQUE DO MTG

 
31º Seminário Estadual de Prendas será em janeiro
 
 
O Movimento Tradicionalista Gaúcho realiza, no dia 13 de janeiro, o 31º Seminário Estadual de Prendas. O evento é paralelo ao 66º Congresso Tradicionalista, que será realizado em São Jerônimo de 12 a 14 de janeiro.
 
O Seminário terá como tema "O protagonismo da mulher na tradição gaúcha", afirma a atual prenda estadual, Renata da Silva. Segundo ela, esta edição do Seminário foi pensada com base na adesão do MTG ao movimento da ONU #HeForShe e no constante questionamento sobre o machismo no tradicionalismo.
 
A proposta é debater o protagonismo da mulher na construção da sociedade gaúcha atual, e em consequência, do Movimento Tradicionalista Gaúcho. Segundo Renata, a prenda representa a força desta construção dentro e fora dos CTGs e, mesmo que o reconhecimento seja pequeno frente ao espaço que já foi conquistado, as prendas levantam esta bandeira para refletir e agir em cima do preconceito, do pensamento e das atitudes machistas que nos cercam, para finalmente darmos voz a uma causa que afeta não só as prendas, mas todas as gaúchas.
 
Confira a programação:
14h: Recepção e credenciamento
14h30min: Abertura oficial do evento
15h: Roda de conversa - Diálogos da contemporaneidade: a mulher construindo o cenário atual da sociedade
16h30min: Dinâmica com as Prendas do Rio Grande do Sul
17h: Encerramento
 
Sandra Veroneze
Assessoria de Imprensa MTG
Cel e Whatsapp: 51 99370 0619
 
 
 

quarta-feira, 13 de dezembro de 2017

REPONTANDO DATAS / 13 DE DEZEMBRO


NASCE BARBOSA LESSA

Barbosa Lessa em seu sítio, Água Grande, em Camaquã
 

Luiz Carlos Barbosa Lessa nasceu em Piratini em 13 de dezembro de 1929 e morreu em Camaquã em 11 de março de 2002. Foi folclorista, escritor, músico, advogado e historiador.
 
Escreveu cerca de 61 obras, entre contos, músicas e romances. Participou intensivamente do processo de construção do Movimento que registrou e difundiu a cultura gaúcha do homem do campo. Em 1948, ele com 19 anos de idade junto com um grupo de colegas do ensino secundário criaram o Movimento Tradicionalista Gaúcho e o primeiro centro de tradições da história (35 CTG), definindo as características do que hoje é considerado o tipo "Gaúcho".
 
Dentre suas obras mais conhecidas destacam-se Rodeio dos Ventos, um épico sobre como seria vida do povo gaúcho, e Os Guaxos, pelo qual recebeu prêmio em 1959 da Academia Brasileira de Letras.
 
Ao mesmo tempo em que se dedicava à implantação do tradicionalismo, Lessa passou a pesquisar a música regional. Em 1957, criou a popular toada Negrinho do Pastoreio, canção baseada na lenda do jovem escravo que, ao perder a tropilha de cavalos do patrão, é agrilhoado a um formigueiro para ser devorado pelos insetos. A canção de Barbosa Lessa foi cantada por dezenas de intérpretes, entre eles Inezita Barroso, Leopoldo Rassier e a dupla Kleiton Kledir.
 
Em concurso da RBS TV, foi agraciado com o título de "Um dos 20 Gaúchos que marcaram o século XX", recebeu ainda o troféu Negrinho do Pastoreiro pela AGM e o Prêmio Líderes e Vencedores pela Federasul e Assembleia Legislativa do RS.

Você pode saber mais sobre Barbosa Lessa visitando a Fundação Barbosa Lessa, no Sítio Água Grande, em Camaquã, local onde residia nos últimos tempos de vida. É um lindo local para se visitar pois tem atrativos como, cascata com 30 metros de queda, casa onde residiu o escritor, biblioteca em meio a mata nativa, objetos pessoais e livros do autor, carijo para produto artesanal de erva-mate, engenhos e utensílios típicos gaúchos e trilhas ecológicas, tudo numa área de 15 hectares. Com fauna e flora exuberantes, estes são alguns dos atrativos desta reserva ecológica, embora o maior deles seja a magia de partilhar da simplicidade em que vivia o escritor.
 
 
 

terça-feira, 12 de dezembro de 2017

REPONTANDO DATAS / 12 DE DEZEMBRO


SEIS ANOS DA MORTE DE JOSÉ CLAUDIO MACHADO
 

José Cláudio Machado nasceu em Tapes, RS, em 17 de novembro de 1948 e faleceu em 12 de dezembro de 2011. Começou sua carreira de intérprete no antigo conjunto Tapes após tornar-se conhecido naquela região ao apresentar-se como gaiteiro num programa dominical da rádio de Camaquã, comandado por Bonifácio Barros e consagrou-se para o grande público ao vencer a Califórnia da Canção Nativa de 1972 com a composição Pedro Guará, um clássico regionalista.

Participou como intérprete, em duas ocasiões, do conjunto Os Serranos. O melhor álbum do grupo (na minha opinião) "Isto é... Os Serranos", no final da década de 1980, muito se deve a participação do José Cláudio.

