EMPEÇANDO A LIDA BLOGUEIRA COM:

domingo, 20 de abril de 2014

MORRE O XIRUZINHO



meriva de Xiruzinho que bateu contra um mato e eucaliptos
Foto: Léo Ribeiro 

Morreu em um acidente de carro, na entrada deste domingo de páscoa, João Darlan Betanin, mais conhecido como Xiruzinho. O acidente ocorreu a poucos quilômetros de onde estou, em São Francisco de Paula. Xiruzinho jantou com sua filha e a ex-esposa e, por volta da meia noite, dirigiu-se para Caxias do Sul, onde morava. Na localidade da Várzea de São João perdeu o controle de sua meriva que bateu, em alta velocidade, contra um mato de eucaliptos vindo a incendiar-se. Xiruzinho morreu carbonizado. Neste momento são 12.30 e o corpo ainda encontra-se no carro funerário na espera de parentes que estão vindo de Caxias do Sul.   

   

ESSA EU AINDA NÃO CONHECIA!


Se tem coisa que gosto uma coisa por demais é de prosear com pessoas mais velhas e que tenham origem lá de fora (interior). Além das belas histórias, por vezes saem cada terminologias gaudérias que são uma verdadeira preciosidade.  Como é o caso desta que me brindou um parceiro de trabalho oriundo lá das bandas de Jaguari e que, com certeza, irá para o meu caderno de anotações.

Na hora do almoço lhe falei uma frase muito conhecida : - Vamos lá, senão perderemos o sorteio do bife. 

No que ele respondeu, na maior simplicidade.

- Não tem problema. Qualquer coisa eles fritam um bife "zoiudo".

- Como não entendi, perguntei o que seria um bife "zoiudo".

- Um ovo frito, respondeu ele.

Apresento-lhes um Bife Zoiudo*

*Zoiudo: Olho grande, arregalado.






sábado, 19 de abril de 2014

NO DIA DO ÍNDIO,AS IMAGENS DIZEM TUDO



Antes da Guerra Guaranítica onde lusos e espanhóis uniram-se para praticar uma das maiores covardias que se tem notícia na história da formação do Rio Grande, os índios viviam assim, como nesta gravura acima (tribo charrua). Livres a andejar pelos pastiçais. Caçando, pescando, cuidando do gado, numa harmonia entre terra e gente e num modelo de sociedade tão perfeita que até hoje não conseguimos chegar nem perto.


Nos tempos de agora, o que vemos são índios mendigando pelas esquinas, esquecidos, abandonados nos beirais das estradas, sob tetos de lona, numa pobreza de dar dó. Aonde estão nossas autoridades, políticos, tradicionalistas, enfim, nós brancos que expulsamos estes primitivos de seu próprio lar? Não podemos criticar os massacres norte-americanos aos seus nativos em seus festejados filmes de "mocinhos" sem antes vasculhar nossa memória e pedir penitência pelo que fizemos e continuamos fazendo.  




DO LITORAL A FRONTEIRA DESTE DOMINGO





O programa Do Litoral á Fronteira deste domingo de páscoa, terá as participações muito especiais do poeta e blogueiro Léo Ribeiro de Souza e do cantor e acordeonista Luciano Maia, apresentando seu mais recente CD "A Gaita do Rio Grande", lançado pela Gravadora Acit. É dia 20, das 6h as 8h da manhã, na #BandAM640. Sintonizem!!!


sexta-feira, 18 de abril de 2014

A SEXTA-FEIRA SANTA



A Sexta-Feira Santa, ou 'Sexta-Feira da Paixão', é a Sexta-Feira antes do Domingo de Páscoa. É a data em que os cristãos lembram o julgamento, paixão, crucificação, morte e sepultura de Jesus Cristo, através de diversos ritos religiosos.

Segundo a tradição cristã, a ressurreição de Cristo aconteceu no domingo seguinte ao dia 14 de Nisã, no calendário hebraico. A mesma tradição refere ser esse o terceiro dia desde a morte. Assim, contando a partir do domingo, e sabendo que o costume judaico, tal como o romano, contava o primeiro e o último dia, chega-se à sexta-feira como dia da morte de Cristo.

