"TEU PRESTÍGIO É PROPORCIONAL A TUA CONDUTA"

Léo Ribeiro


RETRATO DA SEMANA

RETRATO DA SEMANA
Uma frase linda nestes tempos obscuros. Desconheço o autor, mas adequei-me a ela.

sábado, 6 de março de 2021

CLIPES GAUDÉRIOS

 

Nestes tempos de pandemia, aonde a classe de entretenimento é uma das que mais padecem por falta de shows, as lives, os vídeos, os clipes, afloraram como nunca. E penso que vieram para ficar pois é uma fórmula de aproximar o artista de seu público . 

Bombeando alguns destes trabalhos aqui produzidos, percebe-se, salvo raras exceções, um amadorismo impressionante e o quanto estamos longe de algo de qualidade cinematograficamente falando. 

Grupos musicais em meio ao campo com bateria montada, guitarras elétricas (vão plugar aonde?)... Em face da crise financeira não se pode exigir que contratem diretores, cinegrafistas, etc... mas que mantenham, ao menos, a autenticidade, e que usem mais da criatividade. Que utilizem um bombo-legüero, violões, roupas mais condizentes com o ambiente. Vi um músico tocando guitarra numa mangueira embarrada, de bombacha e botas brancas, se cuidando aonde pisar.  

Tem que qualificar os trabalhos para não se tornarem jocosos, motivos de chacotas. Neste mundo das redes sociais, da internet, hay que profissionalizar tais formas de divulgação de nossos artistas que, ao cabo, representam a nossa cultura. 



   

PARABÉNS, MARI.

 


Se me permitem, quero mandar um beijo para o outro lado do mundo. Minha filha, a Mariana, na data de hoje está de aniversário. Parece que foi ontem que a levava nos braços por aí. Agora, vivendo na Austrália, é ela que me carrega no braço (tatuou minha assinatura). Parabéns, Mari. Viva teus sonhos. 

 



QUEM É O GUARDA-METAS?

 


Essa chapa datada de 29 de novembro de 1938 é do escrete do Colégio Nossa Senhora da Conceição, de Passo Fundo. 

Nossa pergunta aos leitores deste periódico gaudério é fácil, fácil. 

Quem é o guarda-metas (arqueiro/goleiro) deste time? Na chapa, está de branco segurando a pelota. 

Dica: Gremista, ídolo da tradição gaúcha e... por enquanto é isso.     

Resposta: Amanhã neste mesmo Bat-horário e canal. 

 

 

DON JAYME. O QUE É UMA BOTA-DE-GARRÃO?



É uma relíquia campeira
do couro da perna inteira
do bagual - morto na hora.
Garrão onde vai a espora
sem curtir e desparelho,
o cano atado no joelho
e os dedos meio de fora...

Muito usada antigamente
por peões e domadores
hoje só calçam os cultores
da campeira tradição.
A levam com devoção, 
como se fosse uma prenda...
Há fiapos de legenda
numa bota-de-garrão!


sexta-feira, 5 de março de 2021

Angelillo - Ernestito Montiel y el Cuarteto Santa Ana



 

MTG ORGANIZA SEMANA DA MULHER

 


A partir desta semana, o Movimento Tradicionalista Gaúcho estará realizando uma programação especial, alusiva ao Dia Internacional da Mulher, com o objetivo de valorizar o trabalho feminino em defesa da cultura e tradição. Iniciando as atividades, será lançada uma campanha, evidenciando a admiração de mulheres, umas pelas outras. É a campanha “De Mulher pra Mulher”, onde a proposta é publicar fotos com outras mulheres, externando sua inspiração e valorização, a fim de exemplificar a força que cada uma possui. Para participar, basta postar uma foto ou vídeo nas redes sociais com a #DeMulherPraMulher.

