RETRATO DA SEMANA

RETRATO DA SEMANA
Retratista: Desconhecido

EMPEÇANDO A LIDA BLOGUEIRA COM:

sexta-feira, 1 de agosto de 2014

CHEGA AGORA, EM AGOSTO!!!



POETA AURELIANO DE FIGUEIREDO PINTO


 Aureliano de Figueiredo Pindo, ao centro, de óculos,
nos seus tempos na Escola de Medicina

Na data de hoje, dia 1 de agosto, comemora-se 116 anos de nascimento daquele que considero o maior poeta gauchesco, Aureliano de Figueiredo Pinto. No texto abaixo, postamos uma bela pesquisa elaborada pelo tradicionalista Hilton Araldi sobre este vate riograndense.

Aureliano de Figueiredo Pinto é, indiscutivelmente, um dos maiores poetas nativista de nossa terra, de todos os tempos. Com seu vigoroso regionalismo, o nosso idioma, longe de empobrecer-se, adquiriu novas e cintilantes riquezas.

Seus poemas, nascidos das vivências campeiras, com invernos, tropeadas, rondas, noites longas, chimarrão, e outros temas rudes e belos. São sempre, impregnados de comovente humanismo e iluminados pelo sol de sua fulgurante cultura. A divulgação de seus versos magistrais é, pois, exigência imperiosa de todos os que cultuam as letras pampeanas e que amam nossa Querência.

Nada, nos seus versos, do apenas fácil e pitoresco que caracteriza uma boa parte de poesia gauchesca. A poesia de Aureliano Figueiredo Pinto, profundamente ligada a terra, tem uma extraordinária densidade humana, assumindo sua temática, em muitos passos, o sentido de um canto geral que transcende o mero regionalismo. Poucos livros refletem com mais autenticidade o homem e a paisagem do Rio Grande do que estes "Romances de Estância e Querência".

Aureliano de Figueiredo Pinto nasceu em 1º de agosto de 1898, na fazenda São Domingos, município de Tupanciretã, filho de Domingos José Pinto e de Marfisa Figueiredo Pinto. Exerceu o ofício de médico, mas por essência foi poeta e escritor.

O processo de alfabetização inicia-se em 1904 quando recebeu aulas de sua mãe, quatro anos depois no colégio Santa Maria em Santa Maria, seguiu seus estudos, de onde enviou a sua mãe seus primeiros poemas.

Aureliano inicia ali seu martírio, sua ressurreição e sua glória: escrever.

Aos 17 anos, nasceu uma grande amizade com Antero Marques. Antero seria, pela vida afora companheiro, crítico e confidente a dividir aulas, pensões, ruas, e uma infinidade de cartas. Iniciam as discussões políticas, literárias e filosóficas, que os levariam a participar da Revolução de 30. Passou a residir em Porto Alegre 3 anos mais tarde, onde prepara o vestibular para Direito, que trocaria mais tarde pela Medicina. Os poemas escritos em meio às anotações escolares antecediam sua estréia com poemas publicados no jornal Correio do Povo, com pseudônimo e nome próprio e nas revistas Kodak e A Máscara, um ano mais tarde.

Amigos passam a classificar seus poemas entre as correntes simbolista e parnasiana. Entre as anotações de aula, Aureliano escreve o poema Gaudério, que marcaria sua vinculação com o nativismo. Anos depois, Gaudério e Toada de Ronda seriam musicados por João Fischer. Segundo testemunhas de Antero Marques, Raul Bopp, entusiasmado com a produção do poeta diria que "Bilac assinaria estes versos" O poema Toada de Ronda é considerado o marco inicial da poesia nativista no Rio Grande do Sul.

Em 1924, parte para o Rio de Janeiro estudar Medicina, lá cursa o primeiro e o segundo ano e retorna a Porto Alegre. Lê Paja Brava, do Viejo Pancho, que marcará sua produção artística, e também livros de poetas regionalistas uruguaios e argentinos, que o influencia a escrever poemas em espanhol. Em 1926, volta aos estudos de Medicina no Rio de Janeiro, mas no mesmo ano retorna a Porto Alegre. Somente em 1931, conclui o curso de Medicina, e logo abre seu consultório em Santiago. Abre o coração aos campos e aos tipos humanos que o povoam.

A partir dali o trabalho de médico rouba-lhe o tempo de leitura e criação. Passa a fazer viagens ao interior do município, atendendo a chamados médicos e fica com os peões tomando mate e ouvindo causos.

Três anos mais tarde por falta de dinheiro dos clientes para compra de remédio, suas práticas médicas são interrompidas. Aureliano cria um código que é colocado nas receitas, para que fossem debitadas para alguns de seus amigos. Nessa época, seus poemas são datilografados por Túlio Piva, para quem produz textos para serem lidos na rádio local.