Intérprete de canções consagradas como Pêlos, De Como Cantar um Flete, Milonga Abaixo do Mau Tempo, Cantar Galponeiro e outras tantas, Zé Cláudio foi do tango cantado em espanhol a nossa música de raiz com a mesma desenvoltura.

Polêmico e firme nos seus atos, é considerado como o melhor intérprete galponeiro de todos os tempos no Rio Grande do Sul, porque aliava a estampa gaudéria e a irreverência dos bugres bolicheiros com uma voz de trovão, afinada e retumbante, que acordava as madrugadas campeiras.

Seu velório foi na Câmara Municipal de Vereadores de Guaíba, cidade onde morava. Atualmente, há um movimento de tradicionalistas do município com a intenção de erguer uma estátua ao cantor nesta cidade.

 
 
 
 

segunda-feira, 11 de dezembro de 2017

VENCEDORES DA 40ª CALIFORNIA


 
*Premiação 40a California da Canção Nativa RS*
 
 
CALHANDRA DE OURO: UM HOMEM, UM CAVALO, UM CACHORRO

LINHA MANIFESTACAO RIO-GRANDENSE: UM HOMEM, UM CAVALO, UM CACHORRO
Letra e Música: Silvio Genro

LINHA CAMPEIRA: SOBRA DE BAILE
Letra: Anomar Danubio Vieira
Música: Juliano Gomes

LINHA LIVRE: APRENDENDO A MORRER
Letra: Mauro Ferreira
Música: Luiz Carlos Borges

MELHOR LETRA: APRENDENDO A MORRER

MELHOR INTERPRETE:  SHANA MULLER

MELHOR INSTRUMENTISTA: GUILHERME GOULART

MELHOR MELODIA: AMOR EM TROVA DE LUA

MELHOR ARRANJO: TATUAGENS





 

domingo, 10 de dezembro de 2017

BOLO DE ERVA MATE



Como hoje é domingo, dia sagrado do churrasco, que tal já ir preparando a sobremesa bem gaúcha? Estamos sugerindo o Bolo de Erva-mate, uma iguaria um tanto diferente mas de excelente sabor. Tal receita é originária da região Sul do Estado.
 
 Ingredientes para a massa

 - 3 colheres de erva-mate peneirada
- 4 ovos
- 2 xícaras de farinha de trigo
- 1 xícara de açúcar
- 1 xícara de óleo
- 1 colher de fermento em pó
- 1 xícara de leite morno


Ingredientes para a calda

- 1 xícara de açúcar
- 3 colheres de erva-mate
- 1 xícara de água
Modo de fazer
Para começar, misture todos os ingredientes secos como a farinha de trigo, a erva-mate peneirada e o açúcar. Despeje na batedeira e acrescente o óleo, ovos e o leite morno. Bata até a massa ficar homogênea. Na sequência, coloque o fermento em pó. Misture devagar e despeje a massa em uma forma untada. É importante que o forno esteja pré-aquecido a 180 graus. O bolo deve ficar no forno por 40 minutos.
Enquanto a massa não fica pronta, prepare a calda. Ferva a água misturada com a erva. Coe, e depois cozinhe mais um pouco o líquido só que dessa vez acrescentando o açúcar. Desligue o forno quando a calda engrossar. A dica para não deixar o bolo 'amargo' é não exagerar nas medidas da erva-mate.
Colaboração: Hilton Araldi 

CHASQUE DO MTG


Prova de recuperação para instrutores de dança será dia 17
 
 
O vice-presidente artístico do Movimento Tradicionalista Gaúcho, José Roberto Fishborn, realizará, no dia 17 de dezembro, prova de recuperação para instrutores reprovados nos cursos de danças tradicionais e danças gaúchas de salão realizados em 2017. A ação acontecerá a partir das 8h, na sede do MTG (Rua Guilherme Schell, 60, Porto Alegre).
 
As inscrições devem ser feitas por meio do formuláriohttps://form.jotformz.com/jrfischborn/prova-recuperaca-DGS-DT.

Foto: Aldeia dos Anjos, no Enart 2017 (por Deivis Bueno)

Sandra Veroneze
Assessoria de Imprensa MTG
Cel e Whatsapp: 51 99370 0619
 
 
 

sábado, 9 de dezembro de 2017

ESTEIO DA POESIA


POEMAS CLASSIFICADOS
 
 
 
Depois de lerem e relerem todos os poemas em suas casas, Moisés Silveira de Menezes, Romeu Weber e Sebastião Teixeira Correa definiram, em reunião na Casa de Cultura Lufredina Araújo Gaya, os dez poemas finalistas do 4º Esteio da Poesia Gaúcha. 

O prefeito Leonardo Pascoal e o Secretário de Cultura, Esporte e Lazer, Rafael Figliero, prestigiaram parte do trabalho, mostrando o apoio da Administração ao festival.
 