A Sexta-feira Santa é um feriado móvel que serve de referência para outras datas. É calculado como sendo a primeira Sexta-feira após a primeira lua cheia após o equinócio de outono no hemisfério sul ou o equinócio de primavera no hemisfério norte, podendo ocorrer entre 20 de março e 23 de abril.
Na Igreja Católica, este dia pertence ao Tríduo pascal, o mais importante período do ano litúrgico. A Igreja celebra e contempla a paixão e morte de Cristo, pelo que é o único dia em que não se celebra, em absoluto, a Eucaristia.

Por ser um dia em que se contempla de modo especial Cristo crucificado, as regras litúrgicas prescrevem que neste dia e no seguinte (Sábado Santo) se venere o crucifixo com o gesto da genuflexão, ou seja, de joelhos.
Em muitas cidades históricas ou interioranas, como Paraty (RJ), Ouro Preto (MG), São João del Rei (MG), Pirenópolis (GO), Jaraguá (GO), Rio Tinto (Concelho de Gondomar em Portugal) e São Mateus, a Celebração da Paixão e Morte do Senhor é procedida da Procissão do Enterro, também conhecida como Procissão do Senhor Morto, em que são cantados motetos em latim.

Toda a liturgia católica deste dia está em função de Cristo crucificado. Assim, a liturgia da Palavra pretende introduzir os fiéis no mistério do sofrimento e da morte de Jesus, que assim aparece como uma acção livre de Cristo em ordem à salvação de toda a humanidade.

A veneração da cruz, símbolo da salvação, pretende dar expressão concreta à adoração de Cristo crucificado.

A comunhão eucarística é, para a Igreja, a forma mais perfeita de união com o Mistério pascal de Cristo, e por isso é um ponto culminante na união dos fiéis com Cristo crucificado. O facto de se comungar do pão consagrado no dia anterior vem exprimir e reforçar a unidade de todo o Tríduo Pascal.

Além da celebração da Paixão do Senhor, rezam-se as diversas horas litúrgicas da Liturgia das Horas, incluindo um texto de São João Crisóstomo intitulado O Poder do Sangue de Cristo.



A FLOR DA MACELA


A macela ou marcela é uma erva da nossa flora brasileira, também conhecida por macela-do-campo, macelinha, macela de travesseiro, carrapichinho-de-agulha, camomila nacional etc. No dialeto alemão sulbrasileiro (Hunsrückisch), falado por boa parcela dos habitantes do Rio Grande do Sul e estados e países vizinhos, a marcela possui um nome único e que somente é utilizado por falantes deste regionalismo linguístico: Karfreitachstee, onde "Kar" significa santo, Freitach sexta-feira, e Tee quer dizer chá (no alemão-padrão: Karfreitagstee).

É um arbusto perene que atinge cerca de um metro de altura e que, na nossa região sul, floresce entre março e abril. No Nordeste elas florescem em setembro e geralmente são indicadoras de solos acidificados e degradados.

As flores são amarelas, com cerca de um centímetro de diâmetro, florescendo em pequenos cachos. As folhas são finas e de cor verde-claro, meio acinzentada, que se destaca do restante da vegetação do campo.

Aqui pelos pagos sulinos as flores da macela costumam ser usadas pela população como estofo de travesseiros para os bebês, por se acreditar-se que tenha efeitos calmantes.

As flores têm um aroma agradável e a infusão destas ou de suas folhas alivia dores de cabeça, cólicas e problemas estomacais.

Especificamente no Rio Grande do Sul há a tradição de colheita da macela na Sexta-Feira Santa, antes do sol nascer, pois acredita-se que a colheita nesse dia traga mais eficiência ao chá das flores. A planta é considerada um dos símbolos oficiais de nosso Estado.

