RETRATO DA SEMANA

RETRATO DA SEMANA
Retratista: Desconhecido

EMPEÇANDO A LIDA BLOGUEIRA COM:

terça-feira, 30 de setembro de 2014

A POESIA AGRADECE



Entre poetas, poetisas, recitadores, declamadoras, enfim, num ambiente onde exalava poesia, um dos momentos que mais me emocionou na Sesmaria de Osório foi ver entre tantas pessoas amigas a grande declamadora Priscila Morais (a dieita da foto) plenamente recuperada de um grave acidente. Talvez ela nem me conheça mas sou admirador de seu estilo declamatório e quase me aproximei para dizer-lhe de minha alegria em vê-la ali, naquele meio em que foi criada e no qual angariou sucesso. De toda a forma senti uma satisfação enorme em saber de sua recuperação. A poesia agradece. 


  

MAÇAMBIQUES



Quando a Sesmaria da Poesia Gaúcha de Osório deu o tema para sua 19ª Quadra, despertou-me o interesse. MAÇAMBIQUES. Fui pesquisar e quanto mais estudava sobre este festejo típico da cidade de Osório que visa homenagear os santos negros Nossa Senhora do Rosário e São Benedito, mais eu gostava do assunto. Foi então que resolvi fazer uns versos na métrica Décima Espinela e participar do evento. Para minha sorte, a comissão avaliadora viu algum fundamento em meus versos e, dentre dezenas de concorrentes, acabou escolhendo minha cantoria a qual repasso para os leitores do blog, logo abaixo.

O declamador Neiton Perufo, o tamboreiro Jeferson Lima e o guitarreiro Adão Quevedo defenderam, com muita competência, o poema Maçambiques que acabou levando o prêmio de MELHOR TEMA da 19ª Sesmaria da Poesia Gaúcha de Osório.
MAÇAMBIQUES
- Estou ouvindo os tambores...
... e vem lá do Morro Alto!
Cruzam, no mais, o asfalto
 expressando os seus valores.
São os Reis os portadores
desta ancestral tradição.
Cantos, danças, percussão,
neste festejo que irmana
a pátria-mãe africana
com Osório, meu rincão.     

Vem chamando o vizindário,
entre cortejos e ritos,
pra louvar São Benedito
e a Senhora do Rosário.
Santos Negros, relicários,
do Maracatu e Congado
Dois nomes que são sagrados
nos ranchos de pau-a-pique
que viraram Maçambique
na parte Norte do Estado.

Cada grupo de cantores
tem vinte e quatro integrantes
e a Vara de Dançantes
é dividida por cores
com dois Reis e os seguidores,
guardiões da Padroeira.
A Côrte Maçambiqueira
tem também três Tamboreiros,
os Soldados e o Festeiro,
o Alferes e a Bandeira.

É o passado e o presente
unidos na devoção
peleando contra a exclusão  
destes Afro-descendentes.
São negros remanescentes
dos  Quilombos nas florestas
que vão mantendo o que resta
deste costume qu’encanta,   
pés descalços, roupas brancas,
dançando pagam promessas.

Vem na brisa do oceano
e se esparrama na praça
astrais de louvor e graça
em outubro de cada ano.
No mastro o sagrado pano
vai tremulando em pendão.
Como é linda a evocação
que pelas ruas s’espalha
junto ao som das Maçacalhas,
geração, pós geração.

Mas falta mais atenção,
mais ajuda, mais apoio...
A velha Conceição do Arroio
não pode deixar na mão
quem mantém a devoção
de forma tão verdadeira.
Esta festa é uma bandeira
contra a discriminação social.
É... Patrimônio Imaterial
da Cultura Brasileira!

Mando um recado nas rimas
de bons frutos, bons presságios,
a vila de Caravággio
por sustentarem esta sina.
Ao Antônio, a Severina,
Rei e Rainha, a nobreza,
que tenham “doces nas mesas”,
que não percam seus primores,
que no rufar dos tambores
ecoe força e beleza.