POESIAS CLASSIFICADAS 

A Chuva dos Livres - Paulo de Freitas Mendonça (São Pedro do Sul)
Aguaceiro - Marcelo Davila (Santana do Livramento)
Apelo - José Luiz dos Santos (Santa Maria)
A Oração da Guitarra - Jurema Chaves (São Leopoldo)
Há Tempos é Assim - Marcos Roberto Paines Nunes Nunes (Curitiba-PR)
No Meio de um Mate e Outro - José Luiz Flores Moró  (Farroupilha)
O Dono de mim - Carlos Omar Villela Gomes e Bianca Bergmam (São Vicente do Sul)
O Duelo de Don Blanco - Danilo Kuhn (São Lourenço do Sul)
Romance do Andarilho com a lua - Rafael Mota Altenburg (Pelotas)
Tudo o que Havia de Bueno - Rodrigo Bauer (São Borja)
 
A final será na noite de 24 de fevereiro, na Casa de Cultura.
 
 

 

sexta-feira, 8 de dezembro de 2017

ESTÁ FAZENDO FALTA !


Bernardino Vendruscolo
 
 
Apesar de polêmico, de comprar brigas com o MTG, o ex-vereador Bernardino Vendruscolo era um tribuno de voz forte, determinado e está fazendo falta na Câmara Municipal de Porto Alegre. Além de seus atributos por ser ferrenho defensor de suas convicções era o único parlamentar municipal voltado para o gauchismo. Diversos projetos de sua autoria como o Parque Temático (Acampamento Farroupilha Permanente), criação do Museu do Gaúcho na casa que serviu de sede ao Partenon Literário e que hoje está entregue aos mendigos, foram aprovados por seus pares e vetados pelo Prefeito Fortunati. Hoje, o tradicionalismo está acéfalo na legislatura municipal.
 
Neste ano de 2017 o Acampamento Farroupilha da capital não contou com recursos públicos e não se ouviu uma voz de ajuda vinda da tribuna da Câmara. Enquanto isto, se depender dos atuais vereadores, a parada Livre de Porto Alegre, uma manifestação justa a LGBT,  pode voltar a contar com apoio da prefeitura. Os vereadores aprovaram uma emenda de Roberto Robaina ao orçamento da cidade que assegura a destinação de R$ 60 mil para o evento. 
 
A emenda ainda pode ser vetada por Marchezan mas, ao menos, houve uma movimentação em defesa deste evento.
 
E os tradicionalistas?
 
   
 
  
 

quinta-feira, 7 de dezembro de 2017

LANÇAMENTO, NO FACE, DO NOVO CD DO


GRUPO MUSICAL CORDEONA
 
 
Lançamento do novo CD do Grupo Cordiona no Facebook.
É hoje, a partir das 20:00h. Você é nosso convidado.
 
 
 

33º RODEIO CRIOULO NACIONAL


DE SANTO ANTÔNIO DA PATRULHA
 

 
PROGRAMAÇÃO ARTÍSTICA
 

A arte, a cultura e as tradições do Rio Grande do Sul estarão mais uma vez em evidência no 33º Rodeio Crioulo Nacional de Santo Antônio da Patrulha, município localizado entre a capital do estado e o litoral norte gaúcho.
 
A programação artística acontecerá nos dias 08, 09 e 10 de dezembro de 2017, no Parque de Exposições do Sindicato Rural, situado na Rodovia RS 030, nº 1515, no distrito de Barro Vermelho.
 
São esperadas as principais invernadas de danças do estado, bem como os mais talentosos competidores individuais, nos concursos das modalidades previstas.
 
Além das provas artísticas, o público poderá apreciar as apresentações especiais das invernadas de danças Mirim e Juvenil do CTG Coronel Chico Borges, entidade promotora do evento.
 
É fundamental salientar que o 33º Rodeio Crioulo Nacional de Santo Antônio da Patrulha conta com os patrocínios de Cartões Banrisul - Seja Vero e Corsan - A Vida Tratada com Respeito - Governo do Estado, Todos Pelo Rio Grande, através da Lei Federal de Incentivo à Cultura - Ministério da Cultura - Governo Federal - Ordem e Progresso.
 
A promoção é do CTG Coronel Chico Borges e a realização é da MJ Produtora de Eventos.
 
Divulgação:
 
Jairo Reis
jairoreisdivulga@gmail.com
(51) 995.634.303
 
 
 
 
 

PROGRAMAÇÃO DA 25ª TERTÚLIA NATIVISTA



Programação da 4ª Tertulinha, da Tertúlia Local e os shows musicais do evento também já estão definidos
 
A Comissão Organizadora da 25º Tertúlia Musical Nativista e da 4º Tertulinha divulgou, nesta segunda-feira (04), a ordem de apresentação das músicas concorrentes do festival. O evento ocorre entre os dias 15, 16 e 17 de dezembro, na Associação Tradicionalista Estância do Minuano, em Santa Maria. antes, no dia 14, serão apresentadas as canções concorrentes da Tertúlia Local, a partir das 20h, também na Estância do Minuano. Além das apresentações que disputam troféus e prêmios, o evento contará com shows musicais de artistas renomados no cenário nativista gaúcho.
 