Em 1937, já com quase 40 anos, passa a dirigir o Posto de Higiene de Santiago. Anos mais tarde, seria o fundador do Hospital de Caridade. Casa com Zilah Lopes, em 29 de dezembro de 1938 com que tem 3 filhos. Em 1941, troca Santiago por Porto Alegre, assume a subchefia da Casa Civil do interventor Cordeiro de Farias. Fica poucos meses no cargo e retorna a Santiago.

Em 1956 inicia a reunir e selecionar seus poemas,espalhados entre amigos, para publicá-los em livros. Seu filho José Antônio vai à Editora Globo e ali espera até ter em mãos dez volumes de Romances de Estância e Querência – Marcas do Tempo o primeiro livro publicado de Aureliano de Figueiredo Pinto.

Aureliano vem a falecer em 22 de fevereiro de 1959 com câncer. Em 1963, é publicado "Ad Sodalibus" pela Livraria Sulina, seu segundo livro de poesias Romances de Estância e Querência – Armorial de Estância e Outros Poemas. Em 1974, é publicada pela Editora Movimento, a novela Memórias do Coronel Falcão. Em 1975, Noel Guarany recebe autorização dos familiares do poeta para musicar Bisneto de Farroupilha e Canto do Guri Campeiro.

Pesquisa realizada por Hilton Luiz Araldi 

quinta-feira, 31 de julho de 2014

CAVALGADA DOS CAMINHOS POMERANOS


12º ENDURO TURÍSTICO DA FAMÍLIA COSTA DOCE


Será realizado neste final de semana (01,02 e 03 de agosto) o 12º Enduro Turístico da Família Costa Doce – Associação Cavaleiros da Costa Doce, em São Lourenço do Sul/RS. O percurso será pelo Caminho Pomerano, um roteiro de turismo rural em meio à natureza e centenas de edificações centenárias que representam a cultura e os costumes do povo alemão-pomerano. Inscrições e mais informações podem ser obtidas pelos telefones (53)32234258, (53)91033410 ou pelo e-mail
carlos@cavaleirosdacostadoce.com.br.
Com o objetivo de divulgação e preservação das raízes, usos e costumes do gaúcho, a Associação Cavaleiros da Costa Doce reúne amantes da cultura do Estado, através do lazer e conteúdo histórico, envolvendo o turismo rural e a integração entre cidade e o interior.
A cavalgada é uma parceria entre Associação Cavaleiros da Costa Doce, Prefeitura Municipal através da Secretaria de Turismo, Indústria e Comércio de São Lourenço do Sul e Agência de Desenvolvimento do Turismo na Costa Doce.
Jeândro Garcia
Comunicação ACCD




JOCA MARTINS NO GALPÃO CRIOULO


EM CANELA


Amigos, o cantor Joca Martins participará no próximo domingo, 3/8, da gravação do programa Galpão Crioulo, em Canela / RS. Estão todos convidados para fazer parte desta grande festa!

O quê: Gravação do programa Galpão Crioulo em Canela / RS
Data: 3 de agosto de 2014 (domingo)
Local: Palco em frente à Catedral de Pedra - Canela / RS
Horário: Às 15h (Em caso de chuva, o evento será transferido para o Centro de Eventos, às 19h).

O programa irá ao ar no dia 10 de agosto, na RBS TV!

Foto: Arquivo / Joca Martins

​Atenciosamente,

Daiana Silva
Jornalista



PROVÍNCIA DO QUERO-QUERO, DE GRAVATAÍ,


No XXII Festival de Folclore da Relva,em Portugal 

Amigo Léo, divulgo que o DTG Província do Quero-Quero, da Casa Açoriana do RS, com sede em Gravataí/RS, está em Portugal para apresentações da cultura gaúcha em festivais em além mar!
Peço que divulgue aos teus amigos de além mar e por aqui, pois o grupo viaja com dificuldade, por ser amador, dependendo de folgas (dos patrões) e de grana.... pra ficar 14 dias por lá!

Cícero Augustus Chemin

O DCG Província do Quero-Quero inicia daqui poucas horas a viagem para participar pela segunda vez do excelente Festival da Relva. Será um orgulho muito grande retornar ao convívio destes amigos passados doze anos de nossa primeira actuação.

O Festival de Folclore da Relva é com certeza um dos principais encontros folclóricos que os Açores realiza. Estão desde já de parabéns todos os organizadores e colaboradores para que este evento aconteça.

Estaremos representando o sul do Brasil com danças gaúchas mostrando o legado cultural que o próprio povo açoriano trouxe para cá a mais de 260 anos.

