RETRATO DA SEMANA

RETRATO DA SEMANA
Bandeira do Rio Grande hasteada na chaminé de 92 metros do Shopping Total em Porto Alegre. Foto: Divulgação Shopping Total.

terça-feira, 6 de julho de 2021

PAJADOR DO BRASIL

 

documentário que mostra a trajetória internacional

de Paulo de Freitas Mendonça faz reverência 

a suas raízes.


 

A SPN Produções lançou neste domingo (4), o documentário que registra parte importante da trajetória internacional de Paulo de Freitas Mendonça, como pajador.


Primeiro, Mendonça fez uma transmissão ao vivo para demonstrar alguns agradecimentos e depois disponibilizou o link do vídeo em seu canal do YouTube. Nas duas primeiras horas, alcançou 170 visualizações, número que hoje deve ser bem maior.


Há algum tempo eu publiquei no blog que aqui no Rio Grande do Sul dávamos pouco valor por suas investidas culturais pelo mundo. Agora, o documentário me dá razão, pois nos 52 minutos do audiovisual, se aprecia depoimentos espontâneos de 49 intelectuais de diversos países, intercalando com imagens e atuações no exterior e no Brasil.


A maioria dos depoimentos é feita por improvisadores internacionais que estão acostumados a dividir palco com o Pajador do Brasil e já fazem parte de seu círculo de amizades, além de quatro pajadores brasileiros que viajaram com Paulo para o exterior. Contudo há também de outros intelectuais que analisam o trabalho por outro ângulo, a exemplo do pesquisador e poeta Abel Zabala, da Argentina, do professor e poeta César Huapaya Amado, do Perú, do professor e poeta Moisés Silveira de Menezes, do Brasil e do professor doutor da Real Academia das Nobres Artes da Espanha, Manuel Galeote, entre outros.


Conhecido internacionalmente como “Pajador do Brasil”, Mendonça atuou pela primeira vez no exterior, em 1982, no Uruguai. Depois passou a ser requisitado em diversos países americanos e europeus, sendo que está às vésperas de completar 40 anos desta carreira exitosa e sem fronteiras.


Conforme afirma, o também pajador Jadir Oliveira, Mendonça possui reputação elogiável no ambiente dos improvisadores do mundo e perante o público de diversos países. Nota-se nos demais depoimentos que ele se tornou reconhecido por sua veia poética e seu dom de improvisar, mas também por seu trabalho de pesquisa e seus estudos sobre o assunto em âmbito universal, além da sua força de trabalho em diversos projetos. É um dos poucos autores no mundo com trabalho científico publicado com amplitude sobre a poesia oral improvisada. Em virtude disso, já apresentou palestras em inúmeras universidades, escolas, incontáveis congressos, seminários e jornadas sobre improvisação nos continentes americano e europeu, passando a ser respeitado por isso. Possui textos de sua autoria em livros no Brasil, Uruguai, Argentina, Chile, Peru, Cuba, México, etc. Também participa de discos em diversos países. Mendonça tem realizado contrapontos com a imensa maioria dos mais importantes improvisadores do mundo, levando a cultura gaúcha e brasileira aos mais distantes recantos do planeta.


O documentário relata algumas passagens desta caminhada, demonstra o longo caminho percorrido pelo pajador no decorrer destes anos, levando o nome do Brasil a diversos dos mais importantes palcos da poesia oral improvisada do mundo, porém ressaltando sempre o Rio Grande do Sul e salientando a cultura gaúcha como um fundamental signo da formação étnico-cultural dos povos do sul do país e, também, sem nunca esquecer o seu rincão natal. A cidade de São Pedro do Sul é citada em entrevista, como uma região onde o verso improvisado é pulsante, da mesma forma, é salientada em improvisações gravadas ao vivo, como o pago do Pajador do Brasil.


O documentário Pajador do Brasil é fruto de um projeto aprovado pela SPN Produções, no Edital Criação e Formação – Diversidade das Culturas, da Fundação Marcopolo, em parceria com a Secretaria de Estado da Cultura - SEDAC RS – “Novas Façanhas na Cultura” – Governo do Estado do Rio Grande do Sul e Secretaria Especial da Cultura do Ministério do Turismo - Governo Federal, através dos recursos da Lei 14.017/2020 – Aldir Blanc.