Na Tertúlia Local, 11 músicas assinadas por intérpretes e instrumentistas de Santa Maria serão apresentadas ao público. De acordo com o regulamento da Tertúlia Local, os destaques classificados em primeiro e segundo lugar, a música mais popular, o melhor intérprete e o melhor instrumentista recebem troféus personalizados. A premiação e divulgação das duas composições mais pontuadas ocorrem na mesma noite. Estas estarão automaticamente classificadas para se apresentarem na Finalíssima da Tertúlia Musical Nativista, em 17 de dezembro, e recebem, a título de premiação, o valor de R$ 2,5 mil cada uma.
 
No dia 15, às 20h, sobem ao palco os concorrentes da categoria Juvenil da 4º Tertulinha e sete das 14 composições que disputam a 25ª Tertúlia Musical Nativista. A noite encerra com a apresentação do grupo Os Fagundes. No dia 16, também às 20h, após as apresentações da categoria Mirim da Tertulinha, outras sete músicas da 25ª Tertúlia serão executadas. O show de encerramento desta noite será com Analise Severo e Jean Kirchoff.
 
Ainda no sábado (16), o público vai conhecer os classificados para a etapa Final do evento, a ser realizada no domingo (17), quando ocorre a apresentação dos intérpretes finalistas Mirim e Juvenil da 4ª Tertulinha e a apresentação das músicas finalistas da 25ª Tertúlia Musical Nativista. O evento termina com a premiação e o show de Miguel Marques.
 
INGRESSOS E CREDENCIAMENTO DA IMPRENSA

 A 25ª Tertúlia Musical Nativista, a 4ª Tertulinha e a Tertúlia Local têm entrada franca, com retirada antecipada de senhas. A previsão é que elas estejam disponíveis na semana de realização dos eventos.
Profissionais de imprensa que desejam realizar a cobertura do evento devem estar devidamente credenciados junto à Comissão Organizadora. Da mesma forma, os veículos de comunicação que tiverem interesse em transmitir o festival ao vivo devem entrar em contato pelo telefone (55) 3921-7081 ou pelo e-mail tertuliasm@gmail.com, até o dia 30 de novembro.
 
25ª TERTÚLIA VAI DISTRIBUIR TROFÉUS E PRÊMIOS EM DINHEIRO

 No total, entre Tertúlia e Tertulinha, a Prefeitura vai distribuir mais R$ 80 mil em prêmios. Aos vencedores da 25ª Tertúlia Musical Nativista serão concedidas as seguintes honrarias:
- 1º lugar: Troféu Minuano + R$ 5 mil;
- 2º lugar: Troféu Amaury Dalla Porta + R$ 4 mil;
- 3º lugar: Troféu Antônio Augusto Ferreira + R$ 3 mil;
- Melhor tema sobre Santa Maria: Troféu Vento Norte + R$ 2 mil;
- Melhor tema Campeiro: Troféu Estância do Minuano + R$ 1.500;
- Música mais Popular: Troféu Imembuí + R$ 1.500;
- Melhor Intérprete: Troféu Cezar Lindemeyer + R$ 1 mil;
- Melhor Letra: Troféu Antônio Carlos Machado + R$ 1 mil;
- Melhor Instrumentista: Troféu Larry Charão + R$ 1mil;
- Melhor Arranjo: Troféu “Coração do Rio Grande” + R$ 1 mil.
 
* Sobre os valores das premiações e/ou ajuda de custo, poderá incidir retenção de impostos, conforme a legislação vigente. Todas as composições participantes da etapa “Finalíssima” serão gravadas em CD e DVD.
 
A 25ª Tertúlia Musical Nativista e a 4ª Tertulinha são promovidas pela Prefeitura de Santa Maria e realizados pela Secretaria de Cultura, Esporte e Lazer e pela Associação Tradicionalista Estância do Minuano, com apoio do Centro de Pesquisas Folclóricas Piá do Sul e da 13ª Região Tradicionalista (13ª RT). Os eventos buscam oportunizar manifestações artístico-culturais, promovendo a integração e troca de experiências entre músicos, poetas, compositores e intérpretes.
 
PROGRAMAÇÃO
 
QUINTA-FEIRA – 14/12/2027

Início: 20 horas
TERTÚLIA LOCAL:
- Apresentação das Músicas Concorrentes
1) A Lágrima (Mateus Brum Huppes / Volmir Coelho)
2) De Sonhos e Lembranças (Alessandro Martins / Cristiano dos Santos Rodrigues)
3) Depois do Apito do Trem (Salvador Lamberty / Pedro Mauro / Rodrigo Raskopf)
4) Do Amor que Vive em Mim (Paulo Ricardo Costa / Regis Reis / Dartagnan Portella)
5) Infância Maneada (Zeca Alves / Diogo Mattos)
6) Meu Rancho (Pedaço de Mundo) (Juliano Costa dos Santos / Igor Tadielo)
7) Meus Fantasmas (Fabricio Vargas / Cassio Figueiró)
8) Quando a Solidão Aperta (Sergio Sodré / Tiago Raskopf)
9) Quarto de Ronda (Jorge Rodrigues / Cícero Fontoura)
10) Descendência (Antonio Augusto Fagundes (In Memoriam) / Junior Benaduce / Julio Pereira)
11) Um Valseado para Vó Quiza (Ramires Monteiro)
- Tertúlia Livre
- Premiação e Divulgação dos Classificados
 