Nosso grupo recentemente completou 30 anos de fundação e esta será nossa 18ª viagem internacional, onde participamos de 45 Festivais de Folclore em diversos países, mas voltar aos Açores tem um sentimento muito especial... É voltar às nossas raízes! Viva o Grande Festival da Relva! 

Régis Albino Marques Gomes


A Freguesia da Relva será mais uma vez palco de um evento etnográfico de alto nível, com a realização da vigéssima segunda edição do Grande Festival de Folclore, que terá lugar no Sábado, dia 2 de agosto.

Organizado pela Junta de Freguesia da Relva e pelo Grupo Folclórico de Cantares e Balhados da Relva, este é o maior certame do género realizado na ilha de São Miguel, um dos maiores dos Açores, conceituado a nível nacional e internacional.


Para a edição deste ano, a organização convidou 6 grupos em representação de três concelhos da ilha de São Miguel: Lagoa, Ribeira Grande e Ponta Delgada. De Espanha virá o Grupo Coros e Danzas “Rosas del Azafrán”, Região de Toledo e da cidade de Gravataí no Rio Grande do Sul, Brasil o Grupo Folclórico Quero Quero.


Do programa recheado do melhor folclore, actuação os grupos será realizada pela seguinte ordem: Rancho Folclórico da Casa do Povo do Livramento; Grupo Folclórico Nossa Senhora da Graça, Porto Formoso; Grupo Folclórico de São Miguel, Ponta Delgada; Grupo Coros e Danzas “Rosas del Azafrán”, Região de Toledo, Espanha; Rancho Folclórico Jovem Pauense, Água de Pau; Grupo Folclórico da Fajã de Baixo; Grupo Folclórico Quero Quero, Rio Grande do Sul, Brasil e o Grupo Folclórico de Cantares e Balhados da Relva. 


Assim, estarão de mãos dadas em palco, montado a preceito, num cenário que nos transporta a vivências de um ou mais séculos atrás, encenado pelo cenário do trabalho das vindimas, vivência tradicional desta freguesia como em tantas outras. Estarão presentes: São Miguel, Espanha e Brasil, unidos pelas suas raízes, causa da sua existência. O ambiente será como habitualmente contagiante, com o jardim e igreja iluminados para as Festas de Nossa Senhora das Neves, a decorrerem neste fim-de semana. 


Do programa consta o seguinte: 19:30 horas, Entrega de Lembranças no Centro Cívico e Cultural; 20:00 horas, Concentração de todos os grupos participantes no mesmo local; 20:30 horas, Desfile Folclórico e Etnográfico pela Rua da Guiné (Lado Norte); 21:00 horas, Abertura Ofícial do XXII Grande Festival de Folclore da Relva – Mostra Folclórica do Atlântico; 21:15 horas, Início do Festival com Actuação de todos os Grupos no Jardim 5 de Agosto; 24:00 horas, Encerramento, seguindo-se no Salão Cultural e Recreativo de Nossa Senhora das Neves, um convívio Beberete entre os participantes e as entidades convidadas.


É no entanto importante referir que este certame desde 1996 que é reconhecido pela Federação do Folclore Português.


A realização deste festival, tráz até nós o folclore de outras paragens, como este ano em que estão presentes São Miguel, Espanha e Brasil, à semelhança de outros países que ao longo dos anos por aqui têm passado.


A Organização, Junta de Freguesia da Relva e Grupo Folclórico de Cantares e Balhados da Relva, espera como nos anos transactos, uma grande multidão, que certamente irá lotar o espaçoso recinto, numa noite que nos fará reviver outras épocas e culturas diversas.

Jornal Açores




quarta-feira, 30 de julho de 2014

RACHA NO MTG DE SANTA CATARINA



Muitos reclamam do nosso MTG/RS mas no vizinho Estado de Santa Catarina a coisa anda de mal a pior. Ao menos aqui parece não existir a intencionalidade da popular “virada de mesa”, como é o caso dos catarinas.

No 32º Congresso do MTG/SC, ocorrido em Lages, agora no final da semana passada, preteou o olho da gateada.

Começa que houve um boicote ao Congresso com a maioria dos patrões do litoral catarinense (7ª, 8ª e 9ª Regiões Tradicionalistas) se negando a comparecer.

Então, no apagar das luzes, no domingo, os presentes, com pouco tempo e espaço para discussão, após a reeleição da atual diretoria, com direito de mandato até 31 de dezembro de 2017, foram surpreendidos com a votação confusa da moção nº 1, que se tratava da alteração dos mandatos de 2 em 2 anos passando para 4 em 4 anos, sem reeleição, porem dando poderes e direito desta diretoria continuar, somando no total cinco anos e seis meses de pleno poder.