Que na festa que permeia,
o povo traga sua fé,
de Capão, de Maquiné,
Itati, Terra de Areia...
Que as almas fiquem cheias
de amor e contentamento.
Maçambique é um documento
da história desta cidade,
Maçambique é a identidade
da Terra de Todos os Ventos. 

Foi uma honra receber o troféu das mãos do Poeta Homenageado da 
19ª Sesmaria da Poesia Gaúcha, Vaine Darde






segunda-feira, 29 de setembro de 2014

UM DEDO DE PROSA SOBRE A SESMARIA


Na chapa acima alguns dos diversos agraciados com o troféu Sesmaria

Nos festivais de poesia navega pelos ares algo de diferente dos outros eventos. Não sei qual a razão mas a interação entre os participantes é bem maior do que um festival de música,  por exemplo. Claro que todos almejam vencer, mas tenho para mim que isto não é o único motivo desta unção de poetas. Em longos anos de convivência na seara poética não lembro de alguma briga ou consternação por causa de resultados, ao contrário do que ocorre, seguidamente, em outros concursos artísticos.

E a Sesmaria da Poesia Gaúcha, de Osório, que ocorreu em sua 19ª edição neste fim de semana, só veio confirmar isto tudo. Podemos até não concordar com os resultados apresentados pelos avaliadores, pois eles, com certeza agradarão uns e desagradarão outros, mas fica por aí, e o festival, em si, fica para a história. 

A Sesmaria, mal comparando, significa para os demais eventos poéticos, o que a Califórnia da Canção Nativa de Uruguaiana já representou para os festivais nativistas. É o ícone. Muitos eventos tem a Sesmaria como modelo, como meta. Sou coordenador da Tertúlia Maçônica da Poesia Crioula e sei bem do que falo.

O festival realizado em Osório tem um carisma, um charme, uma áurea única. É realizado num local apropriado, de tamanho ideal para um evento desta natureza (Câmara de Vereadores de Osório) com capacidade para 250 pessoas. Nós realizamos a Tertúlia Maçônica no Dante Baroni (Assembleia Legislativa do Estado) com capacidade para 700 pessoas. Na última edição colocamos 500 pessoas na Tertúlia. Aí, tinham duzentas cadeiras vazias e dava um ar estranho. Em suma colocamos o dobro de público da Sesmaria mas o clima era outro...

Também tenho minhas dúvidas em relação a produtividade dos participantes quando tal tipo de evento é realizado em Centros de Tradições ou mesmo em ginásios, em face de que o público não se concentra e poesia..... é poesia. 

Outros festivais do gênero estão a caminho e isto é muito bom como resgate desta arte tão bonita e tão importante dentro do regionalismo riograndense. Dentro deste contexto estou levando muita fé na 1ª Tertúlia da Poesia de Santa Maria, que tem à frente os meus amigos Carlinhos, Fabrício Vargas e Paulo Ricardo Costa.

Quero, enfim, dar os parabéns ao Eduardo Aluísio Abrahão, Prefeito Municipal de Osório, a Liege Ferreira, Secretária de Cultura, ao Dinarte Lima, Presidente da Associação Cultural Sesmaria, ao Nézio Dias Marçal, ao Julio Cesar Ribas e ao Airton Machado (Tio Ito), responsáveis diretos por mais esta bela edição que foi a 19ª Quadra da Sesmaria da Poesia Gaúcha. 

Paulo Ricardo Costa, Paulo Ricardo dos Santos, Léo Ribeiro, Cândido Brasil, Jurema Chaves, Fabrício Vargas, Neiton Perufo - a convivência entre os vates é o melhor do festival.






domingo, 28 de setembro de 2014

VENCEDORES DA 19ª SESMARIA DA POESIA


1º Lugar:  Dos Memoriais De Um Tropeiro Na Rota Dos Maçambiques

1º Lugar Poesia: DOS MEMORIAIS DE UM TROPEIRO “Na Rota dos Maçambiques”
Autor: Luiz Lopes de Souza
Declamadores: Paulo Ricardo dos Santos e Érico Machado Bastos
Amadrinhadores: Mário Tressoldi e Mário Duleodato