Na cosmética, a macela também atua como um bom clareador natural para os cabelos de tons castanho claro a louro, ainda que seja bem menos conhecida para essa finalidade que a camomila, a macela é o principal componente ativo de alguns shampoo para cabelos claros.




quinta-feira, 17 de abril de 2014

COMEÇA HOJE A 43ª BARRANCA



O governador Tarso Genro vai prestigiar hoje,  dia 17, às 20h, a 43ª edição do Festival da Barranca, em São Borja. A agenda acontece na Granja Albaruska, às margens do rio Uruguai. O evento mantém as mesmas características dos últimos anos, quando na sexta-feira será sugerido um tema e o candidato terá 24 horas para criar e defender a composição. A programação prevê a apresentação de Yamandu Costa, Renato Borghetti, João de Almeida, Luis Carlos Borges, Vinicius Brum, Pirisca Greco e os Fagundes.


quarta-feira, 16 de abril de 2014

FRATERNIDADE GAÚCHA RECEBE VISITA


DO MINISTRO DA CULTURA E PROPAGANDA DO GORGS


O Ministro da Cultura e Propaganda do GORGS (Grande Oriente do Rio Grande do Sul) Armenio de Oliveira dos Santos (na foto, de terno) foi recebido, ontem a noite, dia 15, por integrantes do Grupo Tradicionalista Fraternidade Gaúcha, braço que promove a cultura gaúcha nesta potência maçônica. 

Após a abertura dos trabalhos procedida pelo Patrão Paulo Moreira o Ministro colocou as proposições e a disposição do Grão-mestrado em apoiar o Piquete em suas diversas atividades, como o Acampamento Farroupilha, Cavalgadas, interiorização do Piquete e a Tertúlia Maçônica da Poesia Crioula, festival poético promovido e organizado pelo Fraternidade, que faz parte do calendário de eventos da cidade de Porto Alegre, e que ocorrerá, em sua 5ª edição, no dia 30 de agosto de 2014.

As inscrições para a Tertúlia vão até o dia 15 de junho e o regulamento pode ser extraído no link lateral de nosso blog.  

      



FESTA GAÚCHA NO RJ FOI UM SUCESSO SÓ



Lucas Borba Inácio e Anastacya Ibañez na dança argentina La Firmeza. 

A Festa Gaúcha organizada pela Casa do Gaúcho - Rio de Janeiro, foi alta do chão. José Tadeu Maciel e sua esposa Jéssica Maciel, como bons anfitriões calçados na hospitalidade riograndense oriunda dos campos vacarianos recepcionaram a todos os convidados com o tradicional chimarrão e o largo sorriso no rosto.  

Muitos gaúchos residentes na Cidade Maravilhosa se fizeram presentes, como foi o caso do grande percussionista Kiko Freitas, filho do nosso grande Telmo de Lima Freitas e da poetisa Beatriz de Castro, fundadora e única mulher presidente da Estância da Poesia Crioula.   

Quando estive no Rio, no ano passado, visitei o José Tadeu Maciel e sua esposa, que tem uma loja de artigos gauchescos no coração de Copacabana. Sou testemunha ocular do belíssimo trabalho desenvolvido por este casal em prol de nossas tradições, num lugar tão distante dos pagos. São, os dois, verdadeiros embaixadores da cultura gaúcha nas plagas cariocas.

Ontem, via face book, recebi uma mensagem do José: Léo Ribeiro de Souza. Esperamos que um dia você visite a nossa Festa Gaúcha. As portas do rancho estão escancaradas pra ti e se não for suficiente, derrubamos as portas e se ainda não der derrubamos até as paredes para te receber aqui no Rio de Janeiro.

 Jéssica Maciel, Kiko Freitas e José Tadeu Maciel



OFICINA DE DECLAMAÇÃO


NO C. T. G. RODEIO SERRANO


O declamador e amadrinhador Jair Silveira vem desenvolvendo um trabalho de suma importância para a seara poética do Rio Grande do Sul através do repasse de conhecimentos. Ministrando oficinas de declamação Jair Silveira retransmite seu vasto cabedal arrinconado em dezenas de rodeios por este pago afora. 

No fim de semana passado, esteve no CTG onde me criei para o mundo tradicionalista, isto é, o Rodeio Serrano, de São Francisco de Paula. 

