RETRATO DA SEMANA

RETRATO DA SEMANA

COMEÇANDO A LIDA BLOGUEIRA COM:

domingo, 19 de abril de 2015

PRA UM FUNDO DE CAMPO


 
PRA UM FUNDO DE CAMPO
(Léo Ribeiro)

Na costa de um mato num fundo de campo
é onde me acampo e vivo feliz
depois de andejar por tudo qu’é canto
num fundo de campo finquei a raiz.
Aqui eu escuto murmúrios do vento,
de tarde os lamentos do velho bugio,
durmo na varanda se o calor aperta
e um fogo é a coberta pras noites de frio.

Abri uma roça num morro taludo
e plantei de tudo, mão boa me sobra,
atei uma cerca com junco e taquara
que juro não vara nem corpo de cobra.
A água que bebo vem lá da vertente,
na volta da gente tem fruto maduro.
Assim é que vivo num fundo de campo
com mil pirilampos ponteando o escuro.

Aqui eu não vejo as mazelas do mundo
e cada segundo demora a passar,
e quando a tristeza vem lá na cancela
espanto com ela me pondo a cantar.  

Num fundo de campo me encontro comigo
num simples abrigo que é casa e galpão,
um leite bem gordo da primeira ordenha,
e um corte de lenha dentro do capão.
A velha bombacha cheia de remendo
não troco e não vendo e não tiro por nada,
nos pés eu carrego um par de alpargata,
na cinta uma faca em rebolo afiada.

E quem quiser ver onde mora essa cria
e a barra do dia aponta mais cedo
me faça visita, eu fico faceiro,
num upa, parceiro, "carneamo" um borrego. 
Só não me convidem pra vir pra cidade,
termina amizade m’empaco num banco.
Das lides povoeiras eu sou ressabiado,
eu fui falquejado pra um fundo de campo.



NO DIA DO ÍNDIO AS IMAGENS DIZEM TUDO



Antes da Guerra Guaranítica onde lusos e espanhóis uniram-se para praticar uma das maiores covardias que se tem notícia na história da formação do Rio Grande, os índios viviam assim, como nesta gravura acima (tribo charrua). Livres a andejar pelos pastiçais. Caçando, pescando, cuidando do gado, numa harmonia entre terra e gente e num modelo de sociedade tão perfeita que até hoje não conseguimos chegar nem perto.
 
Nos tempos de agora, o que vemos são índios mendigando pelas esquinas, esquecidos, abandonados nos beirais das estradas, sob tetos de lona, numa pobreza de dar dó. Aonde estão nossas autoridades, políticos, enfim, todos nós, brancos, que expulsamos estes primitivos de seu próprio chão? Não podemos criticar os massacres norte-americanos aos seus nativos em seus festejados filmes de "mocinhos" sem antes vasculhar nossa memória e pedir penitência pelo que fizemos e continuamos fazendo. 

Foto: Léo Ribeiro

COMEÇA SEMANA DE ANIVERSÁRIO DO "35"



sábado, 18 de abril de 2015

PAULLO COSTA LANÇA NOVO CD



Aí está a bonita capa e o encarte do novo CD (autoria de Eduardo Rocha) do grande cantor Paullo Costa, cria de Carlos Barbosa, com longo tempo de estrada. Ainda não escutei as composições inclusas no repertório mas, com certeza, deve vir chumbo grosso porque o Paullo sempre se faz acompanhar por bons músicos e autores da primeira linha. 

O trabalho intitulado De Alma, Campo e Saudade que chegará ás lojas no fim do mês tem a produção musical de Nelcy Vargas e trás o selo da Gravadora Vertical. Sucesso, meu amigo velho.





RONDA GAÚCHA, DESTE DOMINGO


NA ULBRA TV




sexta-feira, 17 de abril de 2015

O QUE "PODE" TER ACONTECIDO


NO 31º REPONTE DA CANÇÃO DE SÃO LOURENÇO

  
Já que a Comissão Organizadora do 31º Reponte não vem a público se manifestar sobre as polêmicas levantadas por diversos participantes em relação as notas distribuídas, vamos fazer um exercício de imaginação sobre esta salada de mondongo. 