2º Lugar Poesia:
AS MÃOS DO MEU AVÔ
Autor: Paulo Ricardo Costa
Declamador: Fabrício Vargas
Amadrinhador:Kayke Mello

3º Lugar Poesia: QUANDO A ALMA ENTENDE O VERSO
Autores: Joseti Gomes e Alberto Sales
Declamador: Luis Afonso Torres
Amadrinhador: Marcus Morais

1º Lugar Intérprete: Liliana Cardoso
Poema:Soneto das Saudades

2º Lugar Intérprete: Jair SilveiraPoema: 

De Potros e Gineteadas

3º Lugar Intérprete: 
Arielton Carvalho
Poema: A Montanha do Tio Anco

1º Melhor Amadrinhador: Mário Tressoldi e Mário Duleodato
Poema: Dos Memoriais de Um Tropeiro "Na Rota dos Maçambiques".

2º Melhor Amadrinhador:
Geraldo Trindade
Poema: A Montanha do Tio Anco

3º Melhor Amadrinhador:
Kayke Mello
Poema: As Mãos do Meu Avô

Melhor Tema “MAÇAMBIQUES” 
Autor: Léo Ribeiro
Declamador: Neiton Perufo
Amadrinhador: Adão Quevedo 



sábado, 27 de setembro de 2014

CONCORRENTES DA SESMARIA DA POESIA




O mundo da poesia gaúcha, hoje a noite, volta seus olhos para Osório,
 mais precisamente para a Sesmaria da Poesia Gaúcha,
 evento que ocorre em sua 19ª edição. 

POESIAS CONCORRENTES

01 - TEMA: MAÇAMBIQUES
Autor: Léo Ribeiro de Souza
Declamador: Neiton Perufo
Amadrinhador: Adão Quevedo

02 - QUANDO O DIA OLHA P’RA DENTRO
Autor:Cândido Brasil Declamador: Cândido Brasil
Amadrinhador: Lucas Brasil

03 - A MONTANHA DO TIO ANCO
Autor: Carlos Omar Villela Gomes
Declamador: Arielton Carvalho
Amadrinhador: Geraldo Trindade

04 - O HOMEM DENTRO DO ESPELHO
Autor: Bianca Bergmam
Declamadora: Bianca Bergmam
Amadrinhador: Geraldo Trindade

05 - AS MÃOS DO MEU AVÔ
Autor: Paulo Ricardo Costa
Declamador: Fabrício Vargas
Amadrinhador:Kayke Mello

06 - DOS MEMORIAIS DE UM TROPEIRO “Na rota dos maçambiques”
Autor: Luiz Lopes de Souza
Declamadores: Paulo Ricardo dos Santos e Érico Machado Bastos
Amadrinhadores: Mário Tressoldi e Mário Duleodato

07 - MINHAS BONECAS
Autor: José Luiz Flores Moró
Declamadora: Priscilla Alves Colchete
Amadrinhadores: Grace Nardes, Sergio Nardes, Ana Serafini, Paulo Coelho e Lenonn Farias

08 - QUANDO A ALMA ENTENDE O VERSO
Autores: Joseti Gomes e Alberto Sales
Declamador: Luis Afonso Torres
Amadrinhador: Marcus Morais

09 - PRA OS QUE DÃO VIDA A POESIA
Autor: Sebastião Teixeira Corrêa
Declamador: Carlos Aurélio Weber
Amadrinhador: Clênio Bibiano da Rosa

10 - SONETO DAS SAUDADES
Autores: Everton Michels e Robson Fogaça
Declamadora: Liliana Cardoso
Amadrinhador: Marcus Morais

11 - DE POTROS E GINETEADAS
Autores: Cristiano e Adriano Medeiros
Declamador: Jair Silveira
Amadrinhador: Gustavo Campos
 

sexta-feira, 26 de setembro de 2014

"MAL" DE PARCEIROS


 ....UMA BARBARIDADE


Amanhã, dia 27, estaremos batendo os costados nas bandas de Osório, a Cidade de Todos Os Ventos, para apreciar mais uma Sesmaria da Poesia Gaúcha, agora em sua 19ª Quadra. Esse evento poético é um dos mais conceituados do Rio Grande do Sul. Seu palco é ambicionado pelos maiores poetas, declamadores e amadrinhadores desta Província de São Pedro.