Já do dia 08 ao dia 12, estão programadas lives para todas as noites, tendo como convidadas mulheres de diferentes segmentos. A condução dos trabalhos será feita pelas Prendas do Rio Grande do Sul gestão 2019/2021, como representantes da figura da mulher gaúcha no movimento.

Dentre as temáticas, na segunda-feira (08), será o dia da “Arte feminina”. A live contará com a presença artistas gaúchas, que estão participando de um clipe especial sobre a mulher, organizado pela equipe de comunicação do MTG. Além disso, o autor da música do clipe, Alci Vieira Junior, também estará presente. Para este dia importante, a Presidente do MTG, Gilda Galeazzi, também fará sua participação. Já na terça-feira (09) o tema será “Mulher Gaúcha: sinônimo de protagonismo” e entre as convidadas estarão Maria Luiza Benitez, cantora e comunicadora da Rádio Guaíba, Kelly Matos, comunicadora do Grupo RBS, a produtora cultural e ex-secretária de cultura de Guaíba, Cláudia Mara.

Na quarta-feira (10) será o momento de “Mulheres à frente do seu tempo” contarem suas histórias, relacionando seus trabalhos frente à cultura. Para isso, está confirmada a participação de Erlita Mendes, finalista da gineteada do Rodeio Internacional de Vacaria e campeã da gineteada do Festival de Doma e Folclore de Jesus Maria, na província de Córdoba. Além disso, a instrutora do CTG Heróis Farroupilhas, Marina Martins, a trovadora e pajadora Tetê Carvalho, e a laçadora Ariane Soares também estarão presentes neste momento.

Já na quinta-feira (11), a temática abordará as “Eternas Prendas e a representação da mulher gaúcha”. Esta, organizada pelas atuais Prendas do Rio Grande do Sul, terá participação da Vice-Presidente de Cultura do MTG e 1ª Prenda do RS 2016/2017, Roberta Jacinto, e ainda, das três prendas (de cada categoria) que fizeram parte de gestões no início dos concursos: Andréia Kurroschi, 1ª Prenda Mirim do RS 1983/1984, Ana Cláudia Feltrim, 1ª Prenda Juvenil do RS 1986/1987, e Silvana Caldasso, 1ª Prenda do RS 1979/1980.

Finalizando as atividades, na sexta-feira (12) as crianças prendinhas que representam a nossa cultura em diferentes meios, vão participar falando sobre seus trabalhos e contribuição no tradicionalismo, visto que serão as futuras mulheres a representar os ideais femininos no movimento. Entre as convidadas, estará presente a Nicole Silva, mais conhecida como Nini, que apresenta um quadro semanal no programa Encontro da Tradição.

As lives serão transmitidas pela página do Facebook do MTG e no canal do Youtube do Eco da Tradição.



FILOSOFIAS GAUDÉRIAS

 


Como os leitores já devem ter notado sou um admirador de ditos de fundamento. Dizeres que tragam alguma mensagem bonita, de incentivo. 

Esta semana, ainda, ouvi uma frase muito ilustrativa pois nos leva a pensar em aproveitar a vida em todos os seus momentos em face de que o tempo e as coisas passam e não voltam mais. Dizia assim: NINGUÉM TOMA BANHO DUAS VEZES NO MESMO RIO. AS ÁGUAS JÁ NÃO SÃO AS MESMAS!

Pois o gaúcho de fundo de campo, o trovador, o galponeiro, também rebusca dizeres poéticos. São as chamadas filosofias gaudérias. Tipo assim: 

A SOMBRA DA VACA ENGORDA O TERNEIRO - Maneira de dizer que o terneiro que mama se cria viçoso.

BAGUAL QUE SÓ PONTEIA É CAVALO QUE NÃO SE MANEIA - Nas potreadas de baguais, aqueles que sempre vão ponteando são os melhores, pois exigem sua energia e temperamento. Quando domados, são animais soltos de patas, que não andam maneados.

BENTEVI, QUAL GENTE RICA, SÓ NO MACIO QUE SE ESTICA - É por ser recheado de lã o ninho do bentevi, que se faz esta afirmativa.

