RETRATO DA SEMANA

RETRATO DA SEMANA
José Luis dos Santos - 1934 - 3º Distrito de Cruz Alta

COMEÇANDO A LIDA BLOGUEIRA COM:

quinta-feira, 16 de março de 2017

ME FUI A CHURRASCARIA


Transporte pontual e gratuito.
Ruas com toda a segurança a qualquer hora
Foto: Léo Ribeiro
 
Estamos há cinco dias em Melbourne, uma cidade magnífica no Sul da Austrália onde 98% das coisas funcionam nos trinques. O clima daqui é semelhante ao de Porto Alegre e agora também é verão. O inverno é rigoroso. Há meia hora de carro ou trem existem algumas praias mas o forte por aqui é a intensa movimentação de trabalhadores, estudantes e turistas.
 
Após comer todo tipo de alimento árabe, mexicano, asiático, australiano, me deu uma saudade louca de comer uma costela gorda em uma churrascaria.
 
Existe apenas uma churrascaria nesta metrópole de 4 milhões de habitantes, por coincidência aonde meu filho Lucas Vallim de Souza trabalha na função de "passador", ou seja, servindo carne. É o único gaúcho dentre funcionários cariocas, paulistas, mineiros e japoneses. O proprietário é um chinês que pouco aparece na casa.
 
O sistema é a moda espeto corrido com picanha, alcatre, coração de galinha (considerada uma carne exótica), linguiça, costela desossada, abacaxi com canela...
 
Essa história de carne de canguru é... estória.
 
O preço do jantar é de 55 dólares. Como um real está em torno de 2,5 dólares australianos, se formos fazer a conversão, tal empreitada ronda os RS 137,50.
 
Mas a maioria dos almoços em restaurantes mais em conta está em torno de 20 a 30 dólares.
 
Aproveitamos para tomar uma(s) cerveja na churrascaria pois aqui na Austrália é expressamente proibido bebida de álcool nas ruas. Nem os supermercados tem autorização para comercialização.
 
Os bares começam a fechar cedo (tipo 11 horas) mas, em compensação, as pessoas podem andejar na rua até alta madrugada sem serem importunadas por ninguém. É um lugar completamente seguro.   
 
Os brasileiros que aqui trabalham ganham na faixa de 20 a 25 dólares a hora. Emprego tem bastante e....
 
Mas isto é uma outra história que vamos contar mais adiante pois hoje estamos embarcando para Gold Coast (Costa Dourada), bem ao norte do continente aonde está "rolando" a primeira etapa do mundial de surf, para visitar meu outro filhotão Thiago Asmuz Vallim. 
 
Até mais.