Na "minha" opinião pode ter sucedido o seguinte:

Na hora da avaliação final (domingo a noite), após aquela mistureba de notas, números depois da vírgula, fechamento, somatório, arranjo, melodia.... e o show de encerramento terminando, a hora do resultado chegando, o suor pingando e nada da contabilidade fechar, alguns jurados misturando critérios dos dois festivais (Reponte e Pérola), outros não, então, combinaram o seguinte: - Vamos fazer no velho estilo da "maioria vence", que é mais simples e mais rápido. Qual música tu gostou mais? Qual o Melhor Intérprete? Qual a Melhor Letra?

E assim foi. Mandaram a planilha as favas pois sua apuração precisa de tempo, de gente experiente no programa Excel auxiliando no trabalho e resolveram o assunto por acordo das partes.

O problema é que esta vontade das maiorias NUNCA vai fechar com as dezenas de notas lançadas em todos os quesitos como previa o regulamento do festival.

E no momento que algum concorrente pediu as planilhas para analisar sua nota, deu no que deu. 

Exemplo típico foi o caso que nos remeteu o compositor Alan Otto Redu, de Canguçu, que teve a maior nota no quesito letra mas não levou o prêmio. Ganhou quem tinha a quarta maior nota.... 

"Venho através deste expressar também o meu e o descontentamento do parceiro de arte Martim Cesar Gonçalves, pois ficamos também sem entender o que houve com nossa letra, haja vista, que foi a mais votada segundo a planilha do referido festival. Segue:

MÚSICA: CUANDO UMA PLAZA LLORA
 
AVALIAÇÃO - DOMINGO, 12 DE ABRIL DE 2015
 
MÉDIAS
LETRA
9,00 
 
JURADO: PEDRO MUNHOZ
LETRA
9,00
JURADO: NILTON JUNIOR DA SILVEIRA
LETRA
9,00
JURADO: MARCELO DELACROIX
LETRA
9,00

E para a nossa surpresa e de alguns mais, a melhor letra do festival é

MÚSICA: ACORDA BRASIL
 
AVALIAÇÃO - DOMINGO, 12 DE ABRIL DE 2015
 
MÉDIAS
LETRA
8,33 
 
JURADO: NILTON JUNIOR DA SILVEIRA
LETRA
8,50
JURADO: MARCELO DELACROIX
LETRA
8,50
JURADO: PEDRO MUNHOZ
LETRA
8,00"


Não esqueçam. Isto é só um exercício de imaginação. Mas estou "quente" ou não?




 


         

quinta-feira, 16 de abril de 2015

POLÊMICAS E MAIS POLÊMICAS



Pensei bem antes de fazer esta postagem porque, por diversas vezes, compus comissões de festivais e sei das dificuldades desta tarefa.

Contudo, ao que parece, o Reponte da Canção, um dos maiores festivais nativistas do Estado, que aconteceu no fim de semana em São Lourenço do Sul, ainda vai dar muito pano para mangas e nosso blog não pode deixar de explanar tais manifestações e ficar alheio a este processo.

Tudo começou com o pronunciamento escrito do músico lourenciano Adão Quevedo, levantando uma questão que, no mínimo, causa estranheza. Vejam o que desabafou Adão Quevedo:

"Bueno, recebo as planilhas do 31º Reponte, que numa atitude de transparência e respeito aos artistas, divulga as notas de cada jurado. Parabéns à organização. Mando minhas singelas composições para bem poucos festivais, porque moro longe da maioria e hospedar-me 3 dias, computando gasolina, pedágio e alimentação, é preciso quase pagar para participar isso, quando classifico, pois a qualidade das composições inscritas está a cada dia melhor e não é fácil passar nas triagens. Então avaliando o comportamento individual de cada jurado em relação a cada composição, desta edição, notei que alguns mantêm a média das notas com equilíbrio, entre uma e outra apresentação: outros, chegam a uma diferença, que no mínimo deixa alguma reticência... Participo, sempre, respeitando meus parceiros e amigos, alguns viajam de longe e doam-se com sua honestidade e talento e o resultado, em primeiro lugar, é a satisfação do convívio e de subir ao palco com toda dedicação à obra. Música é arte, não é competição, no entanto há que se ter critério e não podemos deixar que brinquem com nossa obra e desrespeitem os artistas que fazem um trabalho sério com dedicação e isenção... quando nos dispomos a participar sabemos que seremos avaliados, e que a opinião de cada avaliador é pessoal e subjetiva, porém quando essa opinião muda, drasticamente de um dia para o outro, sendo que as apresentações foram equilibradas ou, até melhoraram segundo a opinião de todos, que não são leigos, inclusive jurados da edição anterior do festival, ficamos pensativos quanto ao critério e opinião utilizados... 