BURRO VELHO NÃO CAMBEIA DE QUERÊNCIA - Querência é o lugar onde se nasce ou se vive há muito tempo. Advertência para os inconformados com o lugar em que vivem.

CARRAPATO QUANDO ENGORDA, É PRA CAIR - Assim é o destino de muita gente que surge, cresce, se deslumbra e depois sucumbe. Como a formiga que cria asas para morrer.

CAVALO ENCILHADO A PRECEITO MOSTRA GAÚCHO DE CONCEITO - Gaúcho caprichoso não encilha mal o cavalo. Serve para outras variantes da vida.

CHURRASCO GALOPEADO ENFUMAÇA OU SAI QUEIMADO - Churrasco (assim como muitas coisas) feito as pressas, não presta.

Tem muito mais, mas vamos trazendo aos poucos.


REPONTANDO DATAS / 05 DE MARÇO

 


Num dia 5 de março, do ano de 1880, nascia em Santana do Livramento, José Antônio Flores da Cunha, advogado, político e revolucionário.
 
 
 
 
José Antônio Flores da Cunha nasceu na estância São Miguel, uma das propriedades rurais de sua família, em Santana do Livramento, no Rio Grande do Sul. Era filho de Evarista Flores e Miguel Luís da Cunha (1852 - 1918), e bisneto do Coronel José Antônio Martins. Casou-se em 1905 com Irene Guerra. Estudou em São Paulo; depois, no Rio de Janeiro, onde se bacharelou em Direito em 1902. Após formado, atuou como delegado no Rio de Janeiro e como advogado em Santana do Livramento e Uruguaiana, destacando-se pela eloqüência.

Em 1909, filiado ao Partido Republicano Rio-Grandense (PRR), iniciou carreira política como deputado estadual. Iniciou seu primeiro mandato como deputado federal em 1912, eleito pelo Ceará. Em 1917, foi reeleito, desta vez pelo seu estado natal, renunciando ao mandato em 1920 para concorrer à prefeitura de Uruguaiana, sendo eleito com expressiva votação. Em 1923, destacou-se como chefe militar legalista na luta que conflagrou o Rio Grande do Sul, opondo os partidários do governador Borges de Medeiros aos oposicionistas liderados por Joaquim Francisco de Assis Brasil. Renovou seu mandato de deputado federal em 1924. Em 8 de outubro de 1925 prendeu Honório Lemes e garantiu sua integridade quando populares quiseram linchá-lo. Reeleito deputado federal em 1927, renunciou em 1928 para ser eleito senador.

Atuou ativamente na revolução de 1930, que levou Getúlio Vargas à chefia do país em novembro daquele ano. No dia 28 de novembro de 1930 foi nomeado interventor no Rio Grande do Sul. Ajudou a fundar o Partido Republicano Liberal (PRL), em novembro de 1932. Na Revolução Constitucionalista de 1932 permaneceu leal a Getúlio Vargas. Em abril de 1935 foi eleito governador do Rio Grande do Sul, exercendo o mandato até outubro de 1937. No mesmo ano da eleição, já como governador constitucional, começou a se afastar do presidente Vargas. Buscando ampliar sua influência política nacionalmente, envolveu-se em disputas sucessórias em outros estados, como Santa Catarina e Rio de Janeiro. Defensor do federalismo, atritou-se com os setores militares que, como o general Pedro Aurélio de Góis Monteiro, defendiam a centralização do poder no governo federal. Em 1937, rompido com Getúlio Vargas, foi forçado a deixar o governo gaúcho. Exilou-se, então, no Uruguai e só voltou ao Brasil cinco anos depois, durante a Segunda Guerra Mundial, quando cumpriu pena de nove meses na Ilha Grande, no Rio de Janeiro. Foi libertado por Vargas em 1943.

