RETRATO DA SEMANA

RETRATO DA SEMANA
Colocação da estátua do Negrinho do Pastoreio, obra de Vasco Prado, na minha legendária Aratinga Década de 60

COMEÇANDO A LIDA BLOGUEIRA COM:

quinta-feira, 10 de agosto de 2017

MEU PATRIMÔNIO


 
Aos 61 anos, posso afiançar que, afora algum trabalho como jurado de festival, não ganhei valores monetários com a cultura. Editei 8 livros e, fora uma meia dúzia que deixei há uns dois anos na Livraria Miragem, doei todos (8 mil). Tenho em torno de três centenas de músicas gravadas por dezenas de artistas e jamais cobrei um pila com isto. A arrecadação de ECAD é uma piada. É como secar gelo, some no Imposto de Renda.
 
O que me vale é a emoção. Esta não tem preço. Igual a que senti ontem, em São Francisco de Paula, quando, durante o dia todo, assisti apresentações de crianças humildes, muitas botando uma pilcha gaúcha pela primeira vez, apresentarem trabalhos de teatro, declamações, jograis, danças, músicas, após terem trabalhado mais de mês tendo meu livro São Francisco, Sua História em Poesia como mote.
 
Muito obrigado pelo convite e pelo carinho de todos, Diretora Mirian, Professoras, Auxiliares e alunos da Escola de Ensino Fundamental Castelo Branco, a mesma que foi arrasada pelo tornado deste ano e que agora trabalha em salas com poucas condições, mas que tem consciência de que a educação é a saída para este País. Mil gracias por esta lição de não perder a alegria de viver.
 
Nota: Não estou condenando aqui músicos, artistas, palestrantes, escritores, que tem algum viés da cultura gaúcha como profissão. Ao contrário. Sou admirador de todos. Falo, apenas, de uma questão pessoal.