SEXTA-FEIRA – 15/12/2027

Início: 20 horas
4ª TERTULINHA:
- Apresentação dos Intérpretes Categoria Juvenil
1) Cássio Castilhos de Oliveira
Música: Horizontes de Espinhos (Vinicius Pitágoras Gomes / Chico Saratt)
2) Kassia Macedo Costa
Música: Ana Sem Terra (Alci Cheuíche / Marlene Pastro / Roberto Castelarin)
3) Maria Alice Rosa da Silva
Música: Não me Falem da Verdade (Carlos Omar Villela Gomes / Juca Morais / Tuny Brum)
4) Mariana Guedes
Música: Pra Nunca Esqueceres de Lembrar de Mim (Diego Müller / Martin Cesar / Piero Ereno / Diogo Mattos)
5) Murilo Vargas
Música: Orelhano (Mario Eleú Silva)
 
25ª TERTÚLIA MUSICAL NATIVISTA:
- Apresentação das Músicas Concorrentes
1) A Flor do Cardo (Juliano Javoski)
2) Coplas Para Três Marias (Mateus Neves da Fontoura / Juliano Moreno)
3) Sargento Cruz (Rodrigo Bauer / Érlon Péricles)
4) As Alpargatas do Meu Pai (Carlos Omar Villela Gomes / Sabani Felipe de Souza E Kayke Mello)
5) Milonga à Luz da Lua (Eron Carvalho / João Chagas Leite)
6) As Razões dos Estrivos (Flaubiano Lima e Jaime Brum Carlos / Zulmar Benites)
7) As Lições dos Banhados (Silvio Aymone Genro / Pedro Flores)
- Show: Os Fagundes
 
SÁBADO – 16/12/2027

Início: 20 horas
4ª TERTULINHA:- Apresentação dos Intérpretes Categoria Mirim
1) Anita Rodrigues da Rocha
Música: Anita Garibaldi (Alci Cheuíche / Marlene Pastro)
2) Luiz Filipe dos Santos Pavani
Música: Romance para um Novo Amanhã (Rudinei Massaia / Osvaldo Medeiros)
3) Luiza Barbosa Dias
Música: Grão Após Grão (Carlos Omar Villela Gomes / Piero Ereno)
4) Maria Fernanda Costa
Música: Sal e Sangue (Jaime Vaz Brasil / Diogo Barcellos)
5) Vitória de Sá Heck
Música: Clave de Lua (Nilo Bairros de Brum / Miguel Marques)
 
25ª TERTÚLIA MUSICAL NATIVISTA:
- Apresentação das Músicas Concorrentes
1) O Campo (Telmo Vasconcelos / Eduardo Monteiro Silva)
2) Indelevelmente (Carlos Roberto Hahm / Leonardo Charrua)
3) Liturgia Pampeana (Joel de Freitas Paulo / Nirion Machado)
4) No Coração do meu Rio Grande (Caine Teixeira Garcia / Diogo Lopes Barcelos)
5) Dom Destino (Dilan Camargo / Pedro Guerra Pimentel)
6) Campeiro (Arlindo Almeida Junior / Henrique Bagesteiro Fan)
7) Na Escola GrandedDa Vida (Jorge Nicola Prado / Marcos Alves e Jorge Antonio Martins De Almeida)
 
- Show: Analise Severo & Jean Kirchoff
- Divulgação dos Classificados para a Finalíssima
 
DOMINGO – 17/12/2027

Início: 19h30min
4ª TERTULINHA:
- Apresentação dos intérpretes finalistas Mirim (02) e Juvenil (02)
25ª TERTÚLIA MUSICAL
- Apresentação das músicas finalistas (14)
- Show: Miguel Marques
- Premiação e Encerramento
 
 
Texto: Ana Bittencourt (Mtb 14.265)
Imagem: Gibran Carranzoni
Superintendência de Comunicação
Prefeitura Municipal de Santa Maria


 

quarta-feira, 6 de dezembro de 2017

OFICINA "FALANDO EM GAITA"


 
 
Brilhante iniciativa dos grandes gaiteiros Luciano Maia e do proprietário da Casa da Gaita Ponto Orlandinho Rocha. É um evento que todo tocador que está iniciando, e mesmo os mais experientes, deveriam participar.
 
 
 
 

 
 
 

terça-feira, 5 de dezembro de 2017

CONCLUSÕES DE FIM DE ANO - 2017


Por: Jeandro Garcia


 
 
Parte 1 - Eventos

 Por mais um ano tivemos a honra de nos envolver com diversos eventos – não cabem nos dedos de duas mãos – e dá para concluir que a crise abalou a quase todos que observamos pelo estado, os mais preparados, os menos preparados e especialmente os “sempre fizemos assim”.
...
Pelo visto esta fase ferrenha onde muitos estão sem dinheiro e quem tem não quer gastar, vai se arrastar pelo próximo ano.

