RETRATO DA SEMANA

RETRATO DA SEMANA
José Estivalet declamando na Tertúlia Maçônica da Poesia Crioula

COMEÇANDO A LIDA BLOGUEIRA COM:

quinta-feira, 29 de junho de 2017

PARABÉNS, ESTÂNCIA DA POESIA CRIOULA

 
ACADEMIA XUCRA DO RIO GRANDE
 
anais do 1º Congresso de Poetas Crioulos
 
A Estância da Poesia Crioula é uma entidade cultural sul riograndense que visa congregar os poetas e prosadores voltados para a temática gauchesca, além de pesquisar, manter, promover e divulgar tudo aquilo que se relacione com esta arte crioula em suas mais diversas formas de manifestações.

A fundação da Academia Xucra do Rio Grande, como é carinhosamente conhecida, ocorreu no dia 29 de junho de 1957, dia de São Pedro, Padroeiro da Estância, graças a visão e ao esforço de abnegados poetas e prosadores que sentiram a necessidade de organizar-se como instituição com o objetivo de exaltar nossos usos e costumes, nossas valorosas e ricas tradições.

Nos dias 27, 28 e 29 de junho de 1957, foi realizado o primeiro Congresso de Poetas Crioulos do Rio Grande do Sul. Neste evento, que teve Vargas Netto como Presidente de Honra (após sua morte tornou-se patrono da entidade) e o poeta Hugo Ramirez como Presidente da Comissão Organizadora, entre pareceres diversos, moções de louvores, discursos, homenagens, foram traçados os princípios da estância, tendo como seu mais elevado objetivo congraçar os poetas gauchescos, organizar uma corrente de pensamento e de estudo através de cuja manifestações possa atuar de maneira culturalmente objetiva a arte da poética e o culto, em si, da tradição campeira.

O primeiro Rodeio de Poetas Crioulos teve a adesão, mediante comparecimento ou manifestações expressas de 86 poetas, sendo, estes, considerados Sócios Fundadores.

Neste mais de meio século de existência a E P C tem cumprido com louvor seus princípios e objetivos promovendo, anualmente, seu Rodeio de Poetas, editando suas antologias, realizando seus concursos literários, participando ativamente dos movimentos que venham a promover nossa cultura. As reuniões dos vates e convidados acontece aos sábados na sede própria da Estância na rua Duque de Caxias 1525 sala 49 D.

A primeira diretoria da Estância foi assim constituída:

Presidente Hugo Ramirez.
Demais poetas: Rui Cardoso Nunes, Jayme Caetano Braun, José Barros Vasconcellos, Dimas Costa, Lauro Rodrigues, Pery de Castro, Nitheroy Ribeiro e Olynto Sanmartin.

Nestes 50 anos de existência foram presidentes da Estância da Poesia Crioula:

Hugo Ramires (1957/1959 – 1963 – 1986/1988);
Nitheroy Ribeiro (1959/1960)
Jayme Caetano Braun (1960/1961);
Guilherme Schultz Filho (1961/1963 – 1970/1972);
Cyro Gavião (1963/1964);
Mozart Pereira Soares (1964/1966);
Pery de Castro (1966/1970);
Hélio Moro Mariante (1972/1974);
José Paim Brites (1974/1976);
Zeno Cardoso Nunes (1976/1980);
Vasco Mello Leiria (1980/1982);
José Hilário Retamozo (1982/1986-1992/1994-2000/2002);
Francisco Pereira Rodrigues (1988/1990);
Dias Francisco Fiorenzano (1990/1992);
Caio Flávio Prates da Silveira (1994/2002);
Sérgio de Laforet Padilha (2002/2004);
Léo Ribeiro de Souza (2004/2006);
Beatriz de Castro (2006/2008);
José Machado Leal (2008/2010);
Cândido Brasil (2010/2014)
Wilson Tubino (2014/2016)
Ubirajara Anchieta (2016/...)
 

Ter sido presidente da EPC é um dos maiores orgulhos que tenho
                            
A Estância da Poesia Crioula tem uma característica marcante que é a de reverenciar seus vates já falecidos. Neste contexto, idealizou e construiu no Parque da Harmonia, em Porto Alegre, o Monumento Aos Poetas Mortos (foto abaixo), composto de uma cancela de varejão, que significa a passagem para as sesmarias do infinito e de uma pedra de 7 toneladas chamada de A Pedra da Memória.
 
Sesmaria do Infinito - Monumento aos Poetas Mortos