Notem a diferença...

Notas de sábado para nossa composição “No passo das lavadeiras”

Jurado: Ângelo Franco – Músico, compositor, arranjador e cantor.

                Letra    Mel.   Interp   Arran.   Palco   Total

SÁB:         9.0      9.0     9.0         9.0        9.0       9.0

DOM:        9.0     9.0     9.10       9.0        9.0       9.10
 
Jurado: Cristiano Vieira – Músico, compositor, arranjador e cantor.

               Letra   Mel.   Interp.    Arran.   Palco   Total 

SÁB:        9.6     9.4      9.5          8.9        8.9      9.44

DOM:      9.6     9.4      7.0          6.0        7.0      8.40
 
Jurado: Xiru Antunes - Poeta

              Letra    Mel.    Interp.    Arran.   Palco   Total

SÁB:      9.7      9.4         8.8         8.8       8.1       9.13

DOM:    9.7      9.4         4.3         4.4       4.6       7.49
 
Será que estou equivocado? Ou ocorreu algo estranho com minha composição de um dia para o outro?...

 
Mais uma vez ressalto a coragem da organização em divulgar as notas, exemplo que deveria ser seguido por todos os festivais do Estado, inclusive para conhecermos melhor quem está nos avaliando..."
 
Pois bueno.

Logo em seguida um novo posicionamento lança dúvidas sobre o quesito "ineditismo", mas não deixa dúvida alguma sobre apropriação intelectual e falta de ética de um concorrente. Bombeiem o que escreveu o também músico Don Douglas Borges:

"Engraçado, a dois anos atrás fiz uma musica e descubro que agora já tá até no Reponte da Canção nativa, e por surpresa a música nem se quer é inédita. "Pode isso Percival?" Segundo a comissão pode, mas segundo o art. 6 do festival não." 

Tal composição já circula há mais de ano no facebook. É só conferir:

https://www.youtube.com/watch?v=2IAxvwwhJh4

Fizemos contato com o músico Don Douglas Borges para autorização de postagem e assim nos respondeu:

Show de bola, qualquer info que tu precisar para que seja acrescentado é só me mandar um chasque aqui. Situação bastante desconfortante o que aconteceu, e a impotencia que agente se sente é muito ruim . Só tenho a agradecer por existir pessoas como você e alguns amigos que estão dando força nesta causa. Um prazer te conhecer, boa tarde meu galo

Pois bueno II

Mais uma das dezenas de manifestações, agora do músico Danilo Kuhn

Foram disponibilizadas aos compositores participantes do 23º Pérola em Canto (Repontinho) e do 31º Reponte as planilhas com as notas dos jurados, onde consta a avaliação dos mesmos em cinco quesitos: letra, melodia, intérprete, arranjo, e palco. A minha composição em parceria com o Dr. Eduardo Kern, "No Garrão do Continente", interpretada por Fabiano Bacchieri II, concorrente do 23º Pérola em Canto, recebeu a maior média no quesito "Arranjo", no somatório das notas dos jurados. No entanto, a mesma não recebeu o prêmio de "Melhor Arranjo" do referido festival (a composição premiada obteve a quarta melhor média neste quesito). Em respeito aos músicos responsáveis pelo arranjo, eu e o Dr. Eduardo entramos em contato com a Comissão Organizadora, a qual nos respondeu que: "O programa disponibilizado aos jurados serve para determinar a vencedora em cada linha (no caso do Pérola em Canto). As demais premiações atribuídas pelos jurados são fruto do consenso após a discussão entre os jurados das duas linhas. Neste caso a planilha serve apenas como um indicativo". Muito que bem. Ainda assim, parabéns aos meus amigos e grandes músicos Maykell Paiva II, Everson Maré II, Fernando Saalfeld e Davi Hackbart Covalesky, não pela premiação de "Melhor Arranjo", que não obtivemos, mas pela maior média neste quesito, que, infelizmente, não foi suficiente para levarmos o troféu! VIVA À ARTE! O RESTO, FAZ PARTE!

