RETRATO DA SEMANA

RETRATO DA SEMANA
Retratista: Lucas Vallim de Souza

EMPEÇANDO A LIDA BLOGUEIRA COM:

quinta-feira, 24 de julho de 2014

SHOW BENEFICENTE...


....DE LUIZ MARENCO E WALTER MORAIS
na Paróquia Santa Isabel, em Viamão


Neste domingo, 27 de julho, os cantores LUIZ MARENCO e WALTER MORAIS estarão realizando um show, sem cobrança de cachê, para levantar fundos e manter os projetos sociais da ASSI - Associação de Assistência Social de Santa Isabel, em Viamão (RS). A Associação trabalha com 300 crianças e adolescentes através de centros sociais de acolhida e oficinas de reforço escolar, cidadania e inserção no mercado de trabalho. O evento, que é comemorativo ao aniversário de 51 anos da ASSI, será às 20h30, no Salão de Festas da Paróquia Isabel, que fica na Avenida Liberdade, 1827, no bairro Santa Isabel, em Viamão (RS). Mais informações podem ser obtidas junto ao presidente da ASSI, padre Valdir Formentini, através do telefone (51) 9967.2635. 


​Atenciosamente,

Daiana Silva
Jornalista

​​51 8187.0085 (Claro)
51 9604.0085 (Vivo)

ARIANO SUASSUNA - LÁPIDE




LÁPIDE

Quando eu morrer, não soltem meu cavalo
nas pedras do meu pasto incendiado:
fustiguem-lhe seu dorso alardeado,
com a espora de ouro, até matá-lo.

Um dos meus filhos deve cavalgá-lo
numa sela de couro esverdeado,
que arraste pelo chão pedroso e pardo
chapas de cobre, sinos e badalos.

Assim, com o raio e o cobre percutido,
tropel de cascos, sangue do castanho,
talvez se finja o som de ouro fundido

que, em vão – sangue insensato e vagabundo —
tentei forjar, no meu cantar estranho,
à tez da minha fera e ao sol do mundo!

Ariano Suassuna
João Pessoa, 16 de junho de 1927 — Recife, 23 de julho de 2014




 

TROFÉU CAMPEÃO DO ENART EM DEBATE


Por: Jeândro Garcia




Afinal, para que incentivar os individuais no ENART?

Alguns devem lembrar, há 1 ano atrás aprovei na 78ª Convenção Tradicionalista a proposta que criava o “Troféu de Campeão do ENART”, que visava premiar a entidade com maior número de pontos entre todas, com o principal objetivo de incentiva-las a investirem e formarem mais participantes nas categorias individuais. Este troféu daria muita importância para aquela que mais qualificou seus tradicionalistas, e não apenas para aquela entidade que vence as danças tradicionais, como acontece hoje.

Pois bem, uma nova proposta visa simplesmente derrubar este troféu, que foi aprovado por UNANIMIDADE em  2013, sem nem ao menos ainda ter sido implantado (seria este ano). Um dos argumentos é que o ENART é uma competição a nível regional, mas quem forma os competidores??? A entidade. Quem precisa de incentivo para qualifica-los? A entidade. Então por que só pensar na região? Além do mais o troféu da melhor região permanecerá.

Esta nova proposta além de retirar este incentivo aos individuais, não trás nenhuma nova alternativa para este problema, que é sabido por todos: a extinção dos individuais em diversas categorias. Um dos argumentos é um possível investimento pesado de entidades maiores, mas não é isso que procuramos? Entidades que valorizem mais categorias? Além do mais os maiores “pontuadores” no ENART não tem sido entidades de destaque ou de grande poder aquisitivo, mas entidades menores com diversos talentos.

Quando fiz minha apresentação, outros interlocutores exaltaram: “um jovem tomar a atitude de ir ao congresso e defender sua proposta”, eu como jovem me sinto desiludido, aprovei uma proposta de maneira unânime, e agora ela corre o risco de se perder. Respeito muito o proponente (que votou a favor ano passado), mas uma proposta como a minha, para ser alterada, deveria vir com alguma alternativa de incentivo a todas as categorias e não simplesmente ser cortada.