O poeta homenageado desta edição será o grande Vaine Darde. Duzentas e trinta poesias foram inscritas e onze tiveram o privilégio de serem classificadas pelo corpo de avaliadores constituído por Pedro Junior da Fontoura, Omair Trindade e  Claudio José Martins.

Por sorte, tive um poema de minha marca classificado entre os que subirão ao palco e, de lambuja, já ganhou o prêmio de Melhor Tema do Festival, intitulado MAÇAMBIQUE.

De minha parte penso que o "recado" já está dado, pois só em participar deste evento e rever os amigos já é um prêmio. De toda a forma, vamos lá tomar um mate, prosear um pouco e dar uma "chuleada".

O brabo é que "tô mal" de parceria. Quem vai declamar meu verso simplesmente é o grande Neiton Perufo (foto acima) e no amadrinhamento meu fraterno amigo e consagrado compositor Adão Quevedo (foto abaixo). Ainda teremos um tamboreiro para dar ritmo ao Maçambique. Oiga-lê Rio Grande Véio.    




CÚMULO DO PERFECCIONISMO, MAS....


......MONUMENTO É MONUMENTO

Me chamem de chato, pois reconheço que sou, mesmo. E por isso fico bem quietinho. Vou lhes contar porque estou tocando nesta prosa:

Ontem a tarde, dando minha campereada pelo facebook vi um anúncio de meu amigo Valter Fraga Nunes, um divulgador do tropeirismo, aqui de Viamão, sobre a venda de um monumento. Aí, resolvi entrar no link para ver detalhes da venda e conhecer o escultor e seu trabalho.

Ele se chama Ladislau Chary filho. É um autodidata, paranaense de origem, 57 anos, descendente de húngaros e conta com seus trabalhos em diversos municípios do Brasil e exterior dominando perfeitamente a técnica da cera perdida, desenvolvida com grandes mestres na Itália. Seus trabalhos são muitos bonitos e beiram a perfeição e são executados através de fotografias, somente sendo fundidos definitivamente após a aprovação de quem encomenda a obra,isto ainda na fase de modelagem.

O trabalho que está a venda é este das fotografias, intitulado, O Tropeiro, e aí é que entra a minha chatice.

Com certeza tal obra foi elaborada tendo por base elementos fotográficos, só que as fotos são flagrantes, são momentos, e uma estátua ficará para sempre em algum pedestal bem visível.  Então, o cuidado tem que ser redobrado.

Digo isto porque este tropeiro em questão segura as rédeas (que ainda nem foram colocadas) com a mão direita e o relho, ou soiteira, ou arreador (como fala o serrano), com a mão esquerda. Isto até seria provável se o tropeiro em questão fosse "canhoto" o que não é o caso (pela posição do laço).

Isto tudo deveria ser corrigido pelo escultor. No entanto, estes pequenos detalhes não lhe retiram sua enorme qualidade como grande artista. É que sou detalhista (e chato) mesmo.         




quinta-feira, 25 de setembro de 2014

O SOM ENSURDECEDOR DOS CONJUNTOS



CTGs e grupos: Sei dançar, mas aprecio uma boa prosa

Me lembro quando seu Waldemar Alchieri me contou uma história, de quando quase colocou um técnico de som pela janela do CTG, devido a insistência no exagero do volume do baile. Isso lá pelos anos 80. Hoje em dia se ele estivesse jovial e ativo na administração com certeza haveria uma pilha de técnicos lançados por ela.

Alguns CTGs e principalmente grupos perderam a noção de que o baile não é só para dançar, mas principalmente para rever amigos, conversar, socializar mesmo! Todos conversam, o dançarino, quem não dança, o novo, o velho, o patrão, quem trabalhou... todos! Até mesmo os surdos conversam! Então porque temos que encerrar nossas conversas de mesa quando começa o baile? Terá a gauchada que aprender a linguagem dos sinais?

