RETRATO DA SEMANA

RETRATO DA SEMANA
Bandeira do Rio Grande hasteada na chaminé de 92 metros do Shopping Total em Porto Alegre. Foto: Divulgação Shopping Total.

sábado, 13 de abril de 2024

 

LAÇADORES RIO-GRANDENSES

Vistos pelo alemão Herrmann Wendroth


 

Alguns anos depois de terminada a Guerra dos Farrapos (1835-1845), o Império do Brasil arregimentava tropas para reforçar o exército nas fronteiras Sul. Uma das preocupações era enfrentar Juan Manuel Rosas, o ditador argentino cujas intenções expansionista assustavam os vizinhos. Entre os mercenários contratados na Alemanha pelo governo brasileiro, chegou ao Rio Grande do Sul em 1851 o alemão Herrmann Rudolf Wendroth. Boêmio, beberrão, esse alemão acabou preso em Pelotas e, logo, revelou sua verdadeira e talentosa vocação: a pintura.

Como desenhista, pintor e agudo observador, Wendroth deixou uma obra fascinante, mostrando como era o Rio Grande do Sul urbano e rural do século 19. A coleção de pinturas d Wendroth, pertencentes ao acervo da Princesa Isabel, foi impressa pelo governo do Estado RS em 1982. A reprodução desta página é uma amostra de como esse pintor-mercenário retratou a vida e o trabalho dos gaúchos. Morreu, provavelmente em Porto Alegre, em 1860.