Em 1945, participou da fundação da UDN, legenda pela qual se elegeu deputado constituinte. Nas eleições para sucessão de Vargas, faz campanha para o Brigadeiro Eduardo Gomes. Reelegeu-se deputado federal em outubro de 1950 e em outubro de 1954, sempre na legenda udenista. Assumiu a presidência da Câmara dos Deputados no dia 8 de novembro de 1955, substituindo o deputado Carlos Luz, que fora empossado na chefia do Executivo Federal em virtude do afastamento de Café Filho por motivos de saúde. Coordenou as sessões que garantiram a posse de Juscelino Kubitschek. No mesmo ano, rompeu com a UDN e renunciou à presidência da Câmara.

Em 1958, aos 78 anos de idade, foi eleito pelo PTB, mas morreu antes do fim do mandato. Foi sepultado em Santana do Livramento.


quinta-feira, 4 de março de 2021

ELTON SALDANHA


ASSUSME A COORDENAÇÃO DE MÚSICA 

DA SECRETARIA MUNICIPAL DE CULTURA DE PORTO ALEGRE  



O cantor, compositor e jornalista Elton Saldanha assume a Coordenação de Música da Secretaria Municipal da Cultura. Reconhecido por canções como “Eu sou do Sul” e “Castelhana”, Saldanha tem entre os principais desafios reativar o ambiente musical da cidade.

“Uma das grandes características de Porto Alegre é a música. Quero a fazer essa comunidade voltar a usufruir de tudo o que os artistas produzem”, afirma o coordenador.

Entre as atribuições da coordenação está a Banda Municipal, que, segundo Saldanha, será reativada o mais breve possível.

O setor é responsável por eventos tradicionais do calendário do município, como o Baile da Cidade, o Réveillon e o Prêmio Açorianos de Música. Por meio de projetos realizados periodicamente, a Coordenação de Música busca expor os talentos em atividade no cenário da Capital em diferentes gêneros e estilos.

Texto: Eduarda Alcaraz

Reprodução: Rui Felten




 Quando o tempo me olha de perto

Letra: Rômulo Chaves / Música: Diogo Matos e Jean Kirchoff

Interpretação: Jean Kirchoff


SÓ RINDO

 


Vocês lembram do Esponja? O Esponja é aquele meu "cão de guarda" que um dia, aqui no blog, botei a venda por absoluta inoperância. Ao cabo de uma semana os tiriricas (ladrões, gatunos, amigos do alheio) entraram por quatro vezes no meu rancho e o Esponja nem latir não latiu. Ao contrario, ainda fez amizade com os graxains de duas pernas.

Para o mal dos pecados não apareceu nenhum comprador. Mas há males que vem para o bem, pois arrumei outra função para o Esponja e o cusco até que tem se saído mais ou menos.

Como não gosto de fazer força com as pernas (a não ser para amanhecer dançando), quando não estou enforquilhado no meu mouro velho, ando embarcado no meu Del Rey 1975, uma condução que, se não é nenhuma BMW, me leva, ao tranquito, para cima e para baixo.

Ocorre que sempre tive uma grande dificuldade como chofer. É na hora de dar a ré. Me confundo para que lado eu tenho que torcer a direção e acabo esbarrando na paleta dos outros autos.

Aí é que entra a nova utilidade do Esponja. Retirei um dos pisca-pisca e ele me avisa como anda a situação. É o meu "sensor de ré".

Fui na estação rodoviária esperar um amigo mas não sei porque motivo ele preferiu pegar um carro-de-praça para fazer suas jornadas aqui pela capital.

Oiga-lê Rio Grande Velho!



 

SALADEIRO SÃO MIGUEL

  


UMA CHARQUEADA PASSO-FUNDENSE


Em 1914 a firma J.J. Magalhães & Cia. iniciou as atividades saladeris em Passo Fundo, tendo como local escolhido para a sua implantação a região conhecida como Umbu, próximo a Pulador.