Falta sensibilidade e até mesmo visão de negócio, pois quando cessam as conversas o baile fica monótono e a tendência é que se vá mais cedo embora. Afinal quem vai embora quando o papo está fervendo na mesa?? Quanto mais tempo, mais se consome, mais bonito fica o baile... todos ganham. É desanimador ter que conversar individualmente, gritando já, assuntos que seriam agradáveis a todos os amigos da mesa. Quando ficamos um olhando para a cara do outro já está selada a hora em que alguns irão abandonar o baile.

Os argumentos são dos mais variados: “Nosso som distorce se baixa” ou “O baile fica caído”. Bobagem. Nos bailes que eu participei da organização sempre pedi para os grupos maneirarem no volume e até já fui à mesa de som pedir para baixar, sem ameaçar ninguém com a famosa janela do seu Alchieri e fui bem atendido, e os mais baixos foram os bailes com mais público no final e amplamente elogiados. Eu nunca vi alguém reclamar que um baile estava ruim, pois o som era baixo.

Patrão é quem manda no baile, não é o grupo, cada um sabe o tamanho do seu galpão e o quanto é necessário para dançar e para conversar. Baile não é só dança, também é ambientação e local de encontro. Se você tem que chegar a orelha de alguém para conversar é porque já está demais. Som baixo também ajuda a evitar problemas com vizinhos. Todos têm a ganhar, pense nisso.

Aos grupos, quanto melhor vocês tocarem o que menos importará será o som alto, o contrário também é válido.

Jeândro Garcia



DEPARTAMENTO DE NARRADORES DO MTG


NOTA DE ESCLARECIMENTO

Diante das matérias e comentários veiculados pelas redes sociais e em determinados veículos de comunicação a respeito da Assembleia Geral Extraordinária do Departamento de Narradores do MTG do Rio Grande do Sul, esclareço o seguinte:

1. O Departamento existe desde o ano de 2002, ou seja, há mais de 12 anos e o seu Regimento Interno foi elaborado e proposto pelos próprios narradores e aprovado pelo Conselho Diretor do MTG;

2. O Regimento prevê que os narradores credenciados possuem a exclusividade de narração dos rodeios, festas campeiras e torneios de laço das entidades filiadas ao MTG, o que soma a mais de 600 atividades por ano;

3. O Regimento também prevê que as entidades que não contratarem os narradores credenciados ficam sujeitas à punições previstas no Regulamento Geral do MTG;

4. Em contrapartida os narradores credenciados abdicam de narrar em eventos promovidos por não filiados, exceto no caso das associações de criadores de cavalos, ficando sujeitos às penalidades de Regimento, no caso de  descumprimento;

5. Neste ano de 2014 ocorreram alguns casos de descumprimentos e que envolveram 12 narradores, de um total de 188. Esses narradores foram ouvidos, tiveram oportunidade de ampla defesa e foram julgados sendo punidos com suspensão do direito de narrar por prazos entre 30 e 180 dias;

6. Quatro dos narradores punidos apresentaram recursos contra a decisão da Diretoria e Conselho do Departamento o que ensejou uma apreciação pela Assembleia Geral do Departamento realizada neste dia 23 de setembro;

7. A Assembleia Geral dos narradores decidiu por manter as penalidades aplicadas pela Diretoria e Conselho, em procedimento que teve recurso escrito, oportunidade de defesa oral pelos narradores recorrentes, relatório apresentado por membro da assessoria jurídica do MTG e liberdade de  manifestação dos narradores reunidos em assembleia geral.

8. Registra-se que a Diretoria do Departamento e o seu Conselho se compõe de narradores eleitos por seus pares. Somente o Diretor é nomeado pelo Presidente do MTG e, mesmo assim, é um membro do próprio Departamento, portanto tudo é realizado de forma clara, transparente e de acordo com o Regimento Interno que é conhecido de todos.