Então penso para 2018:

- Não faça qualquer evento sem no mínimo 2 meses de planejamento e preparação, menos que isso vai dar zebra. Todos aqueles que avisei que dariam errado pela falta de “antecipação” deram errado e feio em 2017. Eu não acredito em eventos (médio/grandes) com menos que 2 meses isso de preparação e divulgação com pelo menos 30 dias de antecedência.

- Convencer a atração (grupo de baile, show ou qualquer contratado) a cooperar com a divulgação. A má vontade é gritante, na hora de cobrar o cachê todos querem, mas na hora de um simples post na sua fanpage, lhe enviar um vídeo promocional ou algo assim, é uma luta, poucos são bons nisso... “o produtor que se vire”... mas se tu fazes um baile onde a atração é “Os Gaúchos” faça eles te ajudarem a promover ou pense em outra atração. Insista sempre, é teu direito, antes do contrato prometem muito, mas depois os materiais chegam com atraso ou nunca vem.

- Não dá mais para cobrar 30,00 o galeto e salada de repolho, os tempos das vacas gordas se foram, cobre menos e coloque mais gente no evento. Ganhe assim mais no estacionamento, na copa ou outra fonte que gere lucro pelo volume de pessoas. Não explore o público, mas o potencial de público.

- Nunca, nunca mesmo! Diga “Bah! Isso aí vai lotar certo!” ... não, não vai, certo nesta vida é só a morte.

- Para se ganhar dinheiro, tem que investir dinheiro. Invista! O tempo da “faixa na frente do CTG” acabou, faça a faixa, impulsione no Facebook, faça postagens, faça mídias diferenciadas. Mensure e se pergunte: “Se eu gastar R$ 100,00 nisto tenho que vender 5 ingressos de R$ 20,00, consigo? Se a resposta for “sim, isso vende certo 5 ingressos” não pense duas vezes, faça! Se o empate tá garantido, jogue pra ganhar.

- A crise chegou primeiro em quem produz os eventos e depois nos artistas, fornecedores, prestadores de serviços. Afinal o evento é um só, passou, não dá mais para correr atrás. Se falta trabalho para quem presta serviço é porque os produtores já se ferraram muito antes e desistiram de fazer novos eventos... Então em 2018 não esqueça de quem foi bom contigo quando tu estava precisando de bons valores e cooperação na divulgação, pois possivelmente os dois lados agora estarão em dificuldades, e claro, vale em 2018 ser amigo de quem foi amigo já em 2017.

- Evento cheio não é sinal de bolso cheio. Quando no fim do evento tu entrega todo o lucro para os contratados, pode ter sido tudo em vão. A entidade que produz deve ter lucro, ela merece mais que todos, afinal é o único que matou no peito os riscos, se não lucra, fez só para fazer graça para os outros. Não faça por fazer ou sem se preocupar se a entidade terá prejuízo, faça para dar certo! Dê lucro quando visa lucro. Salvo atividades festivas, palestras, confraternizações...

- O sucesso e a qualidade do evento de hoje é o primeiro e grande passo para o sucesso do próximo evento e vice-versa. Não deixe faltar bom atendimento, comida e bebidas... isso é vergonhoso. É o sinal de quem nem tu estava acreditando que seria um bom evento. É muito ruim arrumar a família, chegar no local e não ter mais comida ou ser mal atendido.

- Tudo que está escrito aqui pode ter exceções, mas não se espelhe em exceções, se espelhe em trabalho suado e o que dá certo sem contar com a sorte.

 

 

COMO CANTAVA HONEYDE BERTUSSI:


"JÁ FUI BOM"
 
 
Fui goleiro, sim senhor,
lá do Atlético Serrano,
clube campeão, por dois anos,
do Estadual Amador.
Mesmo tendo algum valor
era baixo pra função.  
Mas, no futebol de salão,
era um gato (na destreza).
Hoje só faço defesas
desta nossa tradição
 
 

CHASQUE DO MTG


MTG publica editais de convocação
para Congresso e Assembleia Eletiva
 
O Movimento Tradicionalista Gaúcho publicou em seu site os editais de convocação para o 66º Congresso Tradicionalista Gaúcho e para a Assembleia Geral Eletiva. Os eventos acontecerão de 12 a 14 de janeiro em São Jerônimo.
 
Segundo o edital da Assembleia Geral Eletiva do Conselho Diretor e Junta Fiscal do MTG, estão convocadas as entidades tradicionalistas a se fazerem representar por seus delegados. O Credenciamento será permitido até as 12hs e o processo eleitoral ocorre entre 14hs e 17hs do dia 13 de janeiro de 2018, sábado, no Ginásio Municipal de Esportes. As chapas deverão ser encaminhadas para registro na Secretaria Geral do MTG, por requerimento de, no mínimo,  dez entidades filiadas efetivas, até oito dias antes da data e hora marcada para a Assembleia Geral Eletiva.
 
Para o Congresso, tradicionalistas interessados em encaminhar proposições têm prazo até o dia 13 de dezembro.
 