O fato que despertou a curiosidade dos congressistas que passivos assistiam a tudo, sem qualquer discussão, foi as moções que ampliavam consideravelmente o quadro de membros da diretoria do MTG-SC.
Outro fato que chamou atenção, foi que todo o evento foi presidido (fora a eleição que não houve) pelo então presidente Orides Pompeu, que é candidato a deputado estadual (Art.13º. É vedado ao MTG-SC: a) Exercer qualquer atividade político-partidária ou religiosa;).

Devido a exclusão na convenção, alguns patrões de CTG do litoral catarinense cogitaram a possibilidade de criar MTGLC. Movimento Tradicionalista do Litoral Catarinense.

Fonte: Gazeta CTG – Maurício Barth


 

PAJADOR ALÉM FRONTEIRAS


 Mendonça (a direita) com improvisadores de Marrocos e Argentina.

O pajador Paulo de Freitas Mendonça viaja nesta quinta-feira pra a cidade de Medelin, na Colômbia para participar da comissão avaliadora do 10º Festival Nacional de Trovas. Mendonça também vai ministrar duas oficinas para os improvisadores daquele país. 

Ele retorna dia 06 de agosto para apresentar o Ronco do Bugio em São Chico de Paula e já na semana seguinte embarca para mais uma viagem internacional. Desta feita, vai para Argentina, participar do Encontro de Pajadores da cidade de Herrera, em Santiago del Estero, no dia 17 de agosto. 

Totalmente recuperado do enfarto que sofreu em final de abril, o pajador recomeça suas andanças, levando o verso improvisado gaúcho além fronteiras. Reconhecido no meio artístico internacional, especialmente da poesia oral improvisada, Mendonça tem confrontado versos com importantes improvisadores de diversos países. Desta feita vai avaliar um festival nacional noutro país, com idioma diferente do seu, o que demonstra seu reconhecimento e o respeito por sua arte fora das fronteiras brasileiras.

Sucesso na empreitada, meu amigo velho, e proseamos no Ronco.



 

MATES DE SAUDADES...



Levando minha filhota ao trabalho, hoje pela manhã, como faço diariamente, fomos testemunhas desta linda imagem, para começar bem o dia. Ela bateu a chapa e na hora, já me veio um verso em mente, junto a uma saudade grande lá de fora...

"..cantava junto com os ferreiros no pomar, 
só pra quebrar a quietude da campanha, 
e agora tendo tanta gente ao meu redor,
é bem maior a solidão que me acompanha..."

Da música Mates de Saudades, letra de minha marca, gravada pelos Mirins.



NESTE SÁBADO A "ESTÂNCIA" PROMOVE



6ª INVERNADA GALPONEIRA


A Invernada Missioneira, festival da cidade de Santo Antônio das Missões, retorna ao cenário da música nativista do Rio Grande do Sul com sua 6ª edição programada para o dia 17 de outubro de 2014, nas dependências do Parque de Exposições Lindolfo Jacques. 
O prazo para inscrições se encerra no dia 05 de setembro.
Confira o regulamento: 
Fonte: blog Ronda dos Festivais.


CURSO DE DANÇAS DE FANDANGO



terça-feira, 29 de julho de 2014

VOLTEANDO DATAS -29 DE JULHO



Em 29 de julho, do ano de 1857, nasce em São Gabriel Joaquim Francisco de Assis Brasil, advogado, diplomata, político, revolucionário e líder Maragato. No flagrante acima, imagem da assinatura do acordo que pôs fim à Revolução de 1923, no castelo das Pedras Altas. Assis Brasil é o primeiro à direita.


GAUCHISMO EM OUTROS CONTINENTES



O cantor Elton Saldanha, que neste dia 21 de julho esteve de aniversário, acaba de chegar da Mongólia, onde esteve com os Cavaleiros da Paz participando da maior corrida de cavalos do mundo e divulgando as nossas tradições naqueles recantos da Ásia. Em breve o Piá Benício do Itaqui nos mandará um relato completo de como foi mais esta grande viagem. Com certeza, ao galopar neste "dromedário" sentiu saudades do tranco "macio" do nosso cavalo crioulo.




NÓS E OS FESTIVAIS!




(é bem por aí, meu amigo Paulo Ricardo Costa)

Tchê! Eu duvido caras mais sem vergonha do que NÓS que queremos participar de festivais. Passei a tarde inteira envolvido com música para festival. Copiando letra, gravando CD. Ainda, os festivais, para nos ajudar querem uma música em cada CD (só para terem mais lixo para serem jogados na natureza) tive que sair para comprar CD, depois sair para tirar cópias e colocar no correio, para depois acontecer que nem na Coxilha que a Comissão avaliou 800 músicas em 2 dias, ou seja, nem escutam direito.

