"TEU PRESTÍGIO É PROPORCIONAL A TUA CONDUTA"

Léo Ribeiro


RETRATO DA SEMANA

RETRATO DA SEMANA
AS CARPIDEIRAS são as mulheres pagas para chorar nos velórios de ricos. Não nutrem nenhum sentimento pelo finado. Nossas redes sociais andam assim. Uma choradeira só de pessoas que não estão "nem aí" para uma análise mais profunda dos fatos.

quarta-feira, 28 de setembro de 2022

 CTG É ARROMBADO OITO VEZES 

EM APENAS UM MÊS 


Vilmar Mertz / Arquivo pessoal

O Centro de Tradições Gaúchas (CTG) Guapos do Itapuí, de Campo Bom, no Vale do Sinos, foi arrombado na madrugada desta segunda-feira (26). Trata-se do oitavo ataque ao local em um mês.

Segundo o patrão da entidade, Vilmar Luiz Mertz, as invasões começaram na última semana de agosto, através das tábuas de costaneira que revestem janelas e paredes. As madeiras foram arrancadas ou forçadas para abrir um vão, possibilitando o acesso ao salão.

— Nosso galpão é meio surrado, com a estrutura frágil. E, principalmente com a pandemia, ficamos sem grana para consertar — justifica.

Na mais recente ação dos criminosos, houve vandalismo na cozinha, que acabou com os armários quebrados. O freezer também foi avariado para o furto de bebidas.

O saldo anterior, contudo, é muito maior: o CTG perdeu panelas, louças, facas, garfos e demais utensílios utilizados em festas e jantares. Quatro botijões de gás também foram levados. O prejuízo estimado é de R$ 8 mil.

— Conseguimos comprar algumas panelas de um senhor, que tinha no sítio dele. Só aí foi R$ 1 mil. A gente fica triste, os pais indignados. Mas vamos tocar adiante — afirma Mertz.

Grades estão previstas na reforma em andamento, e é estudada a instalação de câmeras de segurança. Bailes e festas para arrecadar valores devem ser organizadas a partir de outubro, com intuito de pagar os custos das melhorias necessárias.

A sede fica no bairro 25 de Julho, próximo ao centro do município. Fundado em 1998, o CTG é mantido por voluntários e sócios, em torno de cem pessoas que contribuem com uma mensalidade de R$ 25 cada. Grande parte é de jovens que dançam na invernada e suas famílias.

— Não posso me queixar, nossa entidade é muita ajudada pela comunidade e pelo poder público. Estão nos dando muita atenção, mas precisamos de mais segurança —complementa o patrão.

Na tarde desta terça-feira (27), Mertz irá até a prefeitura para uma reunião com a Secretaria Municipal de Segurança. Viaturas da Guarda Municipal já estão fazendo patrulhamento com mais frequência no entorno do CTG, garante o gestor da entidade tradicionalista.

Fonte: Jornal ZH