Estando a cidade de Passo Fundo geograficamente situada na região do Planalto Médio e no interior do Estado, ou seja, sem litoral e observando que o modo tradicional e mais utilizado de escoamento da produção na época era o marítimo, seja pelos gastos com os fretes ou pela dificuldades do transporte rodoviário ou a pé, que emagrecia o gado e que era moroso, era preciso buscar outra forma de escoar a produção da charqueada passo-fundense.

Assim, para solucionar este problema o Saladeiro de São Miguel foi estabelecido às margens da linha da Viação Férrea do Rio Grande do Sul, isso facilitou a distribuição de seus produtos para o seu mercado interno e consumidor do centro do país.

Ainda não se pode esquecer de outro fator importante para a constituição de uma charqueada interiorana e fora do eixo principal – no caso, fronteiriço e litorâneo no Estado: a grande quantidade de gado ali existente.


quarta-feira, 3 de março de 2021

DEBORAH ROSA DEIXA ESTE PLANO

 

Deborah Rosa


Está complicado manter o moral deste blog elevado. São muitas notícias tristes. Se formos retratar todos os envolvidos com as tradições gaúchas que nos deixam, dia-a-dia, este site se tornaria um verdadeiro obituário. Contudo, há registros que não podemos deixar de trazer, como este da Deborah Rosa, uma pessoa alegre e que espalhava simpatia e talento aonde cruzava. 

Assim o MTG noticiou sua passagem deste plano:

"Morre cantora santa-mariense Deborah Rosa 

Faleceu na manhã desta quarta-feira (03) em Santa Maria, a cantora e tradicionalista Deborah Rosa, aos 44 anos, de embolia pulmonar, seguida de duas paradas cardíacas. 

Formada em Relações Públicas pela Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), Deborah era cantora e intérprete, e vivia da música há mais de 20 anos. Ela participou de inúmeros festivais e espetáculos, entre eles, o “Musical Imembuy”, e o espetáculo “Divas do Rádio” no qual percorreu o RS. 

Teve parte de sua carreira ligada ao Movimento Tradicionalista Gaúcho, sendo campeã da modalidade Intérprete Solista Vocal feminino do ENART 2012. Atualmente, representava o DT Querência das Dores, integrando o conjunto vocal da entidade. No final de 2020, participou do clip “Ano Novo no Sul”, organizado pelo MTG, contribuindo com sua belíssima voz (confira no link

https://www.youtube.com/watch?v=I1jCLTUUwLc) 

Em nome de toda a diretoria, entidades filiadas e seus associados, a presidente do MTG, Gilda Galeazzi, presta sua solidariedade aos familiares e amigos da cantora. 

Alessandra Hoppen

Comunicação MTG "



LINDOS RECUERDOS

 

Hoje apareceu nas minhas lembranças do aplicativo facebok cinco anos de um dos melhores espetáculos que assisti em minha vida, ou seja, o show dos Rolling Stones. Até fiz um verso para o momento. 

Nestes tempos de incertezas só o que temos a fazer é relembrar...  


O VERSO É PEDRA...
Cante a tua aldeia, a tua matiz
que a tua voz se ouvirá um dia.
O rock é assim, cruzou geografias
e se paira eterno porque tem raiz.
Desta noitada eu saio feliz
banho de chuva, alma de guri
e reafirmo, depois do que vi,
que o canto puro não tem que mudar.
O verso é pedra, é só lapidar
como estas Pedras que rolaram aqui.

A se destacar, além do belíssimo espetáculo da maior banda de rock de todos os tempos, o profissionalismo dos Rolling Stones. O show estava marcado para às 21 horas. Neste momento caiu uma chuva torrencial tocada a vento. Pensei comigo - já era! Pois em riba das 21 horas (não foi 20.59 e nem 21.01) eles entraram no palco e não refugaram o temporal. Cansei de ver um chuvisqueiro adiar espetáculos...