9. Qualquer tentativa de vincular os procedimentos do Departamento de Narradores à determinada entidade ou de reduzir a questão a imaginárias desavenças pessoais é uma forma de atrapalhar as atividades de um Departamento que sempre agiu com lisura e de forma a cumprir as normas combinadas e, como diz o gaúcho: “O que é combinado não é caro”.

Porto Alegre, 23 de setembro de 2014
Flavio Marcolin
 
 

1º ESTEIO DA POESIA GAÚCHA


 Secretaria de Cultura lança 1º Esteio da Poesia Gaúcha

A secretária municipal de Arte e Cultura, Ângela Ruas, aproveitou o grande público que foi prestigiar a Semana Farroupilha na noite de sábado (20) para fazer o lançamento do 1º Esteio da Poesia Gaúcha, festival que nasce com o objetivo de colocar o Município no circuito dor promotores de uma das principais artes do Estado. Acompanhada do declamador Paulo Roberto Domingues Vargas, que está organizando o evento, Ângela entregou o cartaz do festival aos coordenadores dos departamentos culturais das entidades tradicionalistas de Esteio e convidou a todos para participar. Depois, Paulo Vargas declamou a poesia Enigma dos Cerros, de José Carlos Andrade Pereira (Curitiba/PR), que venceu como melhor poema e melhor declamador na 5ª Tertúlia Maçônica da Poesia Crioula de Porto Alegre, ocorrida no final de agosto.

Até o dia 30 de novembro, poetas de todo o país podem inscrever trabalhos inéditos que versem sobre a cultura gaúcha, história, usos, costumes e outros temas que tratem do homem do Rio Grande do Sul. As inscrições e entrega dos poemas podem ser feitas pelo e-mail esteiodapoesia@gmail.com, diretamente ou com o envio dos trabalhos pelos Correios para a Casa de Cultura Lufredina Araújo Gaya (Rua Padre Felipe, 900 – Centro – CEP: 93.265-011 – Esteio/RS).

Na noite de 27 de fevereiro de 2015, dentro da programação em comemoração anos 60 anos de Esteio, em um evento na Casa de Cultura, serão apresentadas as 10 poesias selecionadas pela comissão avaliadora para o festival, uma promoção das secretarias municipais de Arte e Cultura (SMAC) e de Comunicação Social (SMCS). Serão premiados, com troféus e premiação em dinheiro, os três melhores poemas, os três melhores declamadores e os três melhores amadrinhadores (músico que acompanha o declamador na apresentação). A melhor poesia do festival recebe R$ 500. Já o melhor declamador e amadrinhador ganham R$ 300 cada. Além disso, todas as 10 poesias selecionadas para a final recebem uma ajuda de custo de R$ 300.

Na final, também vão ocorrer shows com artistas locais na abertura e um show de encerramento com cantor ou grupo nativista/regionalista de projeção estadual (os nomes estão sendo definidos).

1° Esteio da Poesia Gaúcha
Período de inscrições: Até o dia 30 de novembro de 2014
Local: Pelo e-mail esteiodapoesia@gmail.com e Casa de Cultura Lufredina Araújo Gaya (Rua Padre Felipe, 900 – Centro – Esteio – CEP: 93.265-011)

Premiações

Poesia
1º lugar – R$ 500 e troféu
2º lugar – R$ 300 e troféu
3º lugar – R$ 200 e troféu

Intérprete (declamador)
1º lugar – R$ 300 e troféu
2º lugar – R$ 200 e troféu
3º lugar – R$ 100 e troféu

Amadrinhador (músico)
1º lugar – R$ 300 e troféu
2º lugar – R$ 200 e troféu
3º lugar – R$ 100 e troféu


quarta-feira, 24 de setembro de 2014

BALANÇO DO ACAMPAMENTO



Acampamento Farroupilha de 2014 recebe 1 milhão de pessoas


O Acampamento Farroupilha, edição 2014, recebeu pelo menos 1 milhão de pessoas. O cálculo é da equipe de organização do evento, a partir do público presente nas atividades culturais, campeiras e também nas oficinas realizadas entre os dias 7 e 20 de setembro. O dia de maior movimento foi o 20 de setembro, quando aproximadamente 180 mil pessoas circularam pelo parque. Estima-se que parcela expressiva deste público tenha se constituído de participantes e espectadores dos desfiles cívicos, temático e tradicionalista, que aconteceram pela manhã na Av. Edvaldo Pereira Paiva.