Alias, outra proposta aprovada em 2013, o mesmo proponente quer mudar, que era a divisão da gaita em masculina e feminina, agora querem derrubar unificando novamente! 

Mas de que valem as convenções? Se antes mesmo de algo entrar em vigor, já se cria uma proposta para derrubar aquilo que já foi amplamente debatido e votado.

Meu vídeo de apresentação da proposta: http://www.youtube.com/watch?v=tNbgu2B2Aqw

A atual proposta (2014): 

JUSTIFICATIVA
Em virtude do ENART ser um concurso de disputa entre as regiões tradicionalistas, não cabe a este a premiação à entidades, entendemos que o reconhecimento as entidades deve ocorrer na esfera regional, cabendo inclusive a RT definir a adoção de alguma premiação em reconhecimento a participação destas.

Minha proposta aprovada em 2013:

Titulo: Criação do “Troféu Campeão do ENART”
Descrição: Criação de um novo troféu no ENART, de Campeão do ENART (ano realizado), que irá premiar a entidade que possuir mais pontos na somatória geral de todas as modalidades.
Visando fomentar o incentivo aos individuais e unir seus esforços aos Grupos de Danças Tradicionais em torno de um grande objetivo, ser o “Campeão do ENART”.
Viabilizando assim que mais entidades almejem ser o grande destaque do ENART, mesmo que não possuam o melhor grupo de Danças Tradicionais, mas possuam bons talentos também somados com seus individuais.

Justificativa:
- Valorizar as entidades que mais se destacaram no ENART como um todo
- Incentivar a valorização e surgimento de novos talentos nas modalidades individuais
- Incentivar a união entre as modalidades dentro da própria entidade, onde passarão a apoiar-se plenamente em busca do grande troféu.
- Aumentar a qualidade dos competidores, já que as entidades estarão incentivadas a colocar participantes mais preparados.
- Aumentar o número de participantes em cada categoria, visando à soma de pontos para sua entidade.
- Tornar o ENART ainda mais um grande festival de arte gaúcha, comprometido na valorização de seus competidores e com o cultivo das nossas tradições, em todas as modalidades que compõe o evento.




Nota do Blog: Não estamos habilitados a votar na Convenção Tradicionalista, contudo, se tivéssemos esta oportunidade não daríamos apoio a esta nova proposta que visa derrubar a anterior.

O Tradicionalista Jeândro Garcia tem toda a razão em almejar valorizar as entidades, afinal cada uma delas, em conjunto, formam o todo. O que seria dos frutos sem os gomos que lhe completam?

Além disto, o raciocínio de Jeândro Garcia é lógico. Vejam bem: Se o CTG Aldeia dos Anjos (ou qualquer outro da 1ª RT) vence as Danças Tradicionais, o que realmente aparece em destaque é... O CTG Aldeia dos Anjos, e não a 1ª Região Tradicionalista. Só não teria sentido o Troféu as Entidades se houvesse uma “seleção” de pares das invernadas da 1ª Região, como ocorre na Festa Campeira onde o prêmio maior  vai para a “seleção” de laçadores de cada região.




quarta-feira, 23 de julho de 2014

DO GRANDE SANTIAGO



SHOW BENEFICENTE NATIVISTAS SOLIDÁRIOS


 

"A solidariedade, palavra que sempre fez parte da poesia da vida e que há cada dia ganha formas mais belas"...
 
O Primeiro show ja foi um sucesso, as dependência do Piá do sul ficou pequeno para tanta gente e o Segundo estará vindo ai, será no dia 30 de Julho, no Clube Comercial, centro de Santa Maria, mais um show de talentos e solidariedade, com grandes músicos da música Nativista do Rio Grande do Sul, tudo isso em proll do nosso amigo LUIZ CARLOS RANOFF - Ithi - que infelizmente perdeu tudo em um incêndio, mas que com fé e força dos amigos, vai se reerguer e voltar para os palcos, fazer o que sempre fez com maestria, que é nos encantar com seu talento.
 