VAQUEANO

 

 
VAQUEANO
Alfredo Costa Machado

Dos campos deste pago eu sou vaqueano,
conheço palmo a palmo o vau do passo;
e onde o gado se oculta do minuano
e as sombras que abrigam do mormaço!

Não me embreto em capoeira e nem me engano
quando, ao longe, relincha o meu Picaço;
de conhecer meu pago é que me ufano;
conheço-o como a armada do meu laço!

Em noites de garoa ou cerração,
por vezes incontáveis, percorri,
de ponta a ponta os campos do rincão!

Só um atalho, pra mim, está secreto:
é o do olhar, onde um dia me perdi
e, se busco a saída, mais me embreto!


Gravura: Carlos Montefusco


REPONTANDO DATAS / 03 DE MARÇO

 


Num dia 03 de março, do ano de 1844, morria Onofre Pires, primo de Bento Gonçalves. Sua morte foi de uma gangrena oriunda do duelo com o general farrapo. 

Também num dia 03 de março, do ano de 1927, nascia na cidade de Rolante, então pertencente ao município de Santo Antônio da Patrulha o cantor Vitor Mateus Teixeira, o Teixeirinha.

 


QUEM FOI HERRMANN R. WENDROTH?

 


Eu sempre tive curiosidade de saber um pouco mais sobre o autor deste quadro pois representa com fidelidade a capital dos gaúchos sete anos após o fim da guerra dos farrapos. Imagino que por estes morros foi a concentração dos soldados republicanos para invadir Porto Alegre, através do pontilhão da Azenha, na noite de 19 de setembro de 1835.
 
Pois fui atrás e vi que recentemente o jornal ZH fez uma ampla reportagem sobre o autor da tela. Não vamos reproduzir aqui por ser uma matéria muito extensa, apenas dar uma ideia de quem foi o artista.  

Porto Alegre em 1952 / Herrmann Wendroth,
Museu Imperial de Petrópolis, Reprodução
 

Herrmann Rudolf Wendroth foi um mercenário e artista plástico alemão que veio para o Brasil em 1851, contratado para lutar na Guerra contra Rosas. Integrou a Legião Alemã que serviu no sul, cujos integrantes eram conhecidos pela alcunha de brummers, os "resmungadores".
Chegou ao Rio Grande do Sul por mar, parando primeiro em Rio Grande, e logo seguindo para Pelotas, onde passou preso alguns dias por arruaças. Depois esteve em Porto Alegre, Rio Pardo e Lavras do Sul, onde demorou-se mais explorando ouro nas minas da região.
Dali seguiu em viagem por diversas partes do interior do estado, fixando em aquarelas e desenhos os tipos humanos locais e a paisagem urbana e natural, num documento visual precioso daquela época, executado com grande sensibilidade estética e por vezes mostrando uma veia satírica. Faleceu em torno de 1860.
Segundo relatos era um soldado alemão, debochado e transgressor, foi o responsável pelo mais vasto registro visual do Rio Grande do Sul no século 19. Herrmann Rudolf Wendroth morreu desconhecido, em data e lugar incertos, e sua obra só se tornou acessível ao público mais de cem anos depois de concebida – e ainda hoje não é popular fora do circuito acadêmico de arte e história do Rio Grande do Sul.
O estrangeiro registrou por meio de suas aquarelas paisagens de Porto Alegre, Rio Grande, Pelotas, Lavras do Sul e Rio Pardo. Seus trabalhos mostram cidades em expansão, em desenhos com profusão de detalhes e apuro estético. No ambiente rural, também circulou e ilustrou com minúcia o modo de vida do homem do campo. Além disso, foi um dos raros artistas-viajantes do século 19 que retrataram os escravos com simpatia, expondo maus tratos sofridos e dando dignidade a sua dança.
 
Algumas outras obras de Herrmann Rudolf Wendroth
 
a atual Praia da Guarita, em Torres.
 