Minha terra sempre destacou-se nas disputas campeiras, Estado a fora. Seguidamente estão levantando troféus e mais troféus no tiro de laço. No ano passado, representando o Rio Grande do Sul, a seleção da 27ª Região foi Campeã Nacional. Contudo, estava deixando um pouco a desejar na parte artística (exceção de gaiteiros). Agora, uma revigoração das invernadas artísticas está sendo promovida bem como uma atenção especial a arte declamatória. Por isto, esta iniciativa da entidade. Os resultados já são notados nas participações e premiações em diversos rodeios da região (relação abaixo).

2º lugar declamação peão juvenil - Rodeio de Canela - Luís Fernando da silva
3º Lugar Declamação peão até 15 anos - Rodeio de Canela - Gabriel Muller da Silva
3º Lugar  intérprete vocal peão juvenil - Rodeio de Canela - Luís Fernando da silva
1º Lugar Declamação prenda até 15 anos - Rodeio de Gramado - Clarissa Lima de Lima
2º Lugar Declamação prenda até 15- Rodeio de Gramado - Thayná Soares Rabaioli
1º Lugar Declamação peão até 15 anos - Rodeio de Gramado - Luís Fernando da Silva
2º Lugar Declamação peão até 15- Rodeio de Gramado - Gabriel Muller da Silva
1º Lugar Declamação prenda até 15 anos - Rodeio de Sapiranga - Thayná Soares Rabaioli
2º Lugar Declamação prenda adulta - Rodeio de Sapiranga - Mariane Soares
3º Lugar Solista vocal prenda adulta - Rodeio de Sapiranga - Mariane Soares
3º lugar solista vocal - Rodeio de Bom jesus - Luis fernando da Silva


Parabéns ao Departamento Cultural e a Patronagem do Rodeio Serrano por esta bela iniciativa.


   

terça-feira, 15 de abril de 2014

CÉSAR OLIVEIRA E ROGÉRIO MELO

DISPUTAM MAIS UM PRÊMIO NACIONAL


Novamente estamos recebendo a honra de representarmos o atavismo de um povo, uma pátria que forjou-se no seu passado, alicerçou o seu presente e sustenta, garante o seu futuro em relação a sua maior riqueza, sua cultura de raiz. Pela quarta vez estaremos adentrando o Teatro Municipal do Rio de Janeiro a caráter, a caráter do nosso povo. Garbosamente pilchados, tipicamente orgulhosos de sermos o que somos, de vir de onde viemos, orgulhosos de nossa descendência. Autenticamente honrados de estarmos presente mais uma vez no PRÊMIO NACIONAL DA MÚSICA BRASILEIRA e da melhor forma possível desempenhar a incumbência

que nos refere: REPRESENTAR O AMOR DE UM POVO pela sua "Querência", nome que carinhosamente damos a nossa pátria amada o Rio Grande do Sul.

Dia 14 de maio dois gaúchos adentrarão o TEATRO Municipal do Rio de Janeiro, levando no coração o sentimento dos seus. De que nosso povo, nosso FOLCLORE seja reconhecido, que sejamos reconhecidos pelo que somos. NÓS SOMOS GAÚCHOS e nos basta.

Obrigado pelo apoio e carinho que sempre recebemos e esperamos poder representar dignamente o que mais amamos, A CULTURA RIO-GRANDENSE.

Nota do blog: César Oliveira e Rogério Melo estão concorrendo ao Prêmio da Música Brasileira, pelo álbum "Era Assim naquele Tempo". Disputam na categoria melhor dupla regional, com Caju & Castanha e Valdo & Vael.

A lista foi divulgada nesta terça-feira. São 103 nomes, selecionados a partir dos 799 CDs e 88 DVDs inscritos, distribuídos em 16 categorias.

A cerimônia será realizada no Theatro Municipal do Rio de Janeiro, no dia 14 de maio. 

FALTOU SANGUE NO OLHO!



Vou me reportar, agora, a 34% do povo gaúcho, ou seja, a torcida do Internacional.

