RETRATO DA SEMANA

RETRATO DA SEMANA
Realmente, o assunto Baiano Candinho despertou grande interesse em nossos leitores. Olhem só a verdadeira relíquia que nos chega através do meu amigo e parceiro de cavalgadas Marco Aurélio Angeli, carinhosamente cohecido como Zoreia, um dos homens mais campeiros deste Rio Grande. O flagrante é um retrato, talvez único, onde aparece Baiano Candinho (o penúltimo sentado a direita). Tal chapa, segundo a saudosa avó do Marco Aurélio, foi por ocasião de uma eleição. O que podemos concluir, é que estas pessoas (reparem as vestimentas) faziam parte do famoso Esquadrão Josaphat durante a Revolução Federalista aonde Candinho era o grande líder na região de Três Forquilhas. Tal foto faz parte do acervo do Marco Aurélio.

COMEÇANDO A LIDA BLOGUEIRA COM:

terça-feira, 18 de julho de 2017

A BOMBACHA DE "DOIS PANOS"



Muitos imaginam que a bombacha serrana sempre foi estreita, ou não muito larga, adequada a geografia dos campos dobrados e mais prática para as lides rurais. Mas enganam-se. Lembro-me de minha avó Maria Elisa Fogaça Ribeiro falar das bombachas do seu tempo, principalmente de um tal de Celino Fagundes, onde só enxergava-se a planta do pé. Até mesmo o cano da bota desaparecia ante a Bombacha de Dois Panos, tal qual esta foto dos arquivos pessoais da Professora Dinorá, lá de São Francisco de Paula.

Chamava-se Bombacha de Dois Panos porque um pano só, mesmo infestado (dobrado) não era suficiente para compor uma perna, ou seja, precisavam de dois comprimentos (um para cada perna).