Os ingressos a partir de sexta no Clube Comercial e nos locais indicado no cartaz!....
 
Fonte: Blog Entre Mates e Guitarra / Paulo Ricardo Costa
 
 

REGULAMENTO DA BAQUERIA DE LOS PIÑARES



Regulamento em:  www.vacaria.rs.gov.br


 

UM CHASQUE PRO REVOREDO



UM CHASQUE PRO REVOREDO
(Léo Ribeiro)

Ao Roberto Revoredo, 
que hoje lança esta obra:
- Nossa alegria redobra
e a alma faz um gritedo.
Nunca fizemos segredo
das virtudes deste hermano 
que labuta, há mais de ano,
neste galpão sem janelas...
Abraços da Sentinela
a este obreiro peruano!




terça-feira, 22 de julho de 2014

PREGAÇÃO DA IGNORÂNCIA!



Lendo as proposições expostas no blog do Rogério Bastos a serem apresentadas e votadas na 79a Convenção do MTG, que acontece em Caxias do Sul, no próximo sábado e domingo, fiquei entre decepcionado e preocupado. 

Decepcionado pela pobreza das sugestões apresentadas e preocupado com o absurdo de algumas outras como esta do ex-secretário-geral do movimento, Hélio dos Santos Ferreira, que propõe diminuir em 10 pontos o peso da prova escrita de conhecimentos (que já é baixo). 

Numa época em que se luta para incluir no currículo escolar do Estado uma cadeira sobre a tradição gaúcha (e muitos municípios já estão adotando) vem as inteligências raras atirando nos próprios pés e dando vasa para que a juventude não estude, não pesquise sobre sua própria cultura, sobre a formação de seu povo. Nossos heróis, nossos poetas, nossos folcloristas, todos que lutaram pelo resgate e engrandecimento de nossas tradições, agradecem.     

Vejam a preciosidade do argumento do ex-secretário: “Até que ponto é determinante para a manutenção do tradicionalismo todo esse conhecimento exigido dos nossos jovens, do que adianta termos um “cérebro privilegiado” que gabarita uma prova, e mal sabe montar a cavalo, ou sequer tem um conhecimento prático da vida campeira?”.

Mas pelo amor de meus filhinhos! Quem disse que uma coisa exclui a outra? Não dá para ser campeiro e saber da sua história, de seus costumes, de si mesmo? Isto é uma pregação da ignorância!

Mas quando uma proposta que elimina o uso correto da língua portuguesa já foi aprovada, não se pode esperar mais nada.  

E não me venham com o argumento que a prova escrita espanta os candidatos pois isto não é verdade. O que afugenta os jovens vai muito mais além e merece um estudo aprofundado (e que a própria convenção poderia encarregar-se disto).

E o engraçado disto tudo é que tal proposta recebe a seguinte designação:  Proposição "Cultural" Nº 17

Mas quando a "Liberação da Manta Gel" em substituição do baixeiro, do chergão, nas provas campeiras, passa a ser uma proposta fundamental numa Convenção Tradicionalista, dá para se concluir que a coisa está osca.... 



segunda-feira, 21 de julho de 2014

GRANNNNNDE ABRAÇO, DANI!



Está de aniversário, hoje, minha afilhada Daniela Santos Pinto, filha dos meus compadres Giselda e Aloir. São dezenove anos de beleza, gauchismo e alegria. Que tenhas sempre contigo muita luz e muita força. Grannnde abraço. 



E POR FALAR EM PRENDA BONITA...


... Clarissa Lima de Lima, a partir de ontem, e depois de largo tempo sem ter uma prenda de São Francisco de Paula nos representando, passa a ostentar a faixa de Prenda Juvenil da 27ª Região Tradicionalista. Sou testemunha de seu trabalho, de sua dedicação, de sua competência e por isso afirmo que tal premiação é mais do que justa. Parabéns, Clarissa, e a todos que se dedicaram por este objetivo. E agora é tentar ganhar o Estado.  