Confira os documentos:
Convocação para o Congresso: http://www.mtg.org.br/noticias/385
Convocação para Assembleia: http://www.mtg.org.br/noticias/386

Sandra Veroneze
Assessoria de Imprensa MTG
Cel e Whatsapp: 51 99370 0619
 
 
 

segunda-feira, 4 de dezembro de 2017

35 ANOS SEM GILDO DE FREITAS


 
 
Por: Israel Lopes - Escritor
 
Gildo de Freitas, O Trovador dos Pampas, faleceu no dia 4 de dezembro de 1982, Este foi o primeiro livro escrito sobre GILDO DE FREITAS, O TROVADOR DOS PAMPAS, de autoria do Cel. Orlando Menezes Silveira, o Xiru Vaqueano, que era de Livramento. Foi editado pela Folha Popular, de Santana do Livramento, no "Ano do Jubileu do Tradicionalismo". Então, foi em 1973?. ...Digo, primeiro, porque têm mais quatros livros, sobre O TROVADOR DOS PAMPAS. Gildo de Freitas gravou o seu primeiro LP O TROVADOR DOS PAMPAS, em 1964, através da Continental. Já havia gravado dois discos de 78 rotações. Antes, já tinha músicas gravadas por Ademar Silva (1961), Teixeirinha e Tiarajú (em 1963). GILDO DE FREITAS é um dos ÍCONES DO REGIONALISMO GAÚCHO. Ele e o TEIXEIRINHA continuam VIVOS na MEMÓRIA do POVO GAÚCHO e BRASILEIRO. Gildo de Freitas, além de ser considerado O TROVADOR DOS PAMPAS, também é o REI DO IMPROVISO! Um Mestre no VERSO DE-A-PORFIA!
 
 


32 ANOS SEM TEIXEIRINHA


 
Por: Israel Lopes. Escritor
 
Capa do 1º LP de TEIXEIRINHA, O Gaúcho Coração do Rio Grande, lançado em fevereiro de 1961, através da Chantecler. Teixeirinha, antes do LP, já havia gravado discos de 78 e compactos. Todos com grandes sucessos de vendagens. Teixeirinha faleceu no dia 4 de dezembro de 1985. Ele e o GILDO DE FREITAS são os maiores ÍCONES DO REGIONALISMO GAÚCHO. Teixeirinha continua fazendo... sucesso no Rio Grande do Sul, no Brasil e em outros Países. Suas músicas são tocadíssimas nas rádios e nos programas de televisão. Nas festanças do pago, sempre tem um violonista ou um gaiteiro, interpretando suas músicas. Seus filmes continuam sendo assistidos por milhares de fãs. O seu clássico CORAÇÃO DE LUTO continua fazendo sucesso em todo o Brasil. O xote QUERÊNCIA AMADA tornou-se um clássico do regionalismo gaúcho. Um hino gaudério do nosso Rio Grande do Sul. E, além disso, têm outras músicas que continuam fazendo grande sucesso! TEIXEIRINHA: UM FENÔMENO QUE PERMANECE! O REI DO DISCO no BRASIL! Eu tive o privilégio de pesquisar e escrever um livro sobre O GAÚCHO CORAÇÃO DO RIO GRANDE!
 
 
 
 

REPONTANDO DATAS - 04 DE DEZEMBRO


MORREM GILDO DE FREITAS, TEIXEIRINHA 
E VILMAR ROMERA
 
No inverno de 1958, durante um jantar festivo por parte da direção e funcionários da Viação Férrea na churrascaria Gaúcha de Aquiles Magro, apresentou-se a dupla de cantores Gildo de Freitas na gaita e Teixeirinha no violão que, por vezes faziam parcerias. Notam-se que ambos estão sem pilcha e Teixeirinha usava terno e gravata (Paulo Roberto Magro).
 
Por Israel Lopes. Advogado, escritor e pesquisador Sãoborjense. 

4 DE DEZEMBRO - DIA DO ARTISTA REGIONALISTA GAÚCHO (PATRONO TEIXEIRINHA) E DIA DO TROVADOR GAUCHESCO (PATRONO GILDO DE FREITAS)

Teixeirinha e Gildo de Freitas, os Dois Ícones do Regionalismo Gaúcho, em janeiro de 1989 receberam essa significativa homenagem. A Assembleia Legislativo do Estado aprovou a LEI ESTADUAL Nº 8.814, de autoria do então Deputado e Poeta Joaquim Moncks, que fixou o Dia 4 de Dezembro como Dia do Trovador Gauchesco (Patrono GILDO DE FEITAS) e Dia do Artista Regionalista (Patrono TEIXEIRINHA). Esta Lei teve a iniciativa e o trabalho de pesquisa para o projeto de Lei, realizados pelo tradicionalista Paulo Roberto De Fraga Cirne, sendo o material apresentado para aprovação do então Deputado Joaquim Moncks

A ASSOCIAÇÃO DE TROVADORES LUIZ MÜLLER, de Sapucaia do Sul, foi criada no mesmo ano, 1989, e também todos os anos faz reverências a data, com homenagens aos dois vates e também ao trovador Mário Bandeira, Patrono Espiritual da Entidade, que também faleceu no dia 4 de dezembro.