Nota do blog: 

Nossa teoria de que talvez a organização tenha repassado aos jurados que o "nível" de avaliação para o 23º Pérola Encanto (Repontinho ou fase local) fosse um e do 31º Reponte (fase geral), fosse outro, cai por terra ao perceber que um dos jurados deu até nota maior no domingo para a canção de Adão Quevedo, oriunda da citada fase local. Então, realmente, ficamos sem entender a metodologia da análise.

Também temos sérias dúvidas sobre a efetividade da fórmula da composição do júri do Reponte, ou seja, a escolha por voto popular normalmente visa mais as amizades, sem ser levado em conta o conhecimento técnico. Já ganhei, por  três vezes, a Música Mais Popular do Ronco do Bugio, e duas delas não tinham nada de popular. Ganhei porque era de lá (de São Chico de Paula).

Mas o debate em bom nível é sempre proveitoso para o aprimoramento de nossos festivais.









 

JANTAR DO CTG GLAUCUS SARAIVA


NO GRÊMIO EXPEDICIONÁRIO GERALDO SANTANA

Fotos: Liliane Pappen
 


O Grêmio Sargento Expedicionário Geraldo Santana, de onde é filiado ao MTG o CTG Glaucus Saraiva, organiza anualmente a "Semana Cezimbra Jacques". Neste ano o evento contou com a participação do 6º Entrevero da Cozinha Gaúcha, com cozinheiros e cheffs convidados.

O presidente do MTG, Manoelito Carlos Savaris, acompanhado de sua esposa, Odila Paese Savaris, prestigiaram o evento, bem como o advogado, blogueiro, chargista, poeta e compositor, Léo Ribeiro de Souza, com sua esposa e filha.
 
Nota: Agradecemos aos amigos do MTG pela gentileza da deferência a nosso respeito. Muito obrigado.




 
 
 
 
 
 
 

quarta-feira, 15 de abril de 2015

PRA UM FIM DE TARDE CHUVOSO


UMA CANTORIA DE GALPÃO DO MESTRE TADEU MARTINS





AS SERVENTIAS DA CHAIRA



 Foto: Ronaldo Bernardi / ZH

A foto acima retrata um pouco do que foi a confusão pelo Dia Nacional de Paralisação onde funcionários públicos de todo o país cruzaram os braços em protestos contra a lei das terceirizações, o que afetará diversos serviços.

No flagrante colhido hoje no clarear do dia, um taura pilchado, contrário a paralisação, enfrenta motoristas, cobradores e funcionários da Carris, em frente a garagem da empresa municipal de ônibus, em Porto Alegre. Até aquele momento o índio vai floreando só a chaira. Não precisou puxar da "foia". Contudo, conta quem viu, depois destes retoços o valente apanhou mais que boi na canga. Mas deixou sua marca nuns cinco ou seis...





  

UMA COZINHA "HORS CONCOURS"


Osvaldo, este blogueiro, Barreto, Mateus, e Riboli 

Hors concours é uma nomenclatura de origem francesa, (pronuncia-se: ór concur) significa: fora da competição, fora do concurso. O termo é usado para algo excepcional que vai ser apresentado numa exposição, num concurso, sendo, apesar da subjetividade, considerado de qualidade superior.

Pois a rapaziada da foto, que compõe a cozinha da Terceira Inspetoria de Contabilidade e Finanças do Exército, são hors concours e grandes responsáveis por este blogueiro carregar 110 kg no lombo. Esses meninos são de qualidade superior no preparo de uma bóia.

Ontem a noite, no 6º Entrevero da Cozinha Gaúcha, uma bela promoção do CTG Glaucus Saraiva, do Clube Grêmio Expedicionário Geraldo Santana, entre as diversas cozinhas concorrentes, eles, que já vinham de um tricampeonato e dois vices, tiraram o terceiro lugar. Terceiro lugar na opinião respeitável dos jurados, porque na minha (e de muitos outros), foram os primeiros novamente.