A QUEM JÁ PASSOU DOS 40


LEMBRAM DA REVISTA "O CRUZEIRO"?

O Amigo da Onça (na foto com temática gauchesca) era um personagem da revista O Cruzeiro (ver matéria abaixo) que sempre aprontava para algum parceiro. Se ontem foi o Dia do Amigo, não devemos esquecer que hay, por aí, diversos "Amigos da Onça".

O Cruzeiro foi uma revista semanal ilustrada, lançada no Rio de Janeiro, em 10 de Novembro de 1928, editada pelos Diários Associados, de Assis Chateaubriand. Carlos Malheiro Dias foi seu diretor no período de 1928 a 1933, sendo sucedido por Antonio Accioly Netto1 . Era a principal revista ilustrada brasileira da primeira metade do século XX1 . Deixou de circular em julho de 1975.

Estabeleceu uma nova linguagem na imprensa brasileira: inovações gráficas, publicação de grandes reportagens, ênfase ao fotojornalismo . Fortaleceu a parceria com as duplas repórter-fotógrafo, a mais famosa sendo formada por David Nasser e Jean Manzon que, nos anos 40 e 50, fizeram reportagens de grande repercussão.

A revista deixou claro em seu primeiro editorial que se diferenciava de suas “irmãs mais velhas que nasceram das demolições do Rio Colonial”, colocando-se na vanguarda da modernidade aliando seu nome a tecnologias modernas: “O Cruzeiro encontrará ao nascer o arranha-céu, a radiotelefonia e o correio aéreo”.

Em 1941, O Cruzeiro também passou a ser o nome da Editora do grupo Diários Associados6

Entre seus diversos assuntos, a revista O Cruzeiro contava fatos sobre a vida dos astros de Hollywood, cinema, esportes e saúde. Ainda contava com seções de charges, política, culinária e moda.

Cobrindo o suicídio de Getúlio Vargas em agosto de 1954 a revista atingiu a impressionante tiragem de 720.000 exemplares. Até então, o máximo alcançado fora a marca dos 80.000. Daí em diante, o número se manteve.

Nos anos 60, O Cruzeiro entrou em declínio por má gestão, com o desuso de suas fórmulas e o surgimento de novas publicações, como as revistas Manchete e Fatos & Fotos. O fim da revista aconteceu em julho de 1975, com a consagração definitiva do instantâneo meio televisivo em favor dos impressos e o fim do império dos Diários Associados de Chateaubriand.





RESULTADO DO POUSO DE TROPA




O 1º Pouso de Tropa da Canção Nativista foi realizado nos dias 18 e 19 de julho, na cidade catarinense de Curitibanos. O festival aconteceu no Palco Cultural da 24ª Expocentro, tendo como apresentadora a sempre competente Analise Severo. 

As 20 canções concorrentes passaram pela análise dos jurados Daniel Torres, Erlon Péricles, Ernesto Fagundes, Maria Luiza Benitez e Vaine Darde,  que definiram os destaques do evento. 

Confiram:

Primeiro Lugar: Destino Estradeiro
Letra: Maximiliano de Moraes
Melodia: Cristiano Fantinel
Interpretação: Cristiano Fantinel

Segundo Lugar:  De Onde o Biriva Partiu
Letra: Rômulo Chaves
Melodia: Samuca do Acordeon
Interpretação: Jean Kirchoff

Terceiro Lugar:  Meu Chão Sagrado
Letra: Elton Saldanha
Melodia: Elton Saldanha
Interpretação: Ricardo Porto

Melhor Letra: Sonho Canaã - José Cesar Matesick
Melhor Melodia:  Destino Estradeiro -  Cristiano Fantinel
Melhor Instrumentista: Samuca do Acordeon -  De Onde Partiu o Biriva
Melhor Intérprete: Cristiano Fantinel – Destino Estradeiro
Mais Popular: Guamirim Sapecado
Letra: Renato Gomes
Melodia: Renato Gomes

Fonte: Jairo Reis / blog Ronda dos Festivais