RETRATO DA SEMANA

RETRATO DA SEMANA
26º RONCO DO BUGIO (1 e 2 Setembro) - PRAZO DE INSCRIÇÕES DIA 28 DE JULHO

COMEÇANDO A LIDA BLOGUEIRA COM:

quarta-feira, 8 de março de 2017

MULHER GAÚCHA, MULHER DE FIBRA!


Hoje é o Dia Internacional da Mulher. A todas as "prendas" deste universo, a nossa reverência e o nosso respeito. A mulher sofreu, foi injustiçada, esperou, lutou e venceu. Em todos os postos, nos dias de hoje, vemos mulheres ocupando seu espaço com dignidade e brilhantismo. Sem precisar de auxílio que não fosse seu próprio esforço, tornou-se independente e competitiva dando um ar de transparência e impelindo competência nas áreas em que atua. Tenho como símbolo da bondade Madre Tereza, como brazões da perseverança as Mães da Praça de Maio e como ícone da mulher guerreira Anita Garibaldi.

E a vocês, Mulheres Gaúchas, patroas, heroínas, incansáveis, a nossa eterna gratidão. Anas Terras, Bibianas, Caetanas, Anahys, Cabos Tocos, índias, bugras, mulatas, gringas, alemãs, etnias de coragem que forjaram nosso Estado com mãos protetoras mas rígidas, carinhosas mas calejadas, a nossa admiração e o nosso reconhecimento.
 
 
MULHER GAÚCHA

Com olhos profundos que cruzam neblinas,
sorriso que encanta, em tons de carmim,
és luz desta terra onde a pampa termina
e os lençóis de geada branqueiam o capim.

Teu jeito é herança da raça tropeira,
nas fontes mais claras matastes a sede,
e sempre honrando tua gente altaneira
que vive em retratos nas velhas paredes.

Tu viu das janelas as fases da lua
e viu os teus filhos que bateram asas...
E quando peleavam nas lutas charruas
tu foste um esteio cuidando das casas.

Ninguém percebeu o teu choro escondido,
- a mágoa em teu peito se nasce não cresce!
De pronta pra lida ao primeiro mugido
e o sonho rebrota na força da prece.


E hoje vivendo num mundo moderno

não fica no rancho fazendo oração,
se vai pra batalha, verão ou inverno, 
é mais que um esteio, é o próprio galpão. 

És mãe, poetisa, doutora, campeira,
esperança de um tempo zebruno e rançoso.
Mulher do meu pago, mulher brasileira,
flores que se abrem num chão pedregoso.

Mulheres gaúchas, tão belas, tão vivas,
a vossa existência motiva meus versos!
O velho Rio Grande é a querência nativa
das prendas mais lindas de todo universo.

Poesia: Léo Ribeiro
Foto: Site Inema