O prato preparado foi o Tri Gaúcho e eu tive a honra de fazer a apresentação em versos, desta preciosidade gastronômica.


TRI GAÚCHO

No Entrevero de Cozinhas,
em noite de integração,
eu faço apresentação
desta bóia campeirinha.
Meio quilo de galinha,
charque, bacon e linguiça.
Quando a fome nos atiça,
enquanto "tomamo" um mate,
vai a cebola, os tomates,
tempero, queijo em fatias,
tudo com amor e alegria
para agradar o meu buxo.
Seu preparo não tem luxo:
Refoga as carnes, por fim,
mescla um purê de aipim
e tá pronto o TRI GAÚCHO.

Parabéns a esta equipe dedicada da Terceira Inspetoria, principalmente ao seu Mestre, Sargento Osvaldo. Cozinhar um dia é uma coisa. Preparar a bóia diariamente, para cinquenta pessoas, há mais de vinte anos, é outra bem diferente. Tem que ter café no bule....
  
   

  

CANTO MISSIONEIRO É ADIADO




A Prefeitura de Santo Ângelo e a comissão organizadora do Canto Missioneiro da Música Nativa, decidiram pela transferência da 8ª edição do festival  para os dias 10,11 e 12 de setembro de 2015.

A medida teve que ser adotada em razão de diversos fatores, sendo o principal a exiguidade de tempo para  captação de patrocínios, tendo em vista que o projeto cultural, enviado ao Sistema Pró Cultura RS, foi aprovado somente há poucos dias.

Em consequência desta determinação, a data limite para envio de inscrições ao festival, igualmente foi prorrogado para o dia 22 de maio de 2015.

A comissão avaliadora continua com os mesmos integrantes:  Claudino de Lucca, Dionísio Costa, Edgar Prestes, Èrlon Péricles e Robledo Martins.

Estas definições valem também para o 7º Canto Piá Missioneiro, certame exclusivo para jovens intérpretes.

Outra resolução importante adotada pela comissão organizadora do Canto Missioneiro é a fixação da data do evento no mês de setembro, sempre no final de semana anterior ao início da Semana Farroupilha. Diante disto, a data do 9º Canto Missioneiro já está definida para os dias 8, 9 e 10 de setembro de 2016.



terça-feira, 14 de abril de 2015

CLASSIFICADAS DA 25ª TAFONA




da Canção Nativa de Osório-RS

01 - Exílio
Letra:Rafael Machado
Melodia: Roberto Borges
Ritmo:Milonga

02 – Na estrela tão bonita que eu te dei
Letra: Olgi Zauza
Melodia: Piero Ereno
Ritmo: Canção

03 – Página 12
Letra: Bianca Bergmam
Melodia: Tuny Brum
Ritmo: Canção

04 – Bandona e Cordeona
Letra: Wilson Vargas
Melodia: Sérgio Rosa
Ritmo: Chamamé

05 – Gira que Gira
Letra: Caio Martinez
Melodia: Adriano Sperandir
Ritmo: Maçambique

06 – Festa da Mãe Sereia
Letra: Loreno Santos e Patrícia Camargo
Melodia: Loreno Santos
Ritmo: Maçambique

07 – Mirada de Piedra
Letra: Alex Silveira
Melodia: Miguel Dario Diaz
Ritmo: Zamba

08 – Espelho Quebrado
Letra: Martím Cesar
Melodia: Pedro Guerra Pimentel
Ritmo: Milonga

09 – Alma leve de mar
Letra: Bruna Siganski Chaves Rômulo Chaves
Melodia: Robledo Martins II
Ritmo: Valseado

10 – O naufrágio do Bento Gonçalves
Letra: Douglas Teixeira dos Anjos e Rafael Fofonca Pires
Melodia: Douglas Teixeira dos Anjos e Rafael Fofonca Pires
Ritmo: Litorâneo

11 – Destino
Letra: Gujo Teixeira
Melodia: Luciano Maia
Ritmo: Milonga

12 – Ama de leite
Letra: Heleno Cardeal
Melodia: Heleno Cardeal
Ritmo: Candombe

FONTE: http://www.rodeiodeosorio.com.br/…/classificadas-para-a-25…/