Um dos destaques das atividades do acampamento foi a Ciranda Escolar, que atendeu no total 17 mil crianças. As atividades artísticas, com como dança, declamação, chula, musical, oficinas de dança e brincadeiras, bem como contação de histórias e teatro - todas com temas que enalteceram a cultura gaúcha - atraíram o público de mais de 100 escolas. Municípios como Porto Alegre, Viamão, Osório, Gravataí, Alvorada, Guaíba, Canoas, Roca Sales marcaram presença na atividade, com alunos do ensino primário e fundamental e também com necessidades especiais.

O cheirinho característico e permanente de churrasco do Parque Harmonia confirma nas estatísticas o sucesso da gastronomia gaúcha. Somente de costela foram assadas 35 toneladas, nos mais de 350 piquetes e restaurantes espalhados pelo parque.

Segundo o presidente do MTG, Manoelito Savaris, a avaliação quanto ao Acampamento Farroupilha 2014 é positiva, com destaque para a qualidade da segurança, realizada pela Brigada Militar, Polícia Civil e empresa particular contratada. ‘Não tivemos nenhuma ocorrência grave no período de atividades, garantindo assim tanto aos acampados como ao público um ambiente tranquilo e propício para a integração e convivência, cultivando nossas tradições”, afirma.

As oficinas e atividades abertas do projeto Turismo de Galpão, que permitiram aos visitantes do Acampamento Farroupilha vivência direta com as manifestações, hábitos e costumes dos gaúchos em 53 piquetes, tiveram a participação de 1,1 mil pessoas até as 15h deste domingo, 21, último dia do evento. As oficinas de gastronomia, de chimarrão e de danças gaúchas foram as mais procuradas. O número dessa edição supera os 400 participantes da grande festa da cultura gaúcha de 2013 e os cerca de 800 turistas brasileiros e estrangeiros que integraram as atividades oferecidas pelo projeto durante o Acampamento Extraordinário da Copa 2014.

O Galpão da Hospitalidade, a Secretaria Municipal de Turismo recepcionou 21.260 pessoas, das quais 76% gaúchos de 40 cidades do Rio Grande do Sul, 21% turistas de 20 estados brasileiros e 3% visitantes estrangeiros, de 20 diferentes nacionalidades. Estiveram no parque pessoas da Colômbia, México, Japão, Estados Unidos, Peru, Palestina, Chile, Bolívia, França, Portugal, Argentina, Uruguai, República Tcheca e outros países.

Atenciosamente,

Sandra Z. Veroneze

Pragmatha Laboratório de Ideias & Gestão de Projetos
Sandra.veroneze@pragmatha.com.br
Twitter: @sandrazveroneze
www.pragmatha.com.br
51 3573 3455 / 9370 0619


DE PAI PARA FILHO




Esta montagem possui uma grande simbologia pra mim. A primeira é a foto que sempre representou a minha page Cultura Gaúcha, que tantas alegrias me deu.

Nesta foto está o sr. Alfeu Rogrigues dos Santos, dançarino do maior grupo de projeção folclórica do RS, Os Muuripás.

E nas outras fotos está o seu filho, meu novo amigo Marco Santos, e Clívia Espinosa, que ao nos visitarem no piquete La Pampa Gaucha, não tive duvidas em refazer a antiga foto de seu pai... foto que percorreu o mundo divulgando a nossa cultura.

Por demais emocionante. E ainda quero que façamos outra mais parecida ainda. Grande abraço amigos, e obrigado pela realização de um sonho e de ter vocês aqui como grandes amigos!

Jeandro Garcia