Não iria tocar neste assunto mas alguns amigos colorados estão cobrando, insistentemente, minha manifestação. Não é verdade Marcelo Iorra, Jairo Reis, Hilton Araldi, Rogério Bastos (que mesmo lá em Porto Seguro lembrou-se de mim)?

Àquela dezena de pessoas que me mandaram mensagens via celular (alguns que nem sei quem é), já tiveram a devida resposta.

O curioso é que todo este pessoal andava meio sumido. Desde o ano passado, quando o Inter alcançou o glorioso 13º lugar no campeonato nacional, esta turma estava mais quieta que guri mijado...

Mas vamos ao que eu acho.

O Inter foi campeão com toda a justiça pois buscou tal objetivo. Esteve sempre focado. Em relação ao Grenal, nenhuma contestação. Levamos um baile ao estilo Porca Véia, de lavar a alma (dos colorados).

E porque isto aconteceu!? 

Eu poderia vir aqui e repetir o que diversos cronistas já escreveram. Que o Werley falhou (de novo); que o Pará não merece vestir a camisa do Grêmio; que o meio de campo é tosco; que nosso centroavante ainda não aprendeu o que é uma goleira e que a bola tem que passar ali por dentro; que nosso treinador mais parece uma freira carmelita que recém saiu do convento (além de não ter visão de jogo)....

Mas o problema é bem outro!     

O "escrete" do Inter é mediano, pra não dizer fraco (me cobrem isto no brasileiro) e nós fomos, no Grenal, piores ainda.

Mas quando dois times se nivelam, mesmo que por baixo, qual o diferencial?  

O SANGUE NO OLHO!

Isto mesmo. Faltou morder a grama; fazer o que o Figueroa fazia (dar cotoveladas); encarar o D'Alessandro; gritar com os parceiros; ter como alça de mira a medalhinha de pescoço do adversário; mostrar quem é o Patrão!

Mas este é um problema que surgiu com o tal profissionalismo. Ninguém mais dá bola para a camisa de seu time, para o sofrimento de sua torcida. O que realmente vale são as patacas enchendo as guaiacas.

O espírito e o estilo gaúcho de jogar futebol foi para o saco. Este era nosso diferencial.

De toda a forma, parabéns aos amigos colorados pela importantíssima taça conquistada. 

Aproveito a olada para cumprimentá-los pela bela reforma no Beira-rio. Falo do fundo do coração pois este estádio também me pertence. Afinal, pago meus impostos em dia e por aquelas bandas hay muito dinheiro público.  

Estão contentes?

Então fiquem neste Galpão Gaúcho e deixem eu ir para o lugar em que realmente me sinto bem, a LIBERTADORES.






segunda-feira, 14 de abril de 2014

SINUCA DE BICO PROS LADOS DA MINHA TERRA


 Colheita da Macela, em São Francisco de Paula virou sinônimo de 
romaria de motoqueiros e dor de cabeça aos moradores da cidade

A história é a seguinte:

Há longos anos, na Semana Santa, mais precisamente na quinta-feira a noite, milhares de motoqueiros sobem a serra rumo a São Chico de Paula. No princípio eram poucos. Um pequeno grupo que iniciou a peregrinação com o intuito de colher a Macela, flor considerada santa, muito eficaz para a digestão e outros males e que é muito farta naquela região serrana. 

Reza a lenda que a Macela deve ser colhida na madrugada de quinta para sexta-feira, ainda orvalhada pois este (orvalho) seria as lágrimas de nossa senhora pela morte de Jesus Cristo.

Com o passar dos anos o número de visitantes sobre duas rodas foi aumentando e hoje uma verdadeira multidão se faz presente, mais preocupada com a música, com a bebida e com todas as consequências que está (bebida) produz como algazarras, brigas, roncos de motores e outras coisitas mais. É claro que não são todos, mas os inocentes acabam pagando...  o ditado vocês conhecem.

A realidade é que a cidade amanhece suja e fedida de urina e fezes. 

Ali por 2002, se não me engano, a administração pública resolveu fazer do limão uma limonada, isto é, tornar o evento uma atração turística. Foi construído palco para shows de bandas de rock, colocaram banheiros químicos ao longo da avenida, a Brigada Militar disponibilizou dezenas de militares, inclusive a cavalo, e a coisa fluiu melhor do que a desorganização de antes.