Mas NÓS, como todo sem vergonha, estamos mandando. Mas tudo bem e vai lá que passa. Ai viajamos 5 machos (sempre tem um gordo no meio) dentro de um golzinho ou um pálio que são mais econômicos, com violões, gaita, contrabaixo, pratos e mais as malas de verdade... Ai vão-se para aquele hotel, mais barato, sem ar condicionado, porque a ajuda de custo de mil reais, para dividir por 7, com 600 km de ida e volta, e ainda alguém esqueceu o poncho em casa e lá só tem duas mantinhas. A metade da ajuda fica no hotel e a outra metade em cachaça, por que para aturar esse inverno com duas mantinhas só na canha.

Mas o pior ainda está por vir, o violeiro com suas unhas da mão direita bem cuidadas, parecem duas garras, vai no banheiro e naquela hora, rasga o papel higiênico e a unha passa levando tudo por diante, e não adianta lavar que o fedor não sai, fica ali entranhado embaixo daquela unha preta....só metendo um canivete e cortando as unhas a canivete. Sobe no palco puto da cara e mete rachando, uma batida nas cordas e uma olhada pras unhas, disfarça e dá uma cheirada, tudo bem a música vem redondinha, mataram à pau, descem se escondendo dos artistas e se vão lá pra copa bebemorar. 

Mas antes, lá nas rádios tem os Rogério Ayres que não escrevem um bilhete pra um bolicheiro, não assobiam o parabéns pra você, é desafinado até para caminhar, mas pegam os microfones só para falar bobagem e baixam o pau:
- Não gostei... Não é bem o estilo do festival, tu vês nosso festival é campeiro e essa letra é muito urbana, acho que a melodia não casou com a letra, e os rapazes dos violões não se acertaram, o cantor desafina, para mim essa música não passa.

Pronto, em 2 minutos, já julgou e condenou um trabalho que foi feito com muito esforço e carinho, muito trabalho a afinco, sem ao menos se importar que aquela música é a realização de quem a faz com amor.

Mas que nada, semana que vem tem outro, depois tem mais outro...E vamos indo...somo que nem massa, tem que apanhar para crescer.

Blog: Entre Mates e Guitarra - Paulo Ricardo Costa


TROFÉU Á ENTIDADE CAMPEÃ DO ENART


... FOI MANTIDA!

Na 79ª Convenção Tradicionalista foi mantida uma causa que abraçamos, defendendo o posicionamento do Jeândro Garcia de não terminar com a premiação do troféu de Campeã a entidade que totalizar mais pontos no ENART, o resultado foi o seguinte: Aprovada a Sugestão do Relator. 

A Sugestão do Relator foi manter o troféu, mas trocar o nome da premiação, ou seja, a essência, racionalmente, foi mantida.    

Em tempo: o Jeândro levou um puxão de orelhas por ter postado matéria em nosso blog, mas isto faz parte do jogo...

Proposição Artistica Nº 06 – Aprovada a sugestão do Relator
Proponente: Vice-presidência de Eventos
Relator: João Carlos Cardoso de Lima
Resumo da Proposta: Supressão dos § 1º e § 2º do texto do Art. 72 do regulamento do ENART. Em virtude do ENART ser um concurso de disputa entre as regiões tradicionalistas, não cabe a este a premiação à entidades, entendemos que o reconhecimento as entidades deve ocorrer na esfera regional, cabendo inclusive a RT definir a adoção de alguma premiação em reconhecimento a participação destas.



segunda-feira, 28 de julho de 2014

PREVALECEU O BOM SENSO


Terminou, neste fim de tarde domingueira, gelada, mais uma Convenção Tradicionalista em Caxias do Sul. Ocorreu, simultaneamente, o Congresso Extraordinário, eventos que ditam os rumos do tradicionalismo  estadual.

Dentre as 45 propostas apresentadas não havia grandes sugestões radicais e foram aprovadas algumas alterações nas áreas campeiras e artísticas do  Movimento Tradicionalista Gaúcho (MTG).

Entre as modificações aprovadas na parte campeira está o uso da carona de couro, que agora também pode ser forrada com gel para proteger o lombo do animal. A proposta de tornar o uso da espora facultativo, no entanto, foi rejeitada.

Já o laço do peão, de agora em diante, poderá ficar solto, ou seja desapresilhado. Aqui, nesta proposta, se querem manter os costumes e a autenticidade, os convencionais pecaram. Retroajam no tempo... Onde se viu um gaúcho sair para o campo sem apresilhar o laço? A presilha é a segurança do peão de que a rês, mesmo laçada, não fugirá. 