Cavalo preso ao rio e seu dono lamentando a perda

Wendroth documentou o escravagismo no RS dos anos 1850

nesta aquarela o artista retrata os escravos celebrando

É ISSO AÍ, TIO NANATO.

 

 

terça-feira, 2 de março de 2021

REPONTANDO DATAS / 02 DE MARÇO

 

No dia 2 de março de 1836, no Passo Real do Capané, no Piquiri, em Cachoeira do Sul, acontecia o combate entre os farroupilhas de João Manoel e Lima e Silva, tio de Caxias, e os legalistas de Bento Manoel Ribeiro, que havia virado a casaca para os lados do império. Até hoje existe um marco comemorativo naquela localidade.



 

BOAS LEMBRANÇAS

 

Porca Véia / Desenho: Léo Ribeiro

No dia de hoje, 02 de março, estaria de aniversário um grande parceiro que nos deixou no ano passado após longa enfermidade. Falo do saudoso Elio da Rosa Xavier, o gaiteiro Porca Véia, que nasceu neste dia e mês no ano de 1952 no interior de Lagoa Vermelha. 

Se fosse contar as gauchadas que fizemos, iria longe. Conheci o Porca quando foi ser instrutor na FEBEM de São Francisco de Paula e ali forjamos uma forte amizade e também algumas parcerias musicais que duraram até sua partida deste plano. 

Porca Véia foi único. Autêntico, carismático. 

Tenho certeza de que está alegrando com seus causos e sua gaita a gauchada no céu.    



QUERÊNCIA DA POESIA XUCRA

 

O poeta Lauro Teodoro, lá de Caxias do Sul, nos remete material e solicita divulgação para este belo festival daquela cidade serrana que, por muitos anos, marcou época no cenário poético do Rio Grande do Sul. Posteriormente faltou apoio e este encontro de poetas, declamadores e amadrinhadores e acabou não acontecendo. Nestes tempos de pandemia o evento retorna de forma virtual. O regulamento está na matéria abaixo. 

Sucesso aos organizadores.    




segunda-feira, 1 de março de 2021

REPONTANDO DATAS / 01 DE MARÇO

 

Num dia primeiro de março de 1845 o então Conde de Caxias referenda o Tratado de Paz de Ponche Verde que pôs fim a Guerra dos Farrapos.

 
Também num dia primeiro de março, do ano de 1870, morria junto ao Riacho Aquidabã (Paraguai) Francisco Solano Lopes, ditador do país vizinho que praticamente viu morrer uma geração de seu povo na guerra contra Brasil, Uruguai e Argentina. 
 
Sem a pretensão de datas tão importantes como as citadas acima, apenas como registro, num dia 1 de março, do ano de 2010, nascia este mensageiro terrunho da cultura gaúcha, ou seja, o Blog do Léo Ribeiro.
 
Nestes onze anos de postagens ininterruptas, pois jamais tiramos férias, levamos até nossos milhares de leitores 8.214 matérias. 

Nos assusta um pouco, mas, em contrapartida, nos tapa de responsabilidade, o estrondoso número de acessos diários.   
 
E neste tranco, sem querer ser mais nem menos do que ninguém, vamos repontando nossa mensagem de gauchismo e apego ao chão nativo enquanto o Patrão Velho lá de riba assim o permitir.  
 
Já foram capas de nosso blog:
 





O PRIVILÉGIO DAS ABERRAÇÕES

 

Há muitos anos no Brasil a nossa televisão aberta privilegia as aberrações, as grosserias, as polêmicas, os barracos. É isto que dá audiência. Como boa protagonista a Rede Globo não poderia ficar de fora deste processo e pauta sua grade com programações de gosto duvidoso. Seja através de suas novelas, seja em programas como o BBB.

Não vou entrar nessa de dizer que sou alheio a este popular meio de encher de dinheiro os bolsos da emissora. Não olho o BBB por uma questão simples. A esta altura da noite o Morfeu já me pegou. Não vou além do Jornal Nacional. A única novela me fez ultrapassar meu sagrado horário das 10h foi O Bem Amado. Vejam quanto tempo faz isto.

