RETRATO DA SEMANA

RETRATO DA SEMANA

COMEÇANDO A LIDA BLOGUEIRA COM:

quinta-feira, 22 de dezembro de 2016

PORQUE O MTG FUNCIONA



 Presidente do MTG Nairo Callegaro (D) no programa Do Litoral a Fronteira
Ontem pela manhã foi extinta a Fundação Instituto Gaúcho de Tradição e Folclore, órgão sob tutela do Estado reconhecido por Projeto de Lei assinado em 1974 que tinha sob seus encargos, dentre outros, a pesquisa e a preservação da cultura gaúcha.
Então ficamos nos perguntando por que uma outra entidade que labuta pela nossa tradição continua, após meio século comemorado neste outubro de 2016, firme e forte? Nos referimos ao Movimento Tradicionalista Gaúcho, o MTG.
Mesmo com diversos oposicionistas ao seu sistema e peleando contra as dificuldades naturais enfrentadas por uma organização deste porte, não se cogita a extinção do Movimento Tradicionalista Gaúcho.
A razão é simples, para não dizer banal.
O Movimento não sofre ingerência Estatal.
É uma entidade civil privada, com regimentos próprios, que sobrevive com as anuidades de seus associados e que não recebe verbas públicas que o sustente.
Suas eleições são democráticas, as proposições são aprovadas (ou não) em congressos anuais e, boas ou más, tem que ser obedecidas até que outras normas (em nova votação dos congressistas) as derrubem.
Assim sendo, o MTG está a frente de quase duas mil entidades filiadas pelo mundo todo. Ontem mesmo, estive conversando com o Patrão do Piquete Tradicionalista China Véia, da China, que me contou do orgulho que sentiram os seus integrantes ao verem aprovado seu pedido de filiação ao MTG.
Isto não é uma regra e temos diversos órgãos públicos que trabalham com denodo. Contudo, em muitas associações em que o Estado gerencia, a bola de neve cresce, os favores políticos se sucedem, o foco se esvai, o recurso é mal administrado e acontece o que aconteceu com a FIGTF.