Agora, em 2014, veio o tiro no pé!

Alguns moradores (falam em 240), com o apoio da igreja que não aceita tamanho desrespeito a um dia sagrado, através de um abaixo assinado, ganharam na justiça local uma liminar que proíbe a prefeitura de qualquer atividade em relação a esta festividade, ou seja, com a intenção de terminar com a balbúrdia, afastaram quem ainda tentava organizar alguma coisa.

 Não sei o que vai acontecer nesta noite de quinta-feira, mas os prognósticos não são nada bons. 

Como não sou de ficar em cima do muro, vou dar uma saída, 0800 (de graça) para contentar gregos e troianos, no caso, moradores e visitantes. Que, para o ano que vem (para este seja o que Deus quiser), se loque um espaço distante cinco ou seis km da cidade, se monte uma grande estrutura de palco, shows, bares, banheiros, etc... (não pensem no Parque da Balança pois já sei que a Associação Rural não permitiria) e façam lá tal concentração. Seria o WOODSTOCK SERRANO.

É a única saída para esta sinuca de bico!

Apesar dos contratempos, nesta páscoa vou colher minha Macela 
e fazer o que sempre faço quando subo a serra: 
Matear no Lago São Bernardo, um dos lugares mais bonitos do Brasil. 


domingo, 13 de abril de 2014

É DE MARAU O NOVO PEÃO FARROUPILHA




Aconteceu neste final de semana em Giruá a 26ª edição do concurso de peões, o Entrevero Cultural de Peões do estado do Rio Grande do Sul. Sagrou-se vencedor o jovem Lucas Henrique Xavier , de Marau, representante do CTG Felipe Portinho, estudante de Agronomia, na UPF-
 

Categoria Peão

Peão Farroupilha do RS - Lucas Henrique Xavier - 7ª RT         
2º Peão Farroupilha do RS - Gustavo Taynã Leal de Melo - 3ª RT
3º Peão Farroupilha do RS - Gregory Gonçalves - 11ª RT — com Giulio Menin.

Categoria Guri

Guri Farroupilha do RS - Andrei Righi Seixas - 13ª RT
2º Guri Farroupilha do RS - Gustavo Henrique dos Santos - 9ª RT
3º Guri Farroupilha do RS - Giulio Ariel Menin - 20ª RT

Fonte: Rogério Bastos



NÃO SOU BAIRRISTA, MAS SE TEM COISA...


...QUE ME IRRITA É ESTA GRINGALHADA QUERENDO NOS IMITAR!

 Fotos da Esquerda:  Nova York   -   Fotos da Direita:  Porto Alegre
Nova York
Porto Alegre


FALANDO EM BAIRRISTA, LEIAM ESTA:

MARCOPOLO FABRICARÁ ÔNIBUS ESPACIAL

EXTRA EXTRA

ATENÇÂO NAÇÃO RIO GRANDENSE

Essa gauchada vai longe!!!

Gaúchos devem chegar em Marte nos próximos 5 anos. Agora é oficial. Já se sabia que a tecnologia espacial estava bem avançada na República Riograndense, mas agora o projeto vai deslanchar.

Segundo a Agência Espacial Gaúcha (AEG), a Marcopolo assinou um contrato com o Governo Federal da República dos Pampas para construir a primeira nave gaúcha.
 
A espaçonave terá lugar para 10 viventes e contará com churrasqueira, fogão de campanha, dispensa, dormitórios, bagageiro, quarto de banho e latrina. Já estão confirmados na viagem um gaiteiro e um pandeirista, que tem os nomes preservados por razões de segurança. De mantimento vai um pouco de tudo - erva-mate, bergamota, rapadura, charque e linguiça do Allembrandt, arroz, feijão preto e de cor, bolacha e principalmente, canha.