Então, nesta data, a nossa reverência a esses Artistas da Música Regionalista. Gildo de Freitas faleceu em 4 de dezembro de 1983 e Teixeirinha faleceu em 4 de dezembro de 1985. Eles continuam sendo DOIS GRANDES representantes da MÚSICA REGIONALISTA DO RIO GRANDE DO SUL. Não só no Rio Grande do Sul, mas no BRASIL. Também nossa reverência ao saudoso trovador Mário Bandeira.


Também num dia 04 de dezembro, do ano de 2014, morria o grande tradicionalista, apresentador e um dos maiores incentivadores da Cavalgada do Mar, sendo seu comandante a partir da 5ª edição, Vilmar Romera. ´
 
 
 

domingo, 3 de dezembro de 2017

GAÚCHO SEM A FACA É COMO....


...GAITEIRO SEM GAITA
 
 
Todos sabem que a faca está incorporada a imagem do gaúcho. Nem um campeiro sai para as lides sem seu cachorro e sua faca. Para cortar um arame, falquejar um cabo de relho, picar um naco de fumo, lasquear uma carne gorda....enfim, o "ferro branco" é a extensão do braço do campeiro. Seja ela com cabo de osso, madeira, prata, com lâmina de ferro, mola de carro, aço de primeira, a cortadeira sai das cutelarias direto para a cintura do taura.
 
Eu sou um apaixonado por facas. Tenho coleção. Agora, de pouco, ganhei uma que, segundo os registros, pertenceu ao ex-presidente João Goulart.
 
Pois bueno.
 
Nesta semana foi aprovado pela Comissão de Constituição e Justiça do Senado o PLS 320/2015, proposta do Senador Raimundo Lira (PMDB-PB), que criminaliza o porte de arma branca, baseado em índices de crimes cometidos com tal ferramenta. A pena prevista é de um a três anos de detenção. Há uma ressalva para o "uso em ofício, arte ou atividade para a qual foi fabricado o artefato".
 
Então eu pergunto: - Se aprovado tal projeto como se enquadraria este instrumento na indumentária gaúcha?  Seria, por Lei, abolido? Ficaria como "arte"?
 
 
 

 

sábado, 2 de dezembro de 2017

O GRÊMIO, A INVEJA E O TEMPO


Sobre o mesmo tema de nossa postagem de ontem, descobri no face uma visão lúcida de um ilustre, professor, jornalista, pessoa ligada ao mundo poético, torcedor colorado. Thiago Suman.

Fugimos, um pouco, da temática deste blog, mas quando surge uma opinião sensata sobre o mundo gaúcho que nos rodeia, vale a pena. 


 
O GRÊMIO, A INVEJA E O TEMPO!
 
Sim, os tricolores vivem hoje o apogeu dos anos 2000. O dia mais feliz da vida dos gremistas da minha geração - que ainda não tinham sorvido esse sabor mágico - e a retomada do sentimento da conquista de gerações que estavam com saudade disso.
 
E o destino trabalhou perfeitamente bem pra te dar esse momento com a melhor história pra contar pros filhos.
...
• Teve o maior ídolo na casamata
• Teve clima tenso, arbitragem e imprensa do centro do país contra
• Teve lesão de dois dos principais nomes. O capitão e o camisa 10
• Teve a montagem de time com jogadores renegados e que foram essenciais e protagonistas. Jael, Fernandinho, Cortez, Bressan, Cícero...
• Teve a decisão fora de casa e contra argentino
E pra consagrar isso tudo:
• Teve Inter na série B
• Teve Inter Vice na B.
 
Não te invejo, Grêmio. Mas, te valorizo, pois, no teu período desértico, nós focamos na bola e vivemos tudo isso. Nessa coisa gêmea da gangorra Grenal tem essa armadilha. E nessa época, não te poupamos. Então, pode zoar e cornetar. Vocês acabaram com o planeta, fizeram minuto de silêncio e tudo mais. Eu ri disso. Eu sei o quão gostoso é poder gritar que é campeão. De tanto título, fiquei sem voz, agora é tua vez.
 
Não te invejo, Grêmio. Mas, me inspiro, pois, precisamos de uma gestão tão madura e coesa como a de Romildo, para voltarmos a sermos nós. A bola não entra por acaso e precisamos reconhecer teu sucesso, pra compreendermos onde mexer e como renascer.
 
Não te invejo, Grêmio. Mas, te aplaudo, reconhecendo tua grandeza, que faz de nós dois gigantes e quanto mais tu avança, mais me obriga a correr. Essa nossa dualidade será motor, pois, eu vi teu sofrimento nos últimos 15 anos e não quero esse amargor.
 
Não te invejo, Grêmio. Mas, te sorrio, em respeito e carinho aos meus amigos, familiares e colegas de imprensa que são gremistas.
 
Não te invejo, Grêmio. Mas, te prometo: Tuas façanhas serão lenha na minha fogueira e ressurgiremos apoteóticos pra epopeias de grenal.
 
Não te invejo, Grêmio. Mas, no fundo, invejo um pouco, sim...
 
Passa tempo, gira tempo, voa tempo...