Contudo, no outro dia me intero dos acontecimentos. E o que ouvi falar desta participante do BBB Karol ConKá não está no gibi (esta é velha).  

Ela conseguiu o maior índice de rejeição da história deste programa. Isto, por si só, é algo que demonstra sua impopularidade, fato que despertou minha curiosidade para assistir ao programa da Ana Maria Braga (que ótima entrevistadora) aonde todos os "brothers", por cláusula contratual, tem de participar logo que saem do jogo. Ali, foi passado uma resenha das atitudes da Karol ConKá. Pelo amor dos meus filhinhos. Que baixaria, autossuficiência, egocentrismo, concentrados em uma só pessoa. Apavorante.

Mas as incoerências maiores seguiram no fim de semana. A Globo abriu espaço para a controversa Karol nos programas de maior audiência da emissora, ou seja, o Domingão do Faustão e o Fantástico, tudo com o intuito de passar panos quentes em atitudes presenciadas por milhões de brasileiros durante mais de mês.

Não sou ninguém para julgar, tenho mais é que cuidar de mim mas não vi nenhum outro participante com tamanho privilégio. E o espaço para a cultura que não seja populista que tanto clamamos? Sonho meu... Isto leva a crer que, para se dar bem na vida tu tem que andar de mãos dadas com a safadeza.   


domingo, 28 de fevereiro de 2021

REPONTANDO DATAS / 28 DE FEVEREIRO

 

No dia 28 de fevereiro do ano de 1845 no lugar chamado Ponche Verde, localidade de Dom Pedrito, os farroupilhas comandados por David Canabarro assinam o tratado de paz com o império brasileiro pondo fim a Guerra dos Farrapos.




De Bernardo Taveira Junior o poema: O Domador
Declamador João Batista de Oliveira. Amadrinhamento Kayke Mello

 

ABANDONO TOTAL

 

O Rio Grande do Sul é um Estado rico em tradições e cultura. Uma pena que isto seja pouco reconhecido e  preservado no âmbito da gestão pública.

Uma recente pesquisa aponta que dos 100 museus mais visitados no Brasil, em 2019, apenas 4 estão no RS.  São estes: Museu da PUC com um público de 220 mil pessoas, Museu de Artes do Rio Grande do Sul, com 105 mil visitantes e os museus Iberê Camargo e o Militar com 60 mil pessoas aproximadamente.

Claro que este baixo interesse merece um estudo mais aprofundado. Não temos apreciadores de arte ou falta incentivo e apoio de diversos setores da administração? Acreditamos que tenham sua parcela de responsabilidades Secretarias como Cultura, Turismo e até Educação, visto que, em outros Estados, alunos da rede escolar visitam seus memoriais em diversas excursões agendadas.

Quando os próprios governantes tratam seu patrimônio com descaso não se pode exigir do povo interesse cultural. Exemplo típico é o destino dado ao IGTF (Instituto Gaúcho de Tradição e Folclore) que foi extinto na administração passada e seu rico acervo, fruto de anos de pesquisas de Barbosa Lessa, Paixão Côrtes, Lilian Argentina, Antônio Augusto Fagundes e tantos outros folcloristas, estão a deriva neste mar de descaso.

O estado de abandono e deterioração transformando em taperas lugares que poderiam ser o manancial de repasses as novas gerações é impressionante. Há pouco tempo atrás o Museu Júlio de Castilhos, no centro do poder, em Porto Alegre, era uma verdadeiro aguaceiro pois chovia mais dentro do que fora do velho casarão aonde morou este governante rio-grandense. Isto sem falar que os funcionários tinham que fazer "vaquinha" para comprar lâmpadas pois nem luz não tinha.   

Nosso passado está morrendo nas mãos de pessoas sem a menor responsabilidade social e histórica.