RETRATO DA SEMANA

RETRATO DA SEMANA
Identidade Visual dos Festejos Farroupilha 2024 / Cintia Matte Ruschel

quarta-feira, 6 de dezembro de 2023

 

ESTÁTUA DE CÉSAR PASSARINHO 

SERÁ INAUGURADA  DURANTE A  45ª CALIFÓRNIA  



Com o projeto para ser lançado durante a 45ª Califórnia da Canção Nativa, que começa na noite desta quarta-feira, 06, Uruguaiana terá uma estátua em homenagem a César Passarinho - baterista, compositor e músico brasileiro de música nativista gaúcha.

Segundo o secretário municipal de Desenvolvimento Econômico, Rodrigo Santariano, o trabalho está sendo concluído. “Estamos concluindo os últimos ajustes e não teria melhor momento para lançarmos a estátua como este esse, a Califórnia. O local ainda está sendo definido”, destaca. A estátua é feita de concreto, e está em fase de finalização. “O objetivo é a homenagem ao intérprete e aos 40 anos da música Guri”, enfatiza.

César Osmar Rodrigues Escoto, nasceu em 21 de março de 1949 em Uruguaiana. Eternamente conhecido como César Passarinho, incialmente ele cantava música popular brasileira nos bailes dos clubes sociais de Uruguaiana, com participação e destaque no conjunto Hi-Fi. Além de cantor, César Passarinho era baterista.

Foi no ano de 1973, na 3ª Califórnia da Canção Nativa que ele estreou no cenário da música nativista e nunca mais saiu.  Com o tempo, César Passarinho e a Califórnia se tornaram sinônimos, um pertencente ao outro. Sua presença e apresentações eram uma marca registrada do festival. Todos queriam e precisavam assistir o Passarinho cantar. Geralmente se apresentava com sua tradicional boina branca. A pilcha simples era completada pelo uso de colete, pala no ombro, alpargatas ou botas combinando com a guaiaca, faixa e lenço. 

Junto com Neto Fagundes e Renato Borghetti, Passarinho subiu no palco da 13ª Califórnia para defender a música de João Batista Machado e Júlio Machado da Silva Neto. E ele fez isso de forma mágica, foi aplaudido de pé por toda a multidão presente.

Cesar Passarinho morreu aos 49 anos, acometido por um câncer no pulmão. Faleceu em Caxias do Sul, no dia 14 de maio de 1998.  É lembrado sempre como um artista que gostava de cantar o romantismo e as coisas do campo. A sua estátua será mais que uma homenagem, será uma dedicação de amor de Uruguaiana a um de seus principais artistas.