RETRATO DA SEMANA

RETRATO DA SEMANA
Bandeira do Rio Grande hasteada na chaminé de 92 metros do Shopping Total em Porto Alegre. Foto: Divulgação Shopping Total.

sábado, 27 de agosto de 2022

REPONTANDO DATAS / 27 DE AGOSTO

 

Em 27 de agosto de 1828 foi assinado pelo Império do Brasil e pelas Províncias Unidas do Rio da Prata o acordo bilateral chamado Tratado do Rio de Janeiro pondo fim na guerra Cisplatina e estabelecendo a independência da República Oriental do Uruguai.

O Tratado foi assinado ao fim da Convenção Preliminar de Paz ocorrido no Rio de Janeiro. Esta convenção foi do dia 11 até o dia 27 de agosto de 1828 e que teve como mediador o Reino Unido. Brasil e Argentina aceitaram a criação de um país independente na Província Cisplatina. Também foi acertado que a região das Missões, que havia sido tomada pelas tropas argentinas nesta guerra seria desocupada de tais tropas, reintegrando a Província de São Pedro do Rio Grande do Sul, como o faz hoje e a Colônia de Sacramento, que estava em mãos dos Portugueses passou a fazer parte do mais novo país da América do Sul nossos vizinhos Gauchos uruguaios. No dia 28 foi assinado em Buenos Aires o tratado definitivo.

Também num dia 27 de agosto, do ano de 2019, morria por volta das 16 horas no Hospital Ernesto Dornelles, em Porto Alegre, o maior símbolo da cultura gaúcha de todos os tempos, ou seja, João Carlos D'Ávila Paixão Côrtes. Ele estava enfermo após uma queda e posterior cirurgia no fêmur, de onde originou-se uma infecção hospitalar. O folclorista que nasceu em Santana do Livramento estava com 91 anos de idade.
 
O Governador José Ivo Sartori declarou luto oficial no Estado por três dias e ofereceu as dependências do Palácio Piratini para as encomendações do corpo, o que foi aceito pela família. O velório ocorreu no Salão Negrinho do Pastoreio. 

Trinta dias após seu falecimento tive a honra de ser o orador na Pompa Fúnebre realizada pela Loja Maçônica A Virtude, da qual Paixão era Obreiro. 


Desenho: Léo Ribeiro