Segundo o chefe da AEG, Werner Von Fagundes, taura crânio muito inteligente responsável pelos estudos, os americanos jogaram a toalha na corrida espacial porque não tinham o direito de usar a tecnologia para revestimento da nave, já que esta é uma patente gaúcha. Trata-se de uma combinação de casca de cana, de Morungava, barro vermelho de Santo Ângelo, pedra moura moída (aquela lá do Nhanduí). Segundo os cientistas da Agência Espacial Gaúcha o material resiste a 10 mil graus de temperatura e também pode ser usado na blindagem de tanques de guerra.

A propulsão do foguete será à base de uma mistura de cachaça marisqueira de Osório com graspa de Ana Rech. Os pesquisadores gaúchos afirmam que ela é pelo menos 1000 vezes mais potente do que o combustível atualmente utilizado pela NASA e 3000 vezes mais potente que dinamite.

Há décadas que esta tecnologia vem sendo desenvolvida, em segredo, na Estância Porteira Fechada, lá perto da estação do Guaçu-boi, no Alegrete. Dizem que os comunistas andaram por lá para espionar. Foram mandados embora, no laço, pelo capataz e pelos vigias da estância. Os americanos, que tentavam desenvolver um trabalho parecido, na Área 51, foram convidados a visitar o projeto e tomar uns mate. Gostaram do que viram mas não trouxeram nada de novo ao know-how daqui. Em nota à imprensa os nossos cientistas disseram: Tudo o que nos mostraram não é novidade, e tudo que mostramos a eles, ficaram boiando, de boca-aberta, não entenderam bosta nenhuma. É uma tecnologia anos-luz na frente da deles.

Werner Von Fagundes acrescentou: Estamos a passos largos para a conquista de Marte. Não vai 5 anos e teremos gente apeiando por lá. Pelo menos uma prenda já vai junto. Na missão, organizar o primeiro CTG espacial. Vamos em paz, mas pelo sim, pelo não, vai na mala de garupa de cada um, uma carneadeira coqueiro deitado, um trançado de 8 e uma coleção de garrucha. Vai que lá também tem marciano castelhano... Massss crééééédo....!!!!

sábado, 12 de abril de 2014

É HOJE, GURIZADA MEDONHA!



Em Lagoa Vermelha, no legendário CTG Alexandre Pato, numa promoção e realização da Rádio Alma Nativa e da Revista glam. Os shows serão do excelente Quinteto Nativo, em sua maioria composto pelos meus irmãos dos Qüeras (grupo de amigos que tem por finalidade a comunhão da cultura regional gaúcha), Carlos Ariel Debona, um talento da nova geração do violão gaúcho e Jorge Freittas, missioneiro que dispensa apresentações, vencedor da última edição do Cante uma Canção em Vacaria.

Maiores informações com o meu Mano Véio Glaucio Vieira (54-96698345) - Rádio Alma Nativa

CANTO CAMPEIRO - MÚSICAS CLASSIFICADAS





O festival acontece nos dias 26 e 27 de abril de 2014, no Parque de Eventos da ETA ( Escola Técnica de Agricultura). RS 040, parada 64 - em Viamão/RS


Sesmaria do verso  

L. Cristiano Medeiros –  Silvio Genro –

M. Adriano Medeiros – Renato Fagundes

Cenário de Galpão

L. M. Mário Amaral

Luzes e Mistérios

L. João Sampaio – Jucelino Voçosa –

M. Halber Lopes –Cristiano Fantinel

Gineteda na Lagoa

L. Joaqui Ramos

M. Diego Vivian

De acordes e Cores

L. Juca Moraes –

M. kauê Dias

Os Saqueadores da Pátria

L. Helena Fontana

M. Sérgio Rosa

Marciliano

L. M. Leonardo Quadros

Me Perdoe Meu Cavalo

L. Hermes Regis Lopes

M. Juliano Moreno

Essa Tal Saudade

L. Miguel Borba

M. Miguel Borba – Andriego Von Laer

Querendão das Feia

L. Luiz Fernando Reis

M. Juliano Moreno

Cruz Colorada

L. M. Paulo dias Garcia

A palavra 

L. Mauro Rosa

M. Fernando Saalfeld – Cristiano Quevedo