Na parte artística uma rejeição nos deixou contentes e a esta recusa venho fazer um louvor. A proposta de redução do peso das provas teóricas para a escolha de peões e prendas segue como era antes. Não foi aprovada. Em resumo, prevaleceu o bom senso e a exigência do conhecimento sobre nossa terra, nossos costumes, sobre nós mesmos, continua intacto, graças a Deus e aos convencionais de real visão.

Nosso blog fez uma postagem sobre o tema e a repercussão contrária a proposta foi impressionante. Então, se colaboramos um pouco que seja para que nossos jovens continuem pesquisando e estudando sobre nossa história, nos sentimos felizes.
   



domingo, 27 de julho de 2014

EU ANDO NA FALTA



Eu ando na falta de um chibo dos buenos, 
cuspir o veneno de um mate no chão,
virar um golito de canha pro santo
sentir os encantos de um velho fogão.

Rever os amigos de prosa e risadas.
contar das queradas dos tempos de moço,
trocar a gravata de nó apertado
por um "encarnado" rodeando o pescoço.

É da forma dos versos acima que eu me sinto ao bombear as fotos desta que foi uma das minhas últimas cavalgadas de verdade e que eu, ao lado do Agnel Pacheco, era um dos comandantes.

Foi a chamada Cavalgada dos Bertussi, donde saímos de São Chico de Paula com cento e tantos cavalarianos, entre homens, mulheres e crianças, para, após dois dias e meio de andanças, chegar cantando "São Francisco é Terra Boa" em São Jorge da Mulada, na Criúva, em Caxias do Sul, no Memorial aos Irmãos Bertussi.

Mas que cavalgada... Benza Deus.

Na foto abaixo, sob os olhares do saudoso Nilson Monarca, o Zé Gaúcho entrou de acavalo no bolicho. Oiga-lê Rio Grande velho....     





sábado, 26 de julho de 2014

PRA COMEÇAR UM FIM DE SEMANA



Nosso amigo, Caine Teixeira, que além de grande poeta é um excelente fotógrafo, nos envia uma chapa batida por ele lá das bandas de Bagé no amanhecer de ontem, dia 25 de julho. Que "cosa"linda meu mano velho. O Caine me pergunta que pássaro é este. Não sou muito entendido neste riscado mas, ao que parece, e segundo ele próprio, pode ser um Sangue-de-Boi ou um Cardeal do Banhado. Quem souber que nos mande um chasque. 


ELTON SALDANHA, HOJE, EM PORTO ALEGRE.



sexta-feira, 25 de julho de 2014

EMOÇÃO A FLOR DA PELE


Porca Véia, Zezinho e Gabriel Claro 
Hoje assisti o DVD 30 anos de Sucesso do Porca Véia do qual tive a HONRA de participar junto com meu filho Gabriel Claro e meu grande amigo Léo Ribeiro de Souza As pessoas me falavam do quanto se emocionaram ao assistir o DVD e hoje entendi pois também me emocionei muito ao ver meu amigo Léo com a voz embargada fazendo sua homenagem ao Porca e as pessoas com lágrimas nos olhos outras chorando... Não nego me fizeram chorar também. Foi um dos momentos de maior emoção que tive. No dia da gravação quase não cheguei ao fim da musica, o choro veio tava ali pra sair...aos amigos que ainda não assistiram adquiram este DVD VALE A PENA..Porca Véia Oficial minha gratidão a você por me deixar fazer parte deste grande momento de sua carreira musical junto com meu filho,a ti meu IRMÃO Léo muito obrigado pela parceria de sempre sem você talvez nos não estaríamos fazendo parte desta Historia...UIAAAA



JORNAL DO NATIVISMO



Está aí, saindo do forno, mais uma edição do Jornal do Nativismo, um periódico que há longos anos, ininterruptamente, vem retratando a cultura gaúcha como um todo, com seriedade e competência, tendo no pajador Paulo de Freitas Mendonça o seu Diretor.

Muito me orgulha poder dizer que, por mais de década, fui colaborador deste mensageiro terrunho escrevendo colunas e fazendo, mensalmente, as saudosas charges gaudérias.

Desta feita (edição de julho e agosto) estamos, junto com o Grupo Ana Terra, de São Francisco de Paula, e os poetas Wilson Tubino e Cândido Brasil, compondo a capa deste grande jornal nativista.

Fraterno abraço e sucesso sempre, meu amigo velho Paulo de Freitas Mendonça.


      

COMEÇA HOJE O 62º CONGRESSO


...E A 79ª CONVENÇÃO TRADICIONALISTA


      
Tradicionalistas de todas as partes do Rio Grande do Sul estão a caminho de Caxias do Sul para o 62º Congresso Tradicionalista Gaúcho extraordinário, que começa nesta sexta-feira, colocando em debate as alterações estatutárias do Movimento Tradicionalista Gaúcho.
 
No sábado inicia a 79ª Convenção Tradicionalista debatendo os regulamentos estaduais voltados a campeira, artística, cultural e esportiva. Serão três dias de muitas decisões na terra da uva.

PROGRAMAÇÃO DO CONGRESSO
SEXTA-FEIRA – 25 JULHO
18h – Sessão de instalação (definição do presidente e vice-presidentes)
18h30min – Sessão plenária única (análise da proposição de alteração estatutária)
20h – Sessão de homenagens e encerramento.

PROGRAMAÇÃO DA CONVENÇÃO
SÁBADO – 26 JULHO
9h – Sessão solene de abertura
10h – 1ª Sessão Plenária – Assuntos vinculados à atividade campeira
10h - Reunião dos Tesoureiros e Juntas Fiscais das RTs com a Vice--presidência de finanças - Casa do Gaúcho
12h – Almoço
14h – 2ª Sessão Plenária – Assuntos vinculados à atividade campeira
17h – 3ª Sessão Plenária – Assuntos vinculados à atividade dos esportes
18h – 4ª Sessão Plenária – Assuntos administrativos (ajustes no Regulamento Geral, aprovação de nome para conselheiro benemérito, etc.)
20h – Jantar

DOMINGO – 27 JULHO
9h – 5ª Sessão Plenária – Assuntos relativos à atividades culturais (Ciranda de Prendas, Entrevero de Peões,etc)
11h30min - Lançamento do livro “Folclore na Escola - Aplicação Pedagógica - Brinquedos e Brincadeiras” de Neusa Secchi
12h – almoço
14h – 6ª Sessão Plenária – assuntos relativos à atividades artísticas (Enart, regulamento artístico, etc)
17h – Sessão de encerramento

O que: 62º Congresso Tradicionalista Gaúcho Extraordinário e 79ª Convenção Tradicionalista
Local: CTG Rincão da Lealdade
Cidade: Caxias do Sul

Quando: De 25 a 27 de julho de 2014
 
Fonte: Blog do Rogério Bastos
 
 

quinta-feira, 24 de julho de 2014

SHOW BENEFICENTE...


....DE LUIZ MARENCO E WALTER MORAIS
na Paróquia Santa Isabel, em Viamão


Neste domingo, 27 de julho, os cantores LUIZ MARENCO e WALTER MORAIS estarão realizando um show, sem cobrança de cachê, para levantar fundos e manter os projetos sociais da ASSI - Associação de Assistência Social de Santa Isabel, em Viamão (RS). A Associação trabalha com 300 crianças e adolescentes através de centros sociais de acolhida e oficinas de reforço escolar, cidadania e inserção no mercado de trabalho. O evento, que é comemorativo ao aniversário de 51 anos da ASSI, será às 20h30, no Salão de Festas da Paróquia Isabel, que fica na Avenida Liberdade, 1827, no bairro Santa Isabel, em Viamão (RS). Mais informações podem ser obtidas junto ao presidente da ASSI, padre Valdir Formentini, através do telefone (51) 9967.2635. 


​Atenciosamente,

Daiana Silva
Jornalista

​​51 8187.0085 (Claro)
51 9604.0085 (Vivo)

ARIANO SUASSUNA - LÁPIDE




LÁPIDE

Quando eu morrer, não soltem meu cavalo
nas pedras do meu pasto incendiado:
fustiguem-lhe seu dorso alardeado,
com a espora de ouro, até matá-lo.

Um dos meus filhos deve cavalgá-lo
numa sela de couro esverdeado,
que arraste pelo chão pedroso e pardo
chapas de cobre, sinos e badalos.

Assim, com o raio e o cobre percutido,
tropel de cascos, sangue do castanho,
talvez se finja o som de ouro fundido

que, em vão – sangue insensato e vagabundo —
tentei forjar, no meu cantar estranho,
à tez da minha fera e ao sol do mundo!

Ariano Suassuna
João Pessoa, 16 de junho de 1927 — Recife, 23 de julho de 2014




 

TROFÉU CAMPEÃO DO ENART EM DEBATE


Por: Jeândro Garcia




Afinal, para que incentivar os individuais no ENART?

Alguns devem lembrar, há 1 ano atrás aprovei na 78ª Convenção Tradicionalista a proposta que criava o “Troféu de Campeão do ENART”, que visava premiar a entidade com maior número de pontos entre todas, com o principal objetivo de incentiva-las a investirem e formarem mais participantes nas categorias individuais. Este troféu daria muita importância para aquela que mais qualificou seus tradicionalistas, e não apenas para aquela entidade que vence as danças tradicionais, como acontece hoje.

