RETRATO DA SEMANA

RETRATO DA SEMANA

COMEÇANDO A LIDA BLOGUEIRA COM:

quarta-feira, 20 de janeiro de 2016

FESTA DO CHAMAMÉ EM CORRIENTES


Festa Nacional do Chamamé, a maior do planeta

Nesta quarta-feira, dia 20 de janeiro, a 26ª Festa Nacional do Chamamé de Corrientes, na Argentina, que apresenta também a 12ª Festa do Chamamé do Mercosul, vai para sua sétima noite, haja vista que começou no Palco Osvaldo Sosa Cordero do anfiteatro Mário Del Transito Cocomarola, dia 14, quinta-feira passada. A festa já apresentou nestas noites, mais de noventa grupos musicais para um público de cerca de 80 mil pessoas. Na noite de segunda-feira ultrapassou a casa de cem grupos e de cem mil expectadores. Transmitida por televisão para toda Argentina pela TV Publica e para o Rio Grande do Sul através da TVE, a festa se torna epicentro da Nação Chamamecera, como está sendo definida nesta edição de 2016. Na noite de domingo houve um momento especial com a despedida dos palcos da cantora Ofelia Layva, que tem mais de cinqüenta nos de carreira de sucesso, considerada a Mercedes Sosa do Chamamé. Ofelia cantou por cerca de uma hora, algo raro para uma festa que apresenta vinte e três grupos por noite. Quando encerrou seu espetáculo, ovacionada pelo público, ingressaram ao palco alguns dos mais importantes nomes do chamamé para homenageá-la, a exemplo de Pocho Roch, Mário Bofil, Simon Palácios, Hermanas Vera, Julian Zini e muitos outros artistas, demonstrando a irmandade que é este gênero musical.
 
A Nação Chamamecera é composta por sete províncias da Argentina, parte do Uruguai, Paraguai, Rio Grande do Sul e Mato Grosso do Sul. Muito ainda falta para ser apresentado na festa. Nomes como Antônio Tarragó Ros, Ramon Ayala, Pocho Roch e outros referenciais argentinos estarão abrilhantando as demais noites correntinas. Na primeira noite a participação brasileira foi com Maurício Brito e Humberto Yule (MS), seguidos por Airtom Missioneiro, um gaúcho de São Luiz Gonzaga que vive em Campo Grande. Na terceira noite foi com Jorge Guedes e Família e domingo foi o argentino radicado no Brasil, Alejandro Brites. Segunda foi a vez de Pedro Ortaça e família, mas seguem os artistas rio-grandenses representando a pátria brasileira, teremos ainda o jovem instrumentista de Uruguaiana Renato Fagundes, um montielero, o consagrado Luiz Carlos Borges, o argentino quase brasileiro, Lucio Yanel, a cantora e jornalista Shana Muller e na última noite o chamamecero, quase correntino, Juliano Javoski. Um dos destaques da participação brasileira é a atuação do apresentador, jornalista e pajador Paulo de Freitas Mendonça que pelo oitavo ano consecutivo faz parte do elenco de locutores da festa, apresentando os artistas, não só os brasileiros como dos outros países também.
 
A Festa Nacional do Chamamé, promovida pelo Instituto de Cultura de Corrientes, sob a presidência de Gabriel Romero, conta com a coordenação geral de Eduardo Sívori, que é o responsável por este instinto integrador da América Latina que a festa tem. O evento vai até sábado, dia 23 de janeiro e pode ser assistido em sua íntegra pelo site www.chamame.tv. Até o final de suas dez noites, vão ter se apresentado mais de duzentos grupos musicais para um público que vai ultrapassar a casa de duzentas mil pessoas, haja vista que tem dado lotação total desde a primeira noite e o anfiteatro possui capacidade para 15 mil pessoas sentadas, mais 5 mil em pé. Na noite de ontem havia um mar de gente que não se avistava o chão, mirando de cima.
 
Pajador Paulo de Freitas Mendonça é um dos apresentadores