RETRATO DA SEMANA

RETRATO DA SEMANA
Realmente, o assunto Baiano Candinho despertou grande interesse em nossos leitores. Olhem só a verdadeira relíquia que nos chega através do meu amigo e parceiro de cavalgadas Marco Aurélio Angeli, carinhosamente cohecido como Zoreia, um dos homens mais campeiros deste Rio Grande. O flagrante é um retrato, talvez único, onde aparece Baiano Candinho (o penúltimo sentado a direita). Tal chapa, segundo a saudosa avó do Marco Aurélio, foi por ocasião de uma eleição. O que podemos concluir, é que estas pessoas (reparem as vestimentas) faziam parte do famoso Esquadrão Josaphat durante a Revolução Federalista aonde Candinho era o grande líder na região de Três Forquilhas. Tal foto faz parte do acervo do Marco Aurélio.

COMEÇANDO A LIDA BLOGUEIRA COM:

segunda-feira, 5 de setembro de 2016

DE FUNDAMENTO


Certamente um dos grandes expoentes da elite dos compositores gaúchos, Dionísio Costa também trilha sua carreira como intérprete. Neste segundo CD pela Vertical (o quinto de sua carreira solo), desfila toda a qualidade de suas composições, com grandes parceiros e ótimas participações especiais. Vale o destaque para o gauchismo de "Trancão dos Cola Grossa", "Alma Costeira" e "Tem Que Gostar de Fandango". Também há espaço para a descontração de "Uma Tal de TPM", "Todo Mundo Deve Um Pouco" e "Não Esqueço Aquela Praga".
 
Gravadora Vertical
 

 
Ontem pela manhã, no programa do Litoral a Fronteira do comunicador Jairo Reis,gravado ao vivo lá pelo Galpão Herança de Tauras, do Grêmio Náutico Gaúcho, no Acampamento Farroupilha, estivemos proseando e ouvindo o Dionísio Costa muito bem emparceirado pelo gaiteraço Elmer Fagundes. Esse trabalho de um dos maiores compositores terrunhos do Rio Grande não muda o tranco que já fez sucesso em obras anteriores, ou seja, o verso alegre, despojado, bem estruturado, com mensagens que vão do romantismo a música mais jocosa sem nunca perder o brilho e a autenticidade. Além de excelente compositor o Dionísio Costa é uma figura humana sensacional. Ao prosearmos com este filho de Seberi desopilamos, aprendemos, refletimos, pois o homem velho é o Rio Grande em pessoa. É DE FUNDAMENTO!