Pois bem, uma nova proposta visa simplesmente derrubar este troféu, que foi aprovado por UNANIMIDADE em  2013, sem nem ao menos ainda ter sido implantado (seria este ano). Um dos argumentos é que o ENART é uma competição a nível regional, mas quem forma os competidores??? A entidade. Quem precisa de incentivo para qualifica-los? A entidade. Então por que só pensar na região? Além do mais o troféu da melhor região permanecerá.

Esta nova proposta além de retirar este incentivo aos individuais, não trás nenhuma nova alternativa para este problema, que é sabido por todos: a extinção dos individuais em diversas categorias. Um dos argumentos é um possível investimento pesado de entidades maiores, mas não é isso que procuramos? Entidades que valorizem mais categorias? Além do mais os maiores “pontuadores” no ENART não tem sido entidades de destaque ou de grande poder aquisitivo, mas entidades menores com diversos talentos.

Quando fiz minha apresentação, outros interlocutores exaltaram: “um jovem tomar a atitude de ir ao congresso e defender sua proposta”, eu como jovem me sinto desiludido, aprovei uma proposta de maneira unânime, e agora ela corre o risco de se perder. Respeito muito o proponente (que votou a favor ano passado), mas uma proposta como a minha, para ser alterada, deveria vir com alguma alternativa de incentivo a todas as categorias e não simplesmente ser cortada.

Alias, outra proposta aprovada em 2013, o mesmo proponente quer mudar, que era a divisão da gaita em masculina e feminina, agora querem derrubar unificando novamente! 

Mas de que valem as convenções? Se antes mesmo de algo entrar em vigor, já se cria uma proposta para derrubar aquilo que já foi amplamente debatido e votado.

Meu vídeo de apresentação da proposta: http://www.youtube.com/watch?v=tNbgu2B2Aqw

A atual proposta (2014): 

JUSTIFICATIVA
Em virtude do ENART ser um concurso de disputa entre as regiões tradicionalistas, não cabe a este a premiação à entidades, entendemos que o reconhecimento as entidades deve ocorrer na esfera regional, cabendo inclusive a RT definir a adoção de alguma premiação em reconhecimento a participação destas.

Minha proposta aprovada em 2013:

Titulo: Criação do “Troféu Campeão do ENART”
Descrição: Criação de um novo troféu no ENART, de Campeão do ENART (ano realizado), que irá premiar a entidade que possuir mais pontos na somatória geral de todas as modalidades.
Visando fomentar o incentivo aos individuais e unir seus esforços aos Grupos de Danças Tradicionais em torno de um grande objetivo, ser o “Campeão do ENART”.
Viabilizando assim que mais entidades almejem ser o grande destaque do ENART, mesmo que não possuam o melhor grupo de Danças Tradicionais, mas possuam bons talentos também somados com seus individuais.

Justificativa:
- Valorizar as entidades que mais se destacaram no ENART como um todo
- Incentivar a valorização e surgimento de novos talentos nas modalidades individuais
- Incentivar a união entre as modalidades dentro da própria entidade, onde passarão a apoiar-se plenamente em busca do grande troféu.
- Aumentar a qualidade dos competidores, já que as entidades estarão incentivadas a colocar participantes mais preparados.
- Aumentar o número de participantes em cada categoria, visando à soma de pontos para sua entidade.
- Tornar o ENART ainda mais um grande festival de arte gaúcha, comprometido na valorização de seus competidores e com o cultivo das nossas tradições, em todas as modalidades que compõe o evento.




Nota do Blog: Não estamos habilitados a votar na Convenção Tradicionalista, contudo, se tivéssemos esta oportunidade não daríamos apoio a esta nova proposta que visa derrubar a anterior.

O Tradicionalista Jeândro Garcia tem toda a razão em almejar valorizar as entidades, afinal cada uma delas, em conjunto, formam o todo. O que seria dos frutos sem os gomos que lhe completam?

Além disto, o raciocínio de Jeândro Garcia é lógico. Vejam bem: Se o CTG Aldeia dos Anjos (ou qualquer outro da 1ª RT) vence as Danças Tradicionais, o que realmente aparece em destaque é... O CTG Aldeia dos Anjos, e não a 1ª Região Tradicionalista. Só não teria sentido o Troféu as Entidades se houvesse uma “seleção” de pares das invernadas da 1ª Região, como ocorre na Festa Campeira onde o prêmio maior  vai para a